Sespa capacita profissionais para atendimento aeromédico

Fotos: José Pantoja - Ascom/Sespa

Fotos: José Pantoja – Ascom/Sespa

A Coordenação Estadual de Urgência e Emergência, da Secretaria de Estado de Saúde do Pará (Sespa), iniciou nesta segunda-feira, 8, o curso de estágio para tripulante aeromédico, o primeiro a ser oferecido aos profissionais que atuam no resgate aeromédico no Pará, que funciona por meio de um Termo de Cooperação entre a Sespa e a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup). A atividade deve aprimorar o serviço, que tem se destacado pelo número de atendimentos em áreas como as regiões de ilhas, com destaque para o Arquipélago do Marajó, onde a maioria da população só dispõe do transporte fluvial.

A solenidade de abertura do estágio foi presidida pela secretária adjunta de Saúde do Estado, Heloisa Guimarães, que saudou os participantes pelo compromisso assumido, a título de aprimoramento, em favor do fortalecimento da Rede de Urgência e Emergência do Estado, formada atualmente pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Serviço de Resgate Aeromédico, Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e Hospitais de Urgência e Emergência. Para se ter uma ideia, em 2014 o Pará foi o primeiro Estado brasileiro a concluir e entregar o Plano Estadual de Atenção Integral às Urgências ao Ministério da Saúde.

Foto: José Pantoja - Ascom/Sespa

Foto: José Pantoja – Ascom/Sespa

Realizada no hotel Beira Rio, a atividade é conduzida pelos militares do Grupamento de Radiopatrulha Aérea (GRPAe) João Negrão, da Polícia Militar de São Paulo. Entre os instrutores estão o major José Alexandre Freixo e o capitão Rodrigo Mantovani. A programação segue até a manhã de quinta-feira, 11, com carga de 45 horas.

O estágio é acompanhado de perto por técnicos da Coordenação Geral de Urgência e Emergência do Ministério da Saúde (MS) e também pelo tenente coronel Márcio Bailosa, coordenador de Operações do Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp), um serviço de integração do Estado do Pará que atua em todas as atividades aéreas públicas, como operações policiais, de busca e salvamento, defesa civil e transporte de pessoas, com atendimento aeromédico em convênio com a Sespa. Atualmente, o Graesp conta com oito aeronaves – sete helicópteros e um avião – e mantém quatro bases no interior – em Altamira, Santarém, Marabá e Redenção.

Com base no conteúdo curricular do estágio de tripulante aeromédico desenvolvido pelo GRPAe de São Paulo, os participantes estão sendo capacitados por meio das disciplinas “Gerenciamento de Recursos da Tripulação”, Segurança de Voo” e “Medicina Aeroespacial Aplicada ao Transporte Aeromédico”, “Noções de Aeronáutica” e “Técnica e Prática Operacional”. Uma fase prática do curso acontecerá entre a tarde de quinta-feira, 11, e nos dois turnos da sexta-feira, 12, no Instituto de Ensino em Segurança Pública (Iesp), localizado em Marituba, município da Região Metropolitana de Belém.

A coordenadora de Urgência e Emergência da Sespa, Rosário Mota, destaca que o estágio é interessante para esclarecer os principais pontos a respeito do funcionamento da rede, sobretudo pelas vantagens oferecidas pelo serviço aeromédico, como maior facilidade de acesso a determinadas regiões do Estado, atendendo situações que demandam atenção avançada e com um único propósito: salvar vidas.

Mozart  Lira
Secretaria de Estado de Saúde Publica

Você pode gostar...