Sespa alerta para acidentes com escalpelamento durante o carnaval - sespa

Sespa alerta para acidentes com escalpelamento durante o carnaval

A coordenadora de Mobilização Social da Sespa, Socorro Silva, durante mobilizações anteriores realizadas em portos da capital. FOTO: MOZART LIRA / ASCOM SESPA

Integrantes da Coordenação de Mobilização Social da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) vão iniciar na manhã desta quinta-feira (08), na Feira do Açaí, em Belém, o cronograma da Campanha de Enfrentamento aos Acidentes de Motor com Escalpelamento como parte das prevenções para o período do carnaval 2018.

A mobilização acontecerá até a quarta-feira de Cinzas, 14 deste mês, abrangendo visitas ainda no Porto do Açaí, Porto da Palha e Terminal Hidroviário, em Belém, e nos cais de Abaetetuba, Soure, Barcarena, São Domingos do Capim, Igarapé Miri, Moju, São Sebastião da Boa Vista e Curralinho, com atuação de técnicos dos Centros Regionais da Sespa e equipe de cada secretaria municipal de Saúde envolvida.

O objetivo da campanha é orientar a população que estará viajando de barco neste período carnavalesco com informações para combater casos de escalpelamento, acidente causado pelo eixo exposto dos motores das embarcações que, ao enroscar e puxar os cabelos longos das meninas e mulheres, podem arrancar parte ou todo o couro cabeludo, levando até à morte.

Mulheres e crianças são as maiores vítimas e geralmente ficam graves sequelas físicas e psicológicas. Grande parte das vítimas é oriunda de 42 municípios localizados entre o Arquipélago do Marajó e o oeste paraense.  O balanço dessas ocorrências mostra a eficácia do trabalho que vem sendo feito: de 1982 até dezembro de 2014 foram registrados 409 casos de escalpelamento, contra 11 em 2015, seis em 2016 e um caso registrado em agosto de 2017, em Portel.

A maior parte dessas vítimas é de ribeirinhos, que têm no barco seu principal meio de transporte. O trabalho consiste na orientação aos ribeirinhos, acerca das medidas preventivas dos acidentes de motor com escalpelamento, cuja meta da Sespa é zerar esse tipo de ocorrência no Pará. “As orientações são para hábitos que podem salvar vidas, como fazer um ‘pitozinho’ no cabelo, usando de uma linguagem que o povo compreenda de imediato”, explica Socorro Silva, coordenadora de Mobilização Social da Sespa.


FOTO: ASCOM SESPA

No campo preventivo, a Sespa vem se empenhando em combater o escalpelamento, sobretudo há dez anos, quando foi criada a Comissão Estadual de Erradicação dos Acidentes com Escalpelamento, que já promoveu, entre outras atividades, a ação de cobertura de carenagens, feita pelos militares da Capitania dos Portos, responsável pelas ações de segurança naval nos rios do Pará, das quais destaca-se a colocação de proteção no eixo do motor, procedimento feito em parceria com a Sespa e que desde 2009, por meio de lei federal, tornou-se obrigatório.

Desde então, mais de três mil embarcações receberam proteção nos eixos. A instalação não tem custo para o dono da embarcação, porque é patrocinada por empresas privadas. A medida reflete uma das consequências de dez anos de campanhas preventivas, que contaram ainda com a adesão de grupos de mestres carpinteiros, que são responsáveis pela construção de pequenas e médias embarcações utilizadas como principal meio de transporte de quem vive nas áreas onde os rios, furos e igarapés são as únicas ‘estradas’ disponíveis – que corresponde a 63% dos municípios paraenses.

Tanto na capital como no interior as informações preventivas são reforçadas em outras vésperas de datas especiais, como as férias escolares de julho, Círio e Natal. Na oportunidade, também são divulgadas informações sobre o atendimento às vítimas, que hoje é oferecido pelo Programa de Atenção Integral às Vítimas de Escalpelamento (Paives), realizado na Santa Casa, em Belém, e sobre o acesso ao Tratamento Fora de Domicílio (TFD), um benefício fornecido pelos municípios aos pacientes que precisam cuidar das sequelas fora da cidade de origem.

A Campanha de Enfrentamento aos Acidentes de Motor com Escalpelamento Carnaval 2018 é uma realização da Sespa, por meio da Diretoria de Políticas de Atenção Integral à Saúde (Dpais), em parceria com a Comissão de Erradicação dos Acidentes de Motor com Escalpelamento (CEEAE), composta pela Secretaria e por mais oito órgãos e entidades envolvidas.

Serviço: Campanha de Enfrentamento aos Acidentes de Motor com Escalpelamento Carnaval 2018, com início às 7 horas da manhã do dia 08 de fevereiro, na Feira do Açaí, em Belém.