Maio Laranja

Novos equipamentos vão ajudar no combate à malária

FOTO: MÁCIO FERREIRA / AG. PARÁ

Quase R$ 2 milhões em equipamentos para o combate à malária no Pará foram distribuídos, nesta quarta-feira (7), em cerimônia no Palácio do Governo, em Belém. No total, 38 microscópios, 21 motocicletas e 9 caminhonetes foram entregues, pelo governador Simão Jatene, a representantes de 11 municípios beneficiados, de diferentes regiões do Pará.

Na ocasião, o governo também homenageou servidores estaduais que atuam há mais de 30 anos no combate a endemias e dedicaram anos de profissionalismo, compromisso e responsabilidade com o trabalho na Vigilância em Saúde Pública do Estado do Pará. Ao todo, 25 servidores receberam a placa de reconhecimento e agradecimento pelos serviços prestados à população do estado.

FOTO: MÁCIO FERREIRA / AG. PARÁ

O secretário de Saúde, Vitor Mateus, informou que os equipamentos recebidos vão garantir o fortalecimento da rede de serviços. “Estamos oportunizando o acesso em tempo hábil e adequado ao diagnóstico e tratamento da malária aos municípios com áreas de maior endemicidade. Dessa forma, a aplicação desse recurso deverá seguir o plano de investimento aprovado e a prestação de contas deve constar no relatório de gestão”, disse.

O governador do Estado, Simão Jatene, se disse satisfeito por fazer o repasse de equipamentos, que vão ajudar no combate à malária e, mais ainda, em poder parabenizar os servidores pelo trabalho desempenhado. “O enfrentamento da saúde pública integra várias áreas, e o fundamental é evitar que as pessoas adoeçam. A área de endemias serve justamente para isso, para evitar o adoecimento. Graças a Deus nosso governo tem um programa de construção e modernização de hospitais e, em parceria com os municípios, de cuidar das pessoas para evitar as doenças. Estou feliz de ter aqui pessoas que nos ajudaram para isso, e hoje estamos aqui agradecendo. Feliz também por trazer esses novos recursos, mas principalmente, por reconhecer a dedicação e o trabalho dessas pessoas”, declarou o governador.

O titular da Sespa também falou sobre a homenagem feita aos servidores. “Se diminuímos a incidência de malária no estado, da dengue, da zika e tantas outras doenças, foi também por causa do trabalho dessas pessoas, elas deixaram um legado para os próximos servidores. É preciso fazer essa homenagem para mostrar o esforço dessas equipes, que andam por tantos locais difíceis para ajudar a salvar a vida de outras pessoas”, complementou.

O presidente do Colegiado de Secretários Municipais de Saúde, Charles Tocantins, representou os secretários de saúde de todo o Pará durante a cerimônia e agradeceu pelos equipamentos recebidos. “Entendemos que a união do Governo do Estado, por meio da Sespa, com os municípios, é a única forma de evitar que milhares de pessoas procurem a assistência à saúde, trabalhando com promoção e prevenção. Hoje, só temos a agradecer a entrega desses veículos e desse material, que vai ajudar os municípios nesse enfretamento”, finalizou.

Os itens foram distribuídos da seguinte forma: Afuá (4 microscópios); Chaves (2 microscópios); Anajás (5 microscópios); Breves (3 microscópios e 2 motocicletas); Alenquer (2 microscópios, 2 motocicletas e 1 caminhonete); Almeirim (2 microscópios, 2 motocicletas e 1 caminhonete); Itaituba (5 microscópios, 4 motocicletas e 2 caminhonetes); Jacareacanga (2 microscópios e 2 motocicletas); Novo Progresso (2 microscópios, 3 motocicletas e 1 caminhonete);  Pacajá (3 microscópios, 3 motocicletas e 1 caminhonete); São Félix do Xingu (2 microscópios, 1 motocicleta e uma caminhonete) e o Departamento de Controle de Doenças Transmissíveis por Vetores – DCDTV (6 microscópios, 2 motocicletas e 2 caminhonetes).

Combate – De acordo com o Relatório Mundial sobre Malária 2017 (World Malaria Report 2017), da Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2016, houve cinco milhões de casos a mais de malária do que em 2015. Já os óbitos ocasionados pela doença giraram em torno de 445 mil, número similar ao do ano anterior. A organização atribui o agravamento da infecção ao financiamento insuficiente, tanto a nível doméstico, quanto internacional, resultando em grandes lacunas na cobertura de redes tratadas com inseticida, medicamentos e outras ferramentas que salvam vidas. A OMS ainda aponta que, em 2016, US$ 2,7 bilhões foram investidos no mundo em esforços para controle e eliminação da malária. Essa quantia está bem abaixo do investimento anual de US$ 6,5 bilhões exigidos até 2020 para atingir as metas de 2030 da estratégia global da OMS contra a malária.

Texto: Heloá Canali – Agência Pará