No Pará, vacinação contra gripe terá mais 32 postos para pessoas acima de 60 anos

A partir da próxima segunda-feira (23), a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) iniciará a 22ª Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza no Pará (vírus causador de gripe), organizada em parceria com o Ministério da Saúde (MS). A Campanha prosseguirá até 22 de maio, dividida em três fases.

Diante da pandemia da Covid-19, e das consequentes recomendações para evitar aglomerações, o governo do Estado implementará uma estratégia de descentralização dos postos de vacinação para priorizar o atendimento a grupos de risco. “Além de manter a vacinação nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), vamos trabalhar em parceria com as farmácias, supermercados e shoppings para melhorar a distribuição do serviço”, informa o titular da Sespa, Alberto Beltrame. Serão 32 novos pontos de vacinação – 13 em farmácias, 13 em supermercados e seis em shoppings.

A Sespa também anuncia outra medida para ampliar a cobertura da Campanha. “Se há um idoso em casa, é natural que as pessoas fiquem com medo de se deslocar para as Unidades Básicas de Saúde. Por isso, vamos fazer, pela primeira vez no Pará, um drive thru de vacinação. Tudo será sinalizado, e teremos uma equipe adequada para realizar os atendimentos”, reitera o secretário. “O técnico de Enfermagem pode entrar no carro para realizar a vacinação ou, se for necessário, o paciente entra em uma cabine, montada nessa estrutura, para tomar a vacina e seguir de volta para casa. Isso garante a menor exposição de quem vai se vacinar”, completa Alberto Beltrame.

Os primeiros grupos prioritários para imunização, a partir da segunda-feira (23), são pessoas acima de 60 anos – único público a ser vacinado nos 32 postos descentralizados -, e os profissionais de saúde. Estes devem procurar as Unidades Básicas. A segunda fase da Campanha, a partir de 16 de abril, priorizará professores, profissionais das forças de segurança e salvamento, além de doentes crônicos. A partir de 09 de maio, serão vacinadas crianças de seis meses a menores de seis anos (5 anos, 11 meses e 29 dias), pessoas com mais de 55 anos, gestantes, mães com até 45 dias após o parto, população indígena e pessoas com deficiência.

Vacinação simultânea – Haverá uma ação simultânea para que o público também se vacine contra o sarampo. “As pessoas acima de 60 anos não precisam se vacinar contra o sarampo, mas o público, em geral, precisa. Por isso, a partir da segunda etapa, vamos também associar à cobertura vacinal de sarampo. Vamos fazer as duas vacinas, influenza e sarampo, buscando a maior proteção para os paraenses”, assegura Alberto Beltrame.

Em 2019, o Ministério da Saúde colocou à disposição dos estados 50 milhões de doses de vacina. Neste ano, serão disponibilizadas 75 milhões, o que representa 50% a mais em comparação ao ano passado. A Sespa contará com mais de 400 mil doses extras. Segundo o secretário de Saúde Pública, “a expectativa de alcance para este ano é muito positiva. No ano passado, já tivemos excelentes resultados, porque historicamente, em média, campanhas vacinais alcançam cerca de 40% de cobertura. Nós conseguimos na Ilha do Marajó, a partir de um trabalho intensivo em conjunto com as prefeituras, atingir 89% da população”.

Texto: Giovanna Abreu (SECOM)

Você pode gostar...