Ações de Saúde Itinerante alcançam objetivo em 2019

Aferição de pressão arterial e exame de glicemia capilar

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) faz um balanço positivo das 99 Ações de Saúde Itinerante realizadas durante o ano de 2019, por meio do Projeto Saúde por Todo o Pará e dentro do Programa Territórios pela Paz (TerPaz). Foram 79.102 procedimentos, dos quais 13.170 consultas médicas e 6.842 encaminhamentos por meio do Sistema de Regulação (Sisreg).

O trabalho é coordenado pela Diretoria de Políticas de Atenção Integral em Saúde (Dpais) em conjunto com o 1° Centro Regional (1°CRS), Diretoria de Vigilância em Saúde (DVS) e Diretoria de Desenvolvimento e Auditoria dos Serviços de Saúde (DDASS), sendo que no que tange ao TerPaz, a Sespa tem um Núcleo Gerencial para organizar as ações específicas do Programa.

Atividade educativa de Saúde Bucal

As ações abrangeram seis regiões do Pará, beneficiando as populações de 26 municípios, com consultas médicas nas áreas de Clínica Médica, Pediatria e Ginecologia, incluindo agendamento de consultas e procedimentos especializados, orientação nutricional, palestras educativas e preventivas sobre Saúde Bucal com entrega de kits de higiene bucal, Saúde da Mulher e Saúde do Homem, especialmente nos meses alusivos à prevenção do câncer do colo de útero, câncer de mama e câncer de próstata. Também foram disponibilizados testes rápidos de HIV, sífilis, hepatite B e C, distribuição de preservativos, aferição de pressão arterial, exame de glicemia, vacinas e emissão de cartão nacional SUS.

Receberam as ações de Saúde Itinerante os municípios de São João de Pirabas, Peixe-Boi, Nova Timboteua, Santarém Novo, Quatipuru, Primavera e Capanema na Região dos Caetés; Nova Esperança do Piriá, Bujaru, Capitão Poço e Irituia na Região do Capim; Curralinho, Salva Terra, Soure, Anajás, Portel, Melgaço, Afuá, Breves e Muaná, na Região do Marajó; Tailândia, Moju, Abaetetuba e Baião, na Região do Tocantins; Maracanã e São Caetano de Odivelas, na Região do Guamá; e Belém, Ananindeua e Marituba, na Região Metropolitana.

TerPaz – Na Região do Guajará, as ações foram realizadas por meio do TerPaz, implantado pelo governo do Estado com o objetivo de reduzir a vulnerabilidade social e a violência, a partir da articulação de ações de Segurança Pública e ações de cidadania em sete bairros de Belém, Ananindeua e Marituba. A coordenação geral é da Secretaria de Articulação da Cidadania (Seac).

A Sespa é integrante do TerPaz desde o seu início, em julho de 2019, e participou levando atividades educativas e serviços de saúde às comunidades dos bairros do Guamá, Terra Firme, Jurunas, Cabanagem e Benguí, em Belém; Icuí Guajará, em Ananindeua; e Nova União, em Marituba, contribuindo para a redução da demanda reprimida na área de Atenção Primária, oferecendo consultas médicas e agendamento de procedimentos especializados.

Sâmia Borges, diretora de Políticas de Atenção Integral à Saúde

“Compondo as ações do TerPaz, a Sespa fica mais próxima da população mais vulnerável, que está sem acesso à Atenção Primária em Saúde, mas que consegue esse tipo de assistência nas ações de prevenção, promoção da saúde e consultas médicas ofertadas pelo TerPaz. E quando é identificado um usuário que precisa de uma atenção mais especializada, é imediatamente agendada a consulta e ele já sai com dia e hora em que será atendido na atenção ambulatorial especializada. Então o TerPaz é um ganho para a população porque ele leva cidadania a todos”, disse a diretora de Políticas de Atenção Integral à Saúde, Sâmia Borges.

Foi numa ação do TerPaz, inclusive, que uma mulher grávida descobriu que tinha o vírus HIV e pôde ser encaminhada para o Projeto Nascer, na Unidade de Referência Materno Infantil e Adolescente (Uremia), onde toda gestante reagente ao HIV que segue o protocolo clínico da transmissão vertical pode ter seu bebê livre do vírus HIV. Essa história demonstra o quanto é importante ir até onde está a população sem acesso à saúde.

De julho a dezembro de 2019, foram realizados 39.046 procedimentos, sendo 11.378 na Cabanagem, 5.412 no Benguí, 4.205 na Terra Firme, 4.042 no Guamá, 2.421 no Jurunas, 5.773 no Icuí, e 5.815, no bairro da Nova União.

Alessandra Amaral, coordenadora estadual de Saúde Bucal

Para a coordenadora estadual de Saúde Bucal e representante do TerPaz na Sespa, Alessandra Amaral, que integra a Câmara Técnica do TerPaz, a paz não depende só de ações no âmbito da Segurança Pública. É importante que todos os serviços estejam integrados e presentes nos bairros, principalmente, Saúde, Educação, Trabalho e Cultura. “Ampliamos o acesso da população à saúde e solucionamos demandas reprimidas de exames, consultas, inclusive, cirurgias nos territórios. Esse desafio será superado a cada ano com ampliação de serviços com o intuito de mudar a atual realidade da saúde dos territórios, além de buscar melhorias para a área e atendimentos mais humanizados”, comemorou a coordenadora estadual.

 

 

Texto: Roberta Vilanova

Fotos: José Pantoja

Você pode gostar...