Sespa realiza oficina sobre estágio curricular

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), realizou, nesta terça-feira (03), na sala de reunião do Gabinete, a 1ª Oficina de Estágio da Sespa, destinada aos gestores das unidades que pertencem ao 1º Centro Regional de Saúde. Promovida pela Coordenação de Educação na Saúde, por meio da Gerência de Formação e Desenvolvimento, o objetivo da oficina foi iniciar o processo de ordenação dos estágios no âmbito da Sespa, com intuito de melhor atender às demandas das instituições de ensino superior, especialmente, no que tange ao estágio curricular dos cursos da área de Saúde.

Dessa primeira oficina, participaram gestores da Unidade Básica da Pedreira, dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps) e Unidades de Referência Especializada, além do Departamento de Assistência Farmacêutica (Deaf) e Departamento de Vigilância Sanitária (DVS), que têm recebido estagiários nos últimos anos.

Segundo a coordenadora de Educação na Saúde, Sônia Bahia, nenhuma unidade de saúde deve receber demanda de estágio diretamente. “O certo é que a instituição de ensino encaminhe documento por meio do protocolo geral da Sespa, para que seja direcionado à Diretoria de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde (DGTES) e GFD para as providências necessárias de acolhimento ao aluno”, explicou a Sônia.

A gerente de Formação e Desenvolvimento, Marilda Moraes, disse que a oficina também visa a qualificar os gestores e servidores para as ações referentes ao estágio. “Nós também vamos realizar oficinas nas unidades para ouvir as suas demandas e dificuldades, para aperfeiçoarmos os espaços de aprendizagem dentro das unidades da Sespa”, disse Marilda. “É fundamental o papel do servidor orientador junto ao estagiário, pois é ele que estará acompanhando e orientando as atividades do aluno e promoverá essa integração entre ensino e serviço”, acrescentou a gerente.

Marilda informou que em 2017, a Sespa recebeu cerca de 1.500 estagiários, o que demonstra que a Secretaria de Saúde é um importante espaço de prática para estudantes dos cursos da área de saúde. “E nossa intenção é organizar o fluxo do estágio para que a Sespa possa atender de forma democrática tanto as instituições públicas como as privadas”, enfatizou Marilda. “E uma informação importante que precisamos ter de cada unidade é a capacidade do seu cenário de prática, ou seja, o espaço físico e o número de servidores orientadores disponíveis para receber os estagiários”, acrescentou a gerente.

Para a ordenação do processo de estágio, a Sespa segue tanto as determinações da Lei do Estágio 11.788, de setembro de 2008, quanto o decreto estadual 1.941 de dezembro de 2017. Esse processo de ordenação será desenvolvido durante todo o ano de 2018 e deverá abranger, gradativamente, todos os Centros Regionais de Saúde da Sespa.

 

Texto: Roberta Vilanova

Fotos: José Pantoja