Influenza

Sespa monitora qualidade da água distribuída à população

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) realizou de forma preventiva – antes da distribuição – as análises nos carros-pipa assim que iniciou a entrega de água para uso doméstico às comunidades de Barcarena. Em um deles, os técnicos interditaram o uso por falta de condições estruturais para a finalidade de transporte de água e ter apresentado nos exames alterações na qualidade da água. Imediatamente, o veículo foi substituído por outro apropriado ao serviço.

Atualmente, seis caminhões-pipa fazem a distribuição. Desde o início dos trabalhos eles são inspecionados pela Vigilância Sanitária antes de seguir para as comunidades, e são devidamente identificados com tarja, indicando a realização da análise de teste rápido para alterações de forma restrita.

Os testes são feitos de duas formas: com o kit de teste rápido no local, e no Laboratório Central, para complementar com outros elementos de análise.

Todo o trabalho é monitorado, e não há qualquer distribuição de água contaminada para as comunidades. A água entregue em carros-pipa é destinada ao uso doméstico (lavar roupas, utensílios etc.) e para a higiene pessoal, sendo diferente da água própria para consumo humano, que é distribuída pela empresa Hydro.

Relatório – A Sespa divulgou esta semana informações preliminares e parciais das análises que confirmaram que a água, em poços monitorados de Barcarena, está imprópria para consumo humano. A Secretaria apresentará, possivelmente na próxima semana, um relatório detalhado às instituições que acompanham o caso, além de determinar a realização de novos estudos, mais aprofundados e conclusivos, para diagnosticar com precisão todas as causas e a extensão da contaminação.

A Sespa recomendou, ainda, que a Hydro, responsável pela distribuição de água para o consumo nas áreas afetadas, intensifique a ação nas comunidades de Barcarena, e notifica a empresa nesta semana. Estão sendo realizados, também, pelo Governo do Pará, estudos para ampliar e melhorar definitivamente a oferta de água para a população.

Desde fevereiro foram realizadas coletas de amostras de água para consumo humano em 10 comunidades: Burajuba, Murucupi, Itupanema, Bom Futuro, Vila Nova, Jardim Paraíso, Caripi, Renascer com Cristo, Praia do Conde e Vila dos Cabanos.

De acordo com as análises, preliminares e inconclusivas, foram encontradas contaminações microbiológicas (Escherichia coli e Enterococcus), normalmente associadas à contaminação de esgoto, e toxicológicas, que com estudos mais minuciosos podem ser conclusivas sobre as possíveis causas da contaminação.

Foram identificados ainda alguns padrões anormais de alumínio nas comunidades de Itupanema, Vila Nova e Jardim Cabano. “As análises para as possíveis contaminações físico-químicas e toxicológicas serão realizadas de forma mais aprofundada, com estudos complementares, somando-se aos já realizados, sem descartar nenhuma avaliação feita até aqui”, informa Vitor Mateus, secretário de Estado de Saúde Pública.

A Sespa vai reforçar o monitoramento das condições de saúde nas comunidades, por meio de várias ações e serviços. Entre eles estão o monitoramento, com exames da presença de metais pesados em cabelo e sangue de mulheres, realização de hemograma para identificação de casos de anemia e manutenção do atendimento e da orientação clínica.

A Secretaria também fortalecerá o Programa de Vigilância da Qualidade da Água de Consumo Humano, o Plano de Monitoramento para enfrentar hepatites virais, o monitoramento das Doenças Transmitidas por Água e Alimentos (DTAs) e as ações de vigilância sanitária, incluindo o monitoramento da água usada no preparo de alimentos comercializados (lanches, açaí etc.) e intensificação da fiscalização sanitária.

Acompanhamento permanente – A Sespa estabeleceu, desde o último dia 23 de fevereiro, um Plano de Contingência de Vigilância em Saúde, envolvendo a Regional de Saúde (6º CRS), Laboratório Central do Estado (Lacen) e Secretaria Municipal de Saúde de Barcarena.

Desde as primeiras denúncias, em fevereiro deste ano, o governo do Estado tem atuado na região com o Grupo de Trabalho e representantes de vários órgãos. Após a identificação do problema ambiental, a Sespa iniciou imediatamente os trabalhos, com equipes de vigilância sanitária, vigilância epidemiológica, vigilância ambiental e de saúde do trabalhador, incluindo visita técnica às áreas possivelmente atingidas para mensuração do nível de riscos à população.

Entre os trabalhos já realizados estão alerta e ações para que a população evite o consumo de água dos poços e igarapés da região. Para isso, a Sespa disponibilizou a distribuição emergencial de 50 mil frascos de hipoclorito de sódio a 2,5%, além do acompanhamento da distribuição de água potável.

Também foi garantido atendimento médico, com deslocamento de equipe multiprofissional, formada por dermatologistas, clínicos gerais, infectologistas, pediatras, psicólogos e outros especialistas. Além dos postos permanentes em Barcarena, foi montada unidade móvel de saúde, que vai às comunidades afetadas distribuir medicamentos.

Por Edna Lima