Sespa reúne profissionais de Saúde para a oficina de planejamento regional integrado

A assessora técnica do Conass, Lourdes Almeida, uma das mediadoras da oficina

Com o objetivo de aperfeiçoar o atendimento nas redes de atenção à Saúde em todos os municípios paraenses, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) deu início nesta segunda (17), em Belém, à oficina para a construção do Planejamento Regional Integrado (PRI), em parceria com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), que têm orientado as secretarias estaduais de saúde neste processo. Até esta terça-feira, 18, a oficina reúne no auditório do Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação (CIIR) gestores estaduais, representantes do Ministério da Saúde, Conass, Cosems e secretários municipais de Saúde.

A oficina contou com a participação do secretário de Estado de Saúde Pública e presidente do Conass, Alberto Beltrame

A atividade parte dos princípios abordados pela Resolução da Comissão Intergestores Tripartite número 37, de 22 de março de 2018, que trata do Planejamento Regional Integrado (PRI) e da organização de macrorregiões de saúde, processo que irá agrupar, em todo o país, 438 regiões de saúde em 118 macrorregiões, também chamado de Regionalização. Cada ente federativo terá um perfil, de acordo com essa resolução. No Pará, o cenário envolve a divisão do território em 13 regiões de saúde (Resolução da Comissão Intergestores Bipartite – CIB/Pa no. 90/2013)  e quatro macrorregiões de saúde (I, II, III e IV), de acordo com a Resolução  da CIB/PA nº 140/18º.

A assessora de gabinete da Sespa e coordenadora da oficina, Debora Jares

Na prática, o foco da oficina é fazer com que a Rede de Atenção à Saúde seja reorganizada de maneira que atenda à população em todos os níveis de atenção: primário, secundário e terciário. “Nossa atuação até agora utilizava o conceito de Estado descentralizado por regiões de saúde, que coincidem de modo geral com as regionais das Secretarias Estaduais de Saúde (SES) e os componentes dos seus respectivos municípios. O desafio é constatar que grande parte dessas regiões não dispõe de equipamentos de atenção terciária”, explica a assessora técnica do Conass, Lourdes Almeida, uma das mediadoras da oficina. O PRI vai auxiliar na configuração das macrorregiões, de forma a auxiliar na organização das ações e dos serviços de saúde nessas áreas delimitadas geograficamente.

Para o secretário de Estado de Saúde Pública e presidente do Conass, Alberto Beltrame, é essencial que os mais de 100 participantes da oficina estejam atentos à cartilha da resolução e aos mecanismos propostos pela equipe técnica do Conass. “Utilizem esses meios para que possamos elaborar as melhores estratégias para fazer com que esse Planejamento Regional Integrado garanta às macrorregiões a resolutividade do atendimento à população”, explicou.

Durante a oficina, Alberto Beltrame conheceu as instalações do CIIR, conduzido pelo diretor executivo, José Neto.

Durante o evento, Alberto Beltrame e membros da equipe da Sespa conheceram as instalações do CIIR. Eles foram conduzidos pelo diretor executivo, José Neto. Ele parabenizou a equipe pelo atendimento oferecido aos usuários. “Estou absolutamente impressionado com que eu vi. Esse é o padrão que o Sistema Único de Saúde deve ter; um sistema organizado, com fluxos adequados, uma boa ambiência onde os trabalhadores se sintam bem, mas sobretudo, que os pacientes sejam acolhidos de uma forma adequada, carinhosa,  e que tenham seu cuidado realizado num ambiente agradável. A equipe está de parabéns. Esse é o exemplo SUS que dá certo”, ressaltou o titular da Sespa.

Fotos de José Pantoja (Ascom/Sespa)

Para a assessora de gabinete da Sespa e coordenadora da oficina, Debora Jares, é essencial que participem da atividade diretores dos Centros Regionais de Saúde atrelados à Sespa, integrantes do Cosems e profissionais do SUS atuantes em todas as Regiões. “Convidamos todos, porque é essencial que possamos chegar ao máximo de efetividade e resolutividade em saúde em cada macrorregião, a partir da visão em redes assistenciais e suas linhas de cuidado, para que cada uma, com o perfeito planejamento, amplie o acesso a serviços de saúde em todos os níveis de atenção”.

No primeiro dia, a atividade discorreu sobre o tema “A situação da regionalização da saúde do Estado”, seguida pela exposição “Redes, regionalização e planejamento regional integrado (PRI)”. A atividade  prossegue nesta terça-feira com momentos com trabalhos em grupos, em serão propostas definições de competências de algumas redes prioritárias, a exemplo da  materno-infantil.

Serviço: A oficina de planejamento regional integrado da Sespa acontece nos dias 17 e 18 de junho no Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação (CIIR), situado na rodovia Arthur Bernardes, 1000, em Belém.

Você pode gostar...