Laboratório Central do Estado terá plantão para análise de amostras

Lacen-PA fará análise de amostras humanas e de produtos

O Laboratório Central do Estado (Lacen-PA) e o Centro de Tecnologia e Informação em Saúde (CTIS) da Sespa estão garantindo todo o suporte necessário para o funcionamento do Centro Integrado de Operações, que vai monitorar os incidentes relacionados à saúde durante o Círio 2019.

O Centro de Operações fará a vigilância dos atendimentos de pessoas em unidades de pronto atendimento e prontos socorros com alguma situação clínica relacionada ao Círio de Nazaré. Serão monitoradas as doenças infecciosas, os danos físicos e os danos associados ao comportamento ou condições do público, ao meio ambiente e às atividades laborais.

As principais ações do Lacen-PA são realizar a análise laboratorial das amostras biológicas e de produtos enviadas durante o período de atividade do Centro de Operações; emitir em tempo oportuno os resultados para detecção de doenças e agravos de notificação compulsória imediata, quando necessário.

Alberto Júnior, diretor do Lacen-PA

Segundo o diretor do Lacen-PA, Alberto Júnior, disse que, desde o dia 8 de outubro, o Laboratório está com uma equipe 24 horas para receber as amostras e fazer a análise. “Nós estamos trabalhando para a entrega do resultado ser realizada no máximo em 24 horas, principalmente, nos casos suspeitos de sarampo e suspeitas de infecções alimentares”.

Ele disse que o Lacen-PA vai fazer análise tanto do alimento como da amostra humana. “Isso é um diferencial, porque até então, era feita a análise apenas da amostra humana e, nessa ação, estamos trabalhando juntamente com as Vigilâncias em Saúde, para que cheguem as duas amostras juntas”, disse Alberto Júnior. Ele chama a atenção dos romeiros para que observem bem os locais onde vão fazer as suas refeições, principalmente, no que se refere à higienização no acondicionamento e preparo dos alimentos.

Alberto disse ainda que é um trabalho novo que vai nos embasar para os próximo anos; “Nós vamos ter dados epidemiológicos e de atendimentos reais, porque até hoje, no Círio, tudo se mensura, mas nada é real. Então, a partir dessa ação conjunta, teremos dados reais para que a gente possa trabalhar em conjunto também nos próximos eventos e saber realmente o que anda circulando em casos epidemiológicos na Região Metropolitana de Belém e no estado”, concluiu o diretor do Lacen-PA.

Gustavo Rodrigues, Healley Monteiro e Cristiano dos Santos, do CTIS

Informática – Para o funcionamento do Centro de Operações também foi importante o trabalho do Centro de Tecnologia e Informação em Saúde (CTIS) da Sespa, que tem 12 profissionais atuando. O CTIS está responsável pela gestão de informática da sala onde o Centro está instalado, mantendo equipamentos, software e internet em bom funcionamento; apoiar na estruturação lógica da coleta de dados e migração da informação para o painel de monitoramento; e controlar os níveis de acesso dos dashboards (painéis) aos gestores.

“Além dos equipamentos, tivemos que aprender a utilizar o aplicativo do Epi info, que as equipes de Epidemiologia já usam para colher essas informações nas unidades de saúde e transmiti-las para o Centro de  Operações em tempo real”, informou o analista de sistemas, Gustavo Rodrigues.

O coordenador do CTIS, Cristiano dos Santos, considerou o trabalho bastante gratificante, principalmente porque demonstra a importância da tecnologia para as ações de saúde. “É envolvente agregar tecnologia com saúde para viabilizar pesquisas e estudos de caso e ajudar na tomada de decisões”, disse ele.

Para a realização desse trabalho, a Sespa conta com o apoio do Cievs Nacional e do Programa de Treinamento em Epidemiologia Aplicada ao SUS (EpiSUS) do Ministério da Saúde, da Associação Brasileira de Profissionais de Epidemiologia de Campo (Proepi), das Secretarias Municipais de Saúde de Belém e Ananindeua, da Defesa Civil, da Universidade da Amazônia (Unama) e da Faculdade Metropolitana da Amazônia (Famaz).

Texto: Roberta Vilanova

Fotos: José Pantoja

Você pode gostar...