Influenza

Governo intensifica investigação de casos suspeitos de raiva humana em Melgaço

A respeito dos casos suspeitos de raiva humana no município de Melgaço, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) informa que foi notificada pelo município na última sexta-feira (4). A Secretaria ressalta que equipes da Vigilância Epidemiológica já estão no local para a investigação, com trabalho em parceria com a Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará).

Segundo levantamento são dez casos suspeitos, todos residentes na localidade de Rio Laguna, em Melgaço, cerca de 70 km da sede do município. Destes, dois pacientes estão internados no Hospital da Santa Casa, em Belém, um no Hospital Regional de Breves e três no Hospital municipal de Melgaço.

Outros quatro pacientes evoluíram a óbito. Todos apresentam quadro semelhante com sinais e sintomas como febre, dispneia, cefaleia, dor abdominal e sinais neurológicos como paralisia flácida ascendente, convulsão, disfagia, desorientação, hidrofobia e hiperacusia. Inicialmente a hipótese diagnosticada foi de meningite, porém com as últimas atualizações e histórico dos casos, foi levantada a suspeita de raiva humana.

Ainda não há confirmação laboratorial referente ao que teria ocorrido aos pacientes. Foi realizado o exame do líquido cefalorraquidiano (LCR) para o diagnóstico de patologias neurológicas e infecciosas de quatro pacientes, todos com resultados inespecíficos. Também foi feita ainda a coleta de soro para detectar meningite, além do acometimento para a raiva. As amostras estão sendo processadas no Instituto Pasteur em São Paulo e no Instituto Evandro Chagas, em Belém.

A equipe que iniciou a investigação é composta de técnicos do Departamento Epidemiológico e do Centro de Informações Estratégicas e Resposta em Vigilância em Saúde da Sespa, além de profissionais da Coordenação Estadual de Zoonoses do 8º Centro Regional de Saúde (CRS). As ações realizadas e em andamento são: investigação epidemiológica dos casos suspeitos, com a revisão de prontuários dos pacientes e entrevista de familiares nas localidades de residência; há também o apoio da Secretaria de Saúde de Melgaço, no registro de informações e atualização dos sistemas de informação.

Foram estabelecidos fluxos e protocolos para o manejo e referência dos pacientes, coleta e diagnóstico de investigação de doenças, com envolvimento da Vigilância em Saúde da Sespa, Ministério da Saúde, Santa Casa de Misericórdia do Pará, Hospital Municipal de Melgaço, Hospital Municipal de Breves, Laboratório Central do Estado (Lacen-PA) , Instituto Evandro Chagas, Hospital Barros Barreto e 8º CRS.

Outro fator importante, por parte da Sespa, é a liberação de vacina e soro antirrábicos humanos e vacina antirrábica animal, assim como material para controle seletivo de morcegos (quirópteros). Técnicos da Sespa e do Ministério da Saúde também fazem a investigação eco epidemiológica, organização, planejamento e execução das ações necessárias.

 

Por Edna Lima