Hospital Santa Rosa, em Abaetetuba, deve ser entregue à população em novembro

Fachada do hospital Santa Rosa, em Abaetetuba. Foto: Agência Pará

Com recursos do tesouro estadual, o Governo do Estado assumiu a realização de obras de reforma e ampliação do hospital Santa Rosa, de Abaetetuba, que deve atender não só moradores do município, como também de Cametá, Moju, Igarapé Miri, Baião, Mocajuba, Barcarena, Oeiras do Pará e Limoeiro do Ajuru.

O hospital ocupa uma área de 5.878 m², que abriga oito blocos, com 97 leitos (72 operacionais, 10 de UTI adulto e 10 de UCI neonatal), e mais cinco salas para pré-parto, parto e pós-parto.

Será um hospital de média e alta complexidade, com unidade de urgência e emergência com reanimação à vida; leitos de estabilização; 1 consultório de classificação de risco; 1 consultório de clínica geral; 1 consultório de serviço social e 1 consultório de enfermagem. Os serviços de diagnóstico e tratamento possuem laboratório de análises clínicas; métodos gráficos; raio-x; ultrassonografia com doppler; mamografia e ecocardiograma.

O governador Helder Barbalho visitou as obras do hospital no dia 09 de janeiro de 2019. Na ocasião, anunciou que o governo estadual faria uma auditoria e uma análise da aplicação da obra, visto que mais de 35 milhões de reais de recursos públicos foram utilizados na reforma do local.

Durante a visita técnica, foi constatado que o prédio apresentava inúmeros problemas, como infiltrações e vazamentos, ocasionados por erros construtivos que impediam o funcionamento da unidade de saúde pública.

Na sequência, a construtora responsável pelas obras retirou, no dia 17 de maio, o poste que havia sido deixado no bloco 1, dentro do prédio, onde fica o vestiário masculino. No mesmo mês, a retomada dos serviços foi viabilizada após acordo firmado entre a Sanecon, empresa responsável pelo projeto, e a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Obras públicas (Sedop), intermediado pela Auditoria Geral do Estado (AGE). Em julho, durante vistoria realizada nas dependências da unidade hospitalar, técnicos da AGE comprovaram que todas as pendências foram sanadas.

“A conclusão do hospital é um grande exemplo de como a conciliação resulta em benefício para a  sociedade. Aos poucos, vamos transformando  prejuízos em ações e serviços”, disse o auditor-geral do Pará, Giussepp Mendes. Ainda segundo o titular da AGE, “o trabalho da auditoria vai além da fiscalização. O objetivo não é apenas devolver ativos ao Estado, mas garantir a melhor aplicação do recurso público”, complementou.

No momento, o Santa Rosa está com 98% de obra construída e os equipamentos para o hospital estão sob apreciação da Gerência de Compras da Sespa, em processo de licitação ainda a ser recebido pela Comissão Permanente de Licitação (CPL), que deve adotar a adesão à ata de registro de preços – modalidade que pode acelerar a compra num prazo médio de 60 dias. A previsão de entrega do hospital equipado é para novembro de 2019.

Você pode gostar...