Sespa avança com a Política de Atenção Integral à Saúde do Homem

Sérgio Lopes faz exames depois de 15 anos

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) superou a meta pactuada para a realização das ações na área de Saúde do Homem e entre os principais resultados estão o aumento no atendimento nos serviços básicos de saúde e na realização de exames especializados para a população masculina.

Segundo o coordenador estadual de Saúde do Homem, Diego Cutrim, os principais desafios para o futuro são definir as linhas de cuidado para o homem dentro da Rede Estadual e de um indicador para o acompanhamento e avaliação da implantação do Programa Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH).

A diretriz dessa política é promover ações de saúde que contribuam significativamente para a compreensão da realidade singular masculina nos seus diversos contextos socioculturais, políticos e econômicos, respeitando os diferentes níveis de desenvolvimento e organização dos sistemas locais de saúde e tipo de gestão do Estado e Municípios. “Assim, o objetivo é facilitar e ampliar o acesso masculino aos serviços de saúde, a partir da Atenção Básica, com a finalidade de reduzir a taxa de morbimortalidade”, disse Cutrim.

Diego Leite, coordenador estadual de Saúde do Homem

Sobre as ações realizadas durante o ano de 2019, Cutrim apontou as oficinas para a implantação e implementação da PNAISH, e Pré-Natal do Parceiro nas Regiões do Rio Caetés (Bragança) e Metropolitana I (Belém); campanhas Maio Amarelo e Novembro Azul. “No Maio Amarelo, realizamos um movimento para sensibilizar a população sobre os resultados da negligência e violência no trânsito; e no Novembro Azul, sensibilizamos a população masculina sobre a importância de cuidar da sua saúde, com um conjunto de ações educativas em diversos municípios”, relatou Diego Cutrim.

A Coordenação Estadual de Saúde do Homem também realizou quatro oficinas para a qualificação da PNAISH, Pré-Natal do Parceiro e Vida no Trânsito nas Regiões Caetés (Capanema), Araguaia (Conceição do Araguaia e Redenção), Carajás (Marabá) e Baixo Amazonas (Santarém); e quatro monitoramentos nas Regiões do Caetés (Capanema), Araguaia (Conceição do Araguaia, Redenção), Carajás (Marabá) e Baixo Amazonas (Santarém).

Texto e fotos: Roberta Vilanova

Você pode gostar...