Ação do Julho Amarelo ofertará testes rápidos de hepatite na Praça da República

Deborah Crespo, chefe da Divisão de Controle das Doenças Transmissíveis

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) marcará o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, neste domingo (28), com uma grande ação educativa na Praça da República. O evento tem apoio da Sociedade Brasileira de Hepatologia (SBH) e encerra o Projeto Julho Amarelo, que levou atividades educativas e testes rápidos para o diagnóstico das hepatites B e C, aos municípios mais procurados pelos paraenses durante as férias de julho.

Segundo a médica hepatologista e chefe da Divisão de Controle das Doenças Transmissíveis, Deborah Crespo, o objetivo do evento é fortalecer as ações educativas para sensibilizar a população para fazer o teste rápido e tomar a vacina contra a hepatite B nos postos de saúde. “Além de distribuir panfletos sobre o assunto, estaremos na praça com a unidade móvel da Sespa e mil kits para teste rápido das hepatites B e C, tendo como público-alvo, principalmente, os diabéticos e pessoas com mais de 30 anos”, acrescentou a especialista.

Deborah explicou que os diabéticos fazem parte do público-alvo da ação porque um paciente com hepatite tipo C tem risco até quatro vezes maior de desenvolver diabetes tipo 2 em relação a indivíduos que nunca tiveram contato com vírus.  Ela sugere que a população visite a página “Tudo sobre fígado” (https://tudosobrefigado.com.br/)  mantida pela SBH.

Transmissão – As hepatites virais são inflamações do fígado causadas por cinco diferentes tipos de vírus: A, B, C, D e E. As hepatites B, C e D são transmitidas por sangue contaminado, relação sexual desprotegida e da mãe infectada para o filho na hora do parto. As hepatites B e C são consideradas as mais graves porque podem evoluir para cirrose ou câncer de fígado, sendo que a hepatite D só ocorre em quem tem hepatite B.

Já as hepatites A e E são transmitidas por água ou alimentos contaminados por fezes com os vírus, sendo que a hepatite A pode ser transmitida também por sexo oral sem preservativo.

Por serem doenças silenciosas, na maioria das vezes não apresentam sinais e sintomas, mas, quando se manifestam, o indivíduo pode apresentar fadiga, falta de apetite, enjoo, vômitos, urina escura, fezes esbranquiçadas, pele e olhos amarelados (icterícia), dor no estômago e diarreia.

Teste rápido de hepatite viral B e C

Notificação de casos – Conforme Deborah, em 2018, foram notificados 857 casos novos de hepatites virais, dos quais 390 do tipo B e 313 do tipo C. Em 2019, até o dia 23 de julho, tinham sido notificados 402 casos, dos quais 186 do tipo B e 174 do tipo C.

Para melhorar e ampliar a oferta de serviços, a Sespa tem trabalhado para descentralizar os serviços de diagnóstico e de tratamento, que, além da Região Metropolitana de Belém, já estão implantados nos municípios de Abaetetuba, Barcarena, Marabá, Parauapebas, Santarém e Tucuruí .

Só neste ano, de janeiro a julho, foram distribuídos 219 mil kits para teste rápido de hepatite B e 200 mil para hepatite C, pois esses testes são importantes para o diagnóstico precoce das hepatites B e C porque permitem o encaminhamento do paciente para realização de exames confirmatórios e início imediato do tratamento. Por isso é importante que a população tome conhecimento disso e procure os serviços disponíveis.

Prevenção – As principais medidas preventivas contra as hepatites B, C e D são: evitar contato com sangue, não compartilhar objetos perfurocortantes; usar material individual e esterilizado em tatuagens, piercings e serviços de manicure; e usar preservativo em todas as relações sexuais; e as gestantes também devem fazer o teste no pré-natal e tomar as três doses de vacina para hepatite B se nunca foram vacinadas.

Para evitar as hepatites A e E, as principais medidas preventivas são: lavar as mãos após ir ao banheiro, trocar fraldas, antes de comer ou preparar alimentos; lavar frutas e verduras com água tratada, clorada ou fervida; cozinhar bem os alimentos, principalmente mariscos e carne de porco; não tomar banho ou brincar em valões, riachos, enchentes ou perto de onde haja esgoto a céu aberto.

Existe vacina contra a hepatite B disponível nos postos de saúde para as pessoas de todas as idades e também vacina contra a hepatite A para as crianças de 12 meses até cinco anos de idade. Quem toma vacina contra a hepatite B fica protegido contra a hepatite D. Ainda não existe vacina contra a hepatite C.

Serviço: Os testes rápidos estão disponíveis nos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTAs) e nas Unidades Básicas de Saúde.

Texto: Roberta Vilanova

Fotos: José Pantoja

 

Você pode gostar...