Capanema comemora aniversário com a entrega do Hospital Regional dos Caetés

Quem mora no município de Capanema e precisa recorrer a um atendimento público especializado enfrenta uma longa viagem de 3 horas até Belém, distante 160 km da região.

“É complicado porque se a gente for pro hospital de Paragominas, são 5 horas de viagem. Então, o jeito é ir pra Belém, que são 3 horas. Pra mim fica ainda mais difícil porque meu TFD (Tratamento Fora de Domicílio – oferecido a usuários do SUS) não paga o gasto com transporte. Por causa da minha perna, eu não consigo dobrar os joelhos e viajar de ônibus. Então, alugo o táxi que cobra 120 reais”, disse João Ribeiro, ex-pedreiro, que se acidentou em 2015 e ficou inválido. Na época, ele foi atropelado no centro comercial de Capanema, fraturou o fêmur e o joelho e, sem assistência em trauma no município, precisou ser encaminhado para o Hospital Metropolitano e Urgência e Emergência, em Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém.

A história de João Ribeiro ilustra uma realidade de sofrimentos e sérias dificuldades no acesso à saúde pública, que começou a mudar nesta terça-feira (5), data em que Capanema completa 109 anos de emancipação política. Foi na data comemorativa para os habitantes do município que o governo do Estado inaugurou o Hospital Regional dos Caetés “Jorge Netto Costa”, iniciando uma nova história no atendimento à população. Estruturado com especialidade médica em traumatologia e cirurgia geral, o novo hospital se torna referência em assistência de média e alta complexidade, beneficiando a segunda região mais populosa do Estado, perdendo apenas para a Região Metropolitana de Belém.

O ato contou com a presença do governador Helder Barbalho, do vice-governador Lúcio Vale, e dos secretários de Estado de Saúde Pública, Alberto Beltrame, e de Desenvolvimento e Obras Públicas, Ruy Cabral.

“Essa inauguração reforça o compromisso do governador de colocar em funcionamento um grande hospital nessa região, que atende média e alta complexidade. Pela gestão anterior seria apenas uma maternidade. Mas o governador, atento ao pedido de um conjunto de prefeituras da região, ampliou o atendimento, mudando o perfil de especialização em traumato-ortopedia e cirurgia geral”, disse o titular da Sespa, Alberto Beltrame.

Na ocasião, o governador explicou que a mudança de perfil exigiu a compra de mais equipamentos e obras de mudanças internas de adequação, já concluídas. Ele também ressaltou que o Hospital, com essa referência, irá diminuir a demanda para a capital paraense. “Desde que tomei posse como governador deste Estado, venho falando que o nosso governo não aceita obra parada. E, hoje, estamos honrando com isto. Estamos entregando um sonho de décadas da população dessa região. Que esse Hospital sirva de retaguarda da UPA de Capanema e de outros municípios. Para que ninguém precise ser enviado de ambulância para Belém, e seja atendido aqui”, ressaltou Helder Barbalho.

O chefe do Poder Executivo  também assinou uma ordem de serviço para a execução da segunda etapa de obras na unidade. Os serviços serão para ampliar o atendimento clínico-ambulatorial e instalar um setor de hemodiálise. “Hoje entregamos plenamente um hospital com 48 leitos, 30 normais e 10 de UTI, e já estamos reformulando internamente para acrescentar mais 10 leitos imediatamente. Mas queremos ainda chegar a 100 leitos”, reiterou o governador.

O novo Hospital beneficiará uma população superior a 480 mil habitantes, de 16 municípios (Augusto Corrêa, Bonito, Bragança, Cachoeira do Piriá, Capanema, Nova Timboteua, Ourém, Peixe-Boi, Primavera, Quatipuru, Salinópolis, Santa Luzia do Pará, Santarém Novo, São João de Pirabas, Tracuateua e Viseu).

Também compareceram à solenidade de inauguração o presidente da Assembleia Legislativa do Pará, Daniel Santos, prefeitos da região e parlamentares, estaduais e federais, como o deputado Eduardo Costa.

Texto: Jackie Carrera

Foto: Marco Nascimento

Você pode gostar...