Lacen-PA faz treinamento em coleta de amostras de casos suspeitos de Covid-19

Ilvanete Almeida fala sobre o fluxo laboratorial (Foto: Pedro Guerreiro)

O Laboratório Central do Estado (Lacen-PA) realizou, nesta quarta-feira (04), mais um Treinamento em coleta e transporte de amostras de casos suspeitos de Covid-19, destinado a técnicos dos Centros Regionais de Saúde da Sespa e hospitais públicos e privados.
O objetivo foi atualizar os profissionais sobre os procedimentos que devem ser cumpridos para que a amostra de material coletado de paciente com suspeita de Covid-19 chegue em condição adequada para ser analisada pela Secção de Virologia 1 da Divisão de Biologia Médica do Lacen-PA.

Durante o evento, o Lacen-PA recebeu a informação do Ministério da Saúde de que foi escolhido para fazer o diagnóstico laboratorial do SARS-CoV2 e receberá kits específicos para isso. Os técnicos do Lacen-PA serão capacitados pela Fiocruz assim que os kits chegarem, o que deve ocorrer na próxima semana, pois a Fiocruz ainda produzirá esses kits para distribuição.
O treinamento contou com a presença de profissionais do 2º, 5º, 7º, 10º e 12º CRSs, Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT) (Altamira), Hospital Regional Público do Araguaia (HRPA) (Redenção), Hospital Regional Dr. Abelardo Santos (HRAS), Hospital Regional de Conceição do Araguaia, Hospital Regional de Cametá e Hospital Santa Luísa de Marilac (Cametá).

Secretário de Saúde Alberto Beltrame (Foto: Pedro Guerreiro)

O secretário de Estado de Saúde, Alberto Beltrame, esteve presente e levou uma mensagem de tranquilidade aos participantes do treinamento. Ele disse que apesar de representar um grande desafio para o Sistema Único de Saúde (SUS) lidar com um novo vírus SARS-CoV2, o Sistema está preparado porque tem experiência com esse tipo de enfrentamento como H1N1 em 2009 e o Zika vírus em 2015. “Diferente de outros países, o Sistema de Saúde do Brasil garante a adoção de critérios únicos em todo o país e nos torna melhor preparados para enfrentar o novo coronavírus”, disse o titular da Sespa.
Beltrame alertou, no entanto, que ainda se conhece pouco do comportamento do coronavírus, apesar de ter registrado taxa de mortalidade baixa até o momento. “Pode ser que tenha sazonalidade semelhante à do H1N1, mas isso ainda não está confirmado. Por isso é importante que as três esferas de governo estejam com suas ações alinhadas para manter a vigilância e proteger a população. Ele agradeceu a cada um dos profissionais por manterem o compromisso com a sua comunidade.

Demonstração de coleta de amostra (Foto: Pedro Guerreiro//Secom)

O diretor do Lacen-PA, Alberto Júnior, deu boas-vindas aos participantes e lembrou que esse tipo de treinamento já faz parte da rotina do Lacen-PA, que além de realizar diversos tipos de análises, é responsável pela preparação dos profissionais dos Centros Regionais de Saúde da Sespa, hospitais públicos e privados “Queremos ampliar o número de pessoas capacitadas nos municípios para realizarem esse trabalho”, disse Alberto Júnior.

Além da capacitação, o Lacen-PA fornece para os hospitais públicos e privados e para os laboratórios privados que prestam serviços para os hospitais públicos todo o material de coleta, ou seja, o meio de cultura, o swab de coleta e a caixa para transporte.

Ana Kelly da Silva e Valnete Andrade

Segundo a vice-diretora do Lacen-PA, a coleta de amostra de casos suspeitos de Covid-19 é semelhante à coleta de H1N1, portanto, na verdade, a maioria dos profissionais está passando por uma atualização, para seguirem corretamente o protocolo laboratorial. “É muito importante fazer essa atualização para que haja pessoas preparadas para atender às situações que ocorrerem, já que o novo vírus pode entrar por qualquer município do estado”, ressaltou.

Valnete disse que o Lacen-PA se preparou para essa situação e é fundamental que os municípios também estejam. “Se cada um fizer o seu papel corretamente, o fluxo laboratorial ocorrerá tranquilamente”, afirmou.

Programação – A parte teórica do treinamento foi ministrada pela farmacêutica-bioquímica Ana Kelly Gomes da Silva, da Divisão da Rede de Laboratórios; e pela farmacêutica Ilvanete Almeida, da Seção de Virologia 1, da Divisão de Biologia Médica.
No primeiro momento, Ana Kelly apresentou a legislação atual e falou sobre o trabalho que o Lacen-PA desenvolve junto à Rede de Laboratórios do Pará, principalmente, como instituição de capacitação profissional.

Marcus Flávio Mesquita, biomédico do 12º CRS

Em seguida, Ilvanete Almeida apresentou todas as etapas do processo que deve seguido para a coleta, armazenamento e transporte da amostra de casos suspeitos de Covid-19. “A coleta pode ser feita tanto numa unidade de saúde, quanto num hospital, como em casa, o importante é atender aos critérios epidemiológicos estabelecidos pelo Ministério da Saúde. Mas é fundamental que a coleta seja feita em tempo hábil e enviada para o Lacen-PA de acordo com o padrão”, explicou a farmacêutica.

O biomédico Marcus Flávio Magalhães Mesquita veio de Conceição do Araguaia, representando o 12º CRS da Sespa. Ele informou que já estava treinado para a coleta de H1N1 e que o objetivo dele é repassar todas as informações para os profissionais responsáveis pela área laboratorial dos 15 municípios que compõem do 12º CRS. “A forma de coleta é basicamente a mesma do H1N1, mas foi frisado bastante aqui a importância de a coleta ser bem feita, porque isso é muito importante para a obtenção do resultado em casos suspeitos de Covid-19”, disse o biomédico.

Enfermeira Salma Lopes Lujan e a biomédica Edlainny Ribeiro

A enfermeira Salma Lopes Lujan e a biomédica Edlainny Ribeiro vieram de Redenção, onde atuam no Hospital Regional Público do Araguaia (HRPA) e estavam satisfeitas com as informações recebidas.

Edlainny Ribeiro, que já estava treinada em H1N1, ficou mais tranquila após as exposições que ouviu. “Nossa preocupação, agora, é repassar essa tranquilidade para os colegas. Pois se a gente seguir o protocolo e usar os EPIs de forma correta, estaremos preparados para atender aos casos suspeitos de Covid-19”, afirmou a biomédica.

Texto: Roberta Vilanova

 

Você pode gostar...