Hospital Regional dos Caetés começa 2020 realizando procedimentos de neurocirurgia

* Texto de Caroline Rocha.

Nos próximos dias um adolescente de 16 anos, residente na zona rural do município de Tracuateua, receberá alta médica após passar por um procedimento de neurocirurgia realizado no Hospital Regional dos Caetés “Jorge Netto Costa”, em Capanema. Ele foi o terceiro paciente a fazer o procedimento na Unidade.

Nas primeiras horas do dia 1º de janeiro o estudante sofreu um acidente automobilístico e devido à gravidade do caso foi transferido para receber atendimento no Regional dos Caetés. No último dia de 2019, a equipe médica do Hospital Regional dos Caetés passou a 00h dentro do bloco cirúrgico, onde realizou as três primeiras neurocirurgias no Regional. Trata-se de um marco para a saúde pública do Estado do Pará, pois antes, estes pacientes eram transferidos para Belém, tendo que percorrer mais de 160 km para receber atendimento.

O Regional foi inaugurado no dia 11 de novembro pelo governador Helder Barbalho e possui 49 leitos para atender a demanda de 16 municípios da região, nas especialidades de cirurgia geral e traumatologia, contribuindo para a redução do fluxo de pacientes para a Região Metropolitana, beneficiando uma população superior a 480 mil habitantes.

Para Carlos Alberto Araújo Neves, pai do adolescente, sabendo que antes do funcionamento do Regional seu filho teria que realizar a cirurgia em Belém, o Regional dos Caetés está sendo importante para a agilidade no atendimento de quem mais precisa na região. “O Hospital Regional chegou na hora certa e graças a Deus salvaram a vida do meu filho. Só peço que mantenham esse atendimento na nossa região, que é muito carente. Se não tivesse aqui, nessa época de final de ano, ia ser muito difícil. Ia ser mais complicado se ele tivesse que ir para Belém, pois ia demorar mais e o caso dele era grave. Então, estando aqui perto de casa, foi muito bom”, avaliou.

Os três primeiros pacientes operados no Regional dos Caetés estavam com quadro de saúde grave, poli-traumatizados, com comprometimento neurológico. “Com a oferta deste serviço, o Regional dos Caetés passa a realizar procedimentos que vão reduzir o tempo de espera, assegurando uma rápida interferência médica que pode salvar vidas e desafogar o atendimento na capital do Estado”, disse o neurocirurgião Milton Francisco de Souza Júnior, responsável pela condução dos procedimentos.

A primeira cirurgia ocorreu ainda na noite do dia 31. O paciente, um morador do município Tracuateua, de 26 anos, sofreu um trauma cranioencefálico grave e a cirurgia teve duração de 1h48. Já a segunda cirurgia foi um procedimento chamado de Craniotomia, indicado para a redução imediata da pressão intracraniana. O paciente, também morador de Tracuateua, de 52 anos, esteve no bloco cirúrgico por 1h52.

Você pode gostar...