Sespa e Evandro Chagas fortalecem parceria pela Saúde Pública do Pará

Alberto Beltrame e Giselle Viana com as equipes da Sespa e do IEC

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e o Instituto Evandro Chagas (IEC) fortalecem parceria pela Saúde Pública no Pará. Foi o que ficou evidente durante reunião, nesta terça-feira (25), no auditório do IEC, em Ananindeua, com a participação do secretário de Estado de Saúde, Alberto Beltrame; da diretora do IEC, Giselle Rachid Viana e os representantes da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) do Ministério da Saúde, Sônia Brito e Geraldo Ferreira. A participação do secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, foi por meio de videoconferência, pois não conseguiu embarcar para Belém, como havia planejado.

Na abertura da reunião, a diretora do IEC, Giselle Viana, agradeceu pela oportunidade e confiança no seu trabalho como gestora do IEC juntamente com os profissionais de todos os setores do Instituto. “Estamos à disposição do Ministério da Saúde e com o objetivo de manter as atividades do Instituto Evandro Chagas de forma sustentável e alcançar voos mais altos e com olhar coeso para fortalecer a Saúde Pública do Brasil”, afirmou.

O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, enfatizou que o IEC faz parte da estrutura da SVS, tem mesmo nível de diretoria, é um importante componente do Sistema Único de Saúde (SUS) e deve contribuir com a construção da Política Nacional de Vigilância em Saúde.

Alberto Beltrme, secretário de Estado de Saúde Pública

Depois de expor a sua alegria em estar visitando o IEC pela primeira vez como titular da Sespa, Alberto Beltrame disse que o Instituto é uma das mais importantes marcas do sistema de saúde do Pará com reconhecimento nacional e internacional. “Eu espero que agora a Sespa possa ter uma relação mais próxima com o Instituto, porque nós temos muito para fazer em Vigilância em Saúde aqui no estado, onde há alguns indicadores preocupantes, como é a situação das baixas coberturas vacinais. Então uma parceria com o IEC é essencial para que a gente possa, com esse entendimento, mudar a realidade de Saúde aqui no Estado e, sobretudo, melhorar a Vigilância em Saúde que é muito frágil nos municípios, principalmente em função das distâncias, do tamanho do estado e existência de regiões muito pobres, como é o caso do Marajó, onde está o município com menor IDH do Brasil, que é Melgaço”, disse o secretário.

Sônia Brito, Geraldo Ferreira e Alberto Beltrame

Beltrame propôs que o Estado reforce essas ações para que seja possível mudar os indicadores de saúde. “Temos uma expectativa enorme que a gente possa, de fato, contar com o Instituto e com o Ministério da Saúde, para que a gente, primeiro, conheça melhor a realidade do estado, já que há deficiências no registro de informações e operação dessas informações em tempo real”, disse o secretário. “Então, eu espero que vocês contem com a Sespa quando precisarem , assim como eu tenho a expectativa de contar com o Ministério da Saúde”, concluiu Beltrame.

O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, parabenizou toda a Atenção Primária do estado do Pará pelo alcance da meta na Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe, com um índice 92%, que foi superior à meta média nacional e afirmou que a SVS é parceira da Sespa. “Nós temos que entender as especificidades de cada região, então, o estado do Pará pode contar conosco, nós temos que aprender com vocês como que é trabalhar nesse estado tão desigual do ponto de vista das realidades e como nós podemos contribuir como Secretaria de Vigilância em Saúde e Ministério da Saúde, para que vocês consigam atingir todos os cantos do Pará. Nós precisamos que vocês nos ajudem a conduzir e a contribuir com vocês, pois daqui de Brasília é muito difícil estabelecermos do que o Pará necessita nas suas especificidades”. Ele disse que o Ministério da Saúde pode contribuir com ideias, metodologias, estudos, mas, só o povo do Pará sabe o que é melhor para ele. “O IEC é a SVS no Brasil e no estado do Pará, então estaremos sempre de portas abertas”, assegurou Wanderson.

O diretor de Vigilância em Saúde da Sespa, Amiraldo Pinheiro, disse, por fim, que a relação entre a Sespa e o IEC é boa, mas pode melhorar ainda mais e colocou a sua Diretoria à disposição para fortalecer essa integração. Ele propôs a criação de uma Câmara Técnica com representantes da Sespa e IEC para a troca de informações e a elaboração de Notas Técnicas sobre as doenças e agravos que afetam o Pará.

Texto: Roberta Vilanova

Fotos: José Pantoja

 

Você pode gostar...