Campanha de vacinação contra a gripe segue no Pará até 31 de maio

As Secretarias Municipais de Saúde sediadas no Pará devem prosseguir com a 21ª Campanha Nacional de Vacinação contra o vírus Influenza, estratégia do Ministério da Saúde (MS) para prevenir o avanço da gripe pelo país. As vacinas ficarão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde, mantidas pelas prefeituras, até 31 de maio.

FOTO: CARLA FISCHER / ARQUIVO ASCOM SESPA

A partir desta segunda-feira, 22 de abril, todos os públicos prioritários poderão se vacinar. Na primeira fase da campanha, até o dia 18, apenas crianças, gestantes e puérperas – mulheres em fase de pós-parto com até 45 dias – estavam sendo vacinadas.

Assim, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) orienta que poderão se vacinar crianças com idade entre seis meses e menores de 06 anos; grávidas em qualquer período gestacional; mulheres até 45 dias após o parto; trabalhadores da saúde; povos indígenas; idosos acima de 60 anos; professores de escolas públicas e privadas; pessoas de qualquer idade com doenças crônicas, como diabetes e outras condições clínicas especiais; jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas; funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade.

Foram incluídos para essa fase da campanha os profissionais das forças de segurança e salvamento, incluindo policiais civis, militares, bombeiros e membros ativos das Forças Armadas). Quem tomou a vacina contra a gripe em 2018, deve tomar novamente este ano.

A meta é vacinar 2.074.497 pessoas ou, no mínimo, 90% desse total, que corresponde a 1.838.439 pessoas. Para isso, o Pará está recebendo do governo federal 2.100.000 doses da vacina. A vacinação é a principal medida preventiva contra a gripe, porém o Pará não alcançou a meta de 90% entre as crianças menores de cinco anos na Campanha de 2018, sendo, portanto, a prioridade neste ano de 2019.

Segundo estatísticas do Pará contidas no site do Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde, na primeira fase da campanha, apenas 1,74% das crianças foram vacinadas em todo o Estado. Em relação às gestantes, o percentual de imunizadas ficou em 2,28%.  Já as puérperas, 2,62% foram vacinadas. Os dados estão disponíveis para apreciação pública no link (http://sipni.datasus.gov.br/si-pni-web/faces/relatorio/consolidado/vacinometroInfluenza.jsf

Como ocorre em toda campanha, os municípios são responsáveis pela aplicação das vacinas, ou seja, as doses estarão disponíveis em qualquer Unidade Básica de Saúde, nas salas das Estratégias de Saúde da Família e em outros locais definidos pelas gestões municipais.

Conforme explica a nota técnica da Divisão de Imunizações da Sespa, a vacina em questão é importante porque evita algumas complicações causadas pelo vírus influenza, como pneumonia e doenças cardíacas. Assim, ao tomar a vacina, a pessoa não se protege apenas contra a gripe, mas evita quadros mais graves relacionados com hospitalização e morte.

O informe também assinala que a vacina só é contraindicada para pessoas com histórico de reação anafilática prévia em doses anteriores ou que tenham alergia grave a ovo de galinha e seus derivados. Outra recomendação importante do Ministério da Saúde: as pessoas que tomaram vacina no ano passado devem repetir o esquema esse ano, pois a ação da vacina contra a gripe leva duas semanas para funcionar e dura cerca de 09 meses. A reaplicação é necessária porque a vacina oferecida em 2019 é diferente e resguarda o organismo contra outras mutações do vírus.

Orientadora da campanha no Pará, a Sespa recomenda que os profissionais das secretarias municipais de Saúde se empenhem em convencer a população a aderir à vacinação. No Estado serão 2.958 postos de vacinação fixos, além de 758 volantes terrestres e 62 volantes fluviais, com 21.350 pessoas envolvidas, incluindo 5.338 equipes de vacinação.

Você pode gostar...