Campanha Novembro Azul é aberta em Ananindeua

FOTO: JOSÉ PANTOJA / ASCOM SESPA

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Ananindeua (Sesau) e a Escola Superior Madre Celeste (Esmac), realizou, na tarde desta quarta-feira (1º), no auditório da Esmac, em Ananindeua, a abertura oficial das atividades alusivas ao Novembro Azul, mês destinado à sensibilização dos homens sobre cuidado com sua saúde, com ênfase ao diagnóstico precoce do câncer de próstata, que é a 3ª principal causa de morte por neoplasia maligna entre os homens no Estado, com 1.537 óbitos ocorridos no período de 2010 a 2015, sendo superado apenas pelo câncer de pulmão (2º) e o câncer de estômago (3º). E a estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca) para 2017 é a ocorrência de 1.010 novos casos de câncer de próstata no Pará.

A secretária adjunta da Sespa, Heloísa Guimarães disse que geralmente os homens são educados para serem super-homens e acabam acreditando nisso e, por isso, dificilmente procuram os serviços de saúde como atitude de prevenção. “E nessa crença, eles dificilmente procuram ajuda em tempo hábil. Então, o Novembro Azul surge para dizer aos senhores e rapazes que eles também fazem parte de um elenco em que é possível prevenir doenças. Mas o fato é geralmente, quando o homem procura os serviços de saúde é numa emergência ou quando a doença já está instalada e não chega a tempo de prevenir essa doença ou diminuir a sequela desse adoecimento”, disse a secretária.

FOTO: JOSÉ PANTOJA / ASCOM SESPA

Constatando que a maioria da plateia era formada por alunos do curso de Enfermagem da Esmac, Heloísa disse que eles têm um papel fundamental na disseminação dessas informações à população masculina, lembrando que os homens estão vivendo sete anos menos que as mulheres no Brasil. “É importante incentivar não apenas o cuidado com as doenças do aparelho circulatório, como infarto do miocárdio ou acidentes vasculares cerebrais, principais causas dos atendimentos nas emergências, ou o câncer de próstata, mas também a atenção às doenças sexualmente transmissíveis como as hepatites, Aids e sífilis”, alertou a secretária.

Ela fez um alerta especial sobre a Aids, dizendo que é preciso respeitar o vírus HIV, pois o coquetel reduz a circulação do vírus no sangue, mas não cura a doença. “Se você adoecer você pode sim ter chances de morrer. Hoje, as mulheres têm quase a mesma taxa de mortalidade dos homens por HIV, porque os homens não se cuidando acabaram transmitindo muito para suas parceiras porque historicamente os homens têm uma vida sexual mais ativa, mais precoce e mais promíscua, o que acaba refletindo também na saúde da mulher”, explicou a gestora estadual. Então, vamos exigir dos nossos parceiros que tenham responsabilidade na vida conjugal e na vida também como pai”, apelou a secretária-adjunta.

A secretária comentou, ainda, sobre o outro mote da Campanha do Novembro Azul que é o Pré-Natal do Homem, ou seja, ações de incentivo para que o homem acompanhe sua mulher ou companheira no pré-natal e também possa ter sua saúde avaliada, por meio de aferição da pressão arterial, exame de glicemia e outros exames laboratoriais e específicos.

No que tange às neoplasias, Heloísa enfatizou a necessidade de falar abertamente com os homens sobre o câncer de próstata, testículo, pênis e mama e relatou que durante uma ação educativa na Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon) de Tucuruí. “Ficamos impressionados com a quantidade de câncer de pênis. Foram seis pacientes diagnosticados com câncer de pênis na região. Esse é um número muito alto. Cinco deles tiveram tratamento inicial e puderam evitar a sequela, mas um deles teve amputação total do órgão. Isso é uma mutilação, não apenas física, mas psicológica, extremamente grave. É nesse momento que os homens começam a entender o que significa o câncer de mama na mulher. Isso é vida real e pouco se fala”, alertou.

Por isso, conforme a secretária, a Saúde Pública tem que fazer a sua parte em todos os níveis de atenção, desburocratizar o SUS, facilitar o acesso aos serviços de saúde, como, por exemplo, ofertar mais e melhor a biópsia do câncer de próstata.

FOTO: JOSÉ PANTOJA / ASCOM SESPA

O coordenador de Atenção Primária de Ananindeua, Moisés Vaz, disse que o município vem trabalhando para implementar a Política Nacional de Saúde do Homem no município e melhorar o acesso da população aos serviços de saúde assim como vem desenvolvendo ações educativas para sensibilização da população masculina. E uma das propostas é fazer parceria com as empresas, que têm muitos homens como empregados, para desenvolver ações educativas.

FOTO: JOSÉ PANTOJA / ASCOM SESPA

A diretora geral da Esmac, Nilce Pinheiro, agradeceu pela parceria da Sespa com a Esmac na realização de uma ação tão importante como essa do Novembro Azul. Ela ressaltou que a instituição de ensino já vem participando de ações educativas há algum tempo.

Ela disse que as pessoas também precisam fazer a sua parte como cidadãs, participando e cobrando o cumprimento das políticas públicas. “Nossa instituição, professores e alunos estamos comprometidos com as ações de saúde e com a aproximação da comunidade”, afirmou a diretora.


FOTO: JOSÉ PANTOJA / ASCOM SESPA

Já a representante do Curso de Enfermagem, Suene Leal, disse que há muitos desafios a serem enfrentados porque é muito difícil convencer os homens a cuidarem da sua saúde. No entanto, uma vantagem apontada por ela é a participação dos alunos da área de saúde nesses debates e ações, o que não acontecia quando ela era estudante de Enfermagem. “Então teremos enfermeiros formados com olhar voltado para todos, mulheres, crianças, homens e idosos”.

Após a abertura, o coordenador estadual de Saúde do Homem, Carlos Sales Júnior, fez uma apresentação sobre Saúde Integral do Homem e Pré-Natal do Parceiro.

Texto: Roberta Vilanova

Você pode gostar...