Técnicos de saúde discutem planejamento das redes de atenção do SUS no Pará

Durante cinco dias, servidores da Sespa e os demais técnicos que atuam em unidades, centros e hospitais vinculados à Secretaria, estarão reunidos no auditório do Hospital de Clínicas Gaspar Vianna, em Belém, onde acontece o Encontro de Planejamento Integrado e Agenda Técnica da Vigilância em Saúde da Sespa, iniciado nesta segunda-feira, 08. O objetivo é promover a integração e fortalecer o processo organizativo e operacional da gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) no Estado.

O secretário de Estado de Saúde, Alberto Beltrame, fez a conferência de abertura do evento. Com o tema “Desafios do Estado para a Organização, Gestão e Financiamento do SUS”, o titular da Sespa historiou a trajetória do custeamento do Sistema ao longo de 30 anos de existência e ao mesmo tempo fez um diagnóstico das necessidades da população, pautado nos dados demográficos, perfil epidemiológico e socioeconômico das regiões de Saúde do Pará, vislumbrando diretrizes e metas para o setor a curto, médio e longo prazo.

O secretário de Estado de Saúde, Alberto Beltrame, durante a abertura do Encontro de Planejamento Integrado e Agenda Técnica da Vigilância em Saúde da Sespa.

“Tenho a convicção de que as deliberações desse encontro vão subsidiar a identificação das prioridades para a realização dos investimentos financeiros que visem os vazios assistenciais do SUS no Estado. Tanto que a participação dos representantes dos Centros Regionais e dos hospitais é essencial nesse momento de interatividade”, comentou.

O secretário Alberto Beltrame citou alguns desafios que a Sespa possui a curto prazo, como o restabelecimento da cobertura vacinal, com o apoio dos municípios que não conseguem cumprir metas; o aperfeiçoamento dos métodos de controle da raiva dos tipos animal e humana, e acompanhamento e monitoramento de contratos com Organizações Sociais de Saúde (OSs).

O diretor de Vigilância em Saúde da Sespa, Amiraldo Pinheiro.

De acordo com o Núcleo de Informação em Saúde e Planejamento (Nisplan), durante a programação de cinco dias, será elaborado o Planejamento Estratégico Situacional (PES) 2020/2023, com a contribuição de todos os setores da Sespa, envolvendo desde o Gabinete até os Centros Regionais de Saúde.

Segundo o diretor de Vigilância em Saúde da Sespa, Amiraldo Pinheiro, “o encontro possibilita a organização das ações de Vigilância em Saúde em todos os seus programas, permitindo uma maior integração com as áreas de Atenção Primária e de Média e Alta Complexidade. Assim como permitirá um monitoramento e avaliação de indicadores de forma mais sistematizada e consistente. A partir de tudo isso, espera-se, efetivamente, que possamos programar as ações conforme os perfis de risco de cada região”.

Programação – Nesta segunda-feira, 08, foram apresentados os indicadores de Saúde das Macrorregiões, pelo diretor de Vigilância em Saúde da Sespa, Amiraldo Pinheiro; a Metodologia e Plataforma de Trabalho do PES 2020/2023, pelo diretor do Nisplan, Luiz Otávio Costa; e a Análise Situacional, por todas as Diretorias da Sespa.

Durante toda a terça-feira, 09, a construção de uma metodologia regional estará em pauta a partir das explanações de técnicos e técnicas do Nisplan, mediante apresentação e pactuação de indicadores. Na quarta-feira, 10, pela manhã, técnicos e consultores do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) abordarão os temas “Regionalização e Organização das Redes de Atenção à Saúde”, “Organização de Consórcios Interfederativos de Saúde” e “Planificação da Atenção à Saúde” . Na sequência, pela tarde, haverá a reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) no hotel Princesa Louçã.

A partir da quinta-feira, 11, a agenda do encontro passa a agregar temas da área técnica de Vigilância em Saúde: “Instrumento de Monitoramento e Avaliação da Vigilância em Saúde”, “Instrumento de Monitoramento e Avaliação da Atenção Básica” e a dinâmica de debate “Construção do Trabalho Integrado nas Regionais de Saúde”.

Na sexta-feira, 12, o último dia do encontro segue com o temas  “Construção da Programação Orçamentária e Financeira – Execução das Ações Integradas – DVS” e “Construção do Trabalho Integrado nas Regionais de Saúde”.  A partir das pactuações e da análise da situação de saúde, serão, então, identificadas as necessidades e definidas as prioridades para o desenvolvimento de todo o trabalho da nova gestão da Sespa no Pará nos próximos quatro anos.

 

Você pode gostar...