Governo contrata Hospital Santa Clara para retaguarda no atendimento a pacientes de Covid-19

A rede pública de saúde do Estado ganhou o reforço de mais 70 novos leitos, depois de o governador Helder Barbalho assinar, nesta quinta-feira (26), o contrato de locação do Hospital Santa Clara, que funciona no bairro do Marco, em Belém. O governador e o secretário de Estado de Saúde Pública, Alberto Beltrame, fizeram uma visita técnica às instalações da unidade, que está sendo reativada após passar por readequações. O Hospital Santa Clara é da rede particular, e ficou fechado após notificação da vigilância sanitária.

O objetivo desta locação é usar, integralmente, o hospital para atender somente pacientes diagnosticados com o novo Coronavírus, desafogando o fluxo de pacientes que precisarão de atendimento em unidades de referência, como os 11 hospitais regionais, a Santa Casa de Misericórdia, o Hospital Universitário João de Barros Barreto e outras unidades da rede particular que disponibilizaram leitos.

“O paciente que está com baixa complexidade e foi atendido num hospital de referência será encaminhado para o ‘Santa Clara’. Por exemplo, aquele que já passou pelo tratamento semi-intensivo e precisa ir para um apartamento, um leito sem necessidade de maior intensividade, vai para o ‘Santa Clara’. Tudo isso é um reforço preventivo”, esclareceu o governador.

A iniciativa do governo deixará um legado importante, após o período de enfrentamento à Covid-19, para a saúde do Estado, pois o contrato continuará em vigor mesmo após o término da pandemia no Pará. O perfil de atendimento do novo hospital ainda será definido, mas deve ser voltado para pediatria.

Parcerias – A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) recebeu, por meio de uma parceria com a empresa Natura, doações de materiais de higiene e proteção. Foram entregues e serão distribuídos pela Cruz Vermelha 3 mil sabonetes doados pela Natura. O Estado recebeu também 2.500 macacões impermeáveis da empresa Jari Celulose, que serão logo entregues aos hospitais para proteção dos profissionais de saúde.

Ainda dentro das ações de proteção, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), por meio da Fábrica Esperança, que integra o programa de ressocialização de egressos do sistema prisional, produzirá 10 mil máscaras por dia. O material será usado por trabalhadores das áreas de saúde e segurança.

Boletim atualizado – No Pará, subiu para 13 o número de pessoas infectadas com o novo Coronavírus nesta quinta-feira. Em isolamento domiciliar, todos apresentam um quadro de saúde estável. Segundo o boletim divulgado pela Sespa, de ontem (25) para hoje (26) foram confirmados mais seis casos. Os dados atuais mostram que quatro municípios são focos de contágio: Belém (com sete pacientes), Ananindeua (4) e Castanhal (1), todos na Região Metropolitana de Belém, e Itaituba (1), no sudoeste paraense.

Na entrevista coletiva concedida hoje à noite, o governador informou que os quatro pacientes de Ananindeua se conhecem e tiveram contato entre si, representando os três primeiros casos de transmissão local de Covid-19. “Uma mulher de 35 anos teve contato com o primeiro caso confirmado em Ananindeua. E o esposo, de 26 anos, pegou dela. Os dois tiveram contato com a mulher que foi o 6º caso confirmado no Estado, e que teve passagem por São Paulo, Rio Grande do Sul e Distrito Federal”, pontuou Helder Barbalho.

Os dois casos no interior do Estado foram importados de Fortaleza (Ceará) e da Europa: Uma mulher de 24 anos, moradora de Itaituba, e outra de 47 anos, residente em Castanhal. Até hoje, são 13 confirmados, 441 descartados e 97 em análise.

Segundo o governador, “é natural que haja aumento do número de casos. Estamos fazendo todas as medidas preventivas para diminuir o número de pessoas contagiadas e o ciclo dessa crise”.

O secretário Alberto Beltrame ressaltou que a elaboração e a divulgação do boletim epidemiológico da Sespa seguem os protocolos do Ministério da Saúde, priorizando responsabilidade e transparência. “É importante transmitir informações claras, precisas e confiáveis. Temos que ter uniformidade e centralidade nas informações. Isso não é um campeonato de quem anuncia primeiro. A Sespa jamais libera dados sem checar antes, com ética e cuidado”, enfatizou o titular da Sespa.

O governador também anunciou a chegada, na noite de hoje, da equipe de profissionais que montará os quatro hospitais de campanha, com 720 leitos no total. O trabalho de instalação dos hospitais deve ser iniciado na próxima segunda-feira (30).

Fiscalização fluvial – Helder Barbalho informou que o Pará também está reforçando a fiscalização nas divisas e rios, por meio do Grupamento Aéreo (Graesp), para evitar descumprimento do decreto estadual que proíbe o transporte interestadual de passageiros.

“Vamos usar uma aeronave modelo Caravan e um helicóptero para monitorar as fronteiras, porque tivemos informações de que na região oeste do Estado embarcações vindas do Amazonas estariam descumprindo o decreto que determina a proibição de transporte coletivo de passageiros de outros estados para dentro do Pará”, disse Helder Barbalho.

Educação – A secretária de Estado de Educação, Elieth Braga, voltou a participar da coletiva, orientando os alunos da rede estadual sobre o Programa ‘Todos em Casa pela Educação’, uma parceria com a Fundação de Radiodifusão do Pará (Funtelpa) e o Sistema Educacional Interativo (SEI). As videoaulas serão transmitidas a partir de segunda-feira (30), às 15h15, pela TV Cultura, e o conteúdo programático e outras atividades ficarão disponíveis pelo aplicativo “Rede Cultura”.

“É uma ação inovadora e interativa. Os alunos poderão assistir às aulas, falar por mensagem com os professores e ainda postar selfies estudando em casa. O acesso às mídias é feito pelo aplicativo ‘Rede Cultura’. Estamos fazendo isso pra não haver prejuízo aos alunos com a suspensão das aulas”, reiterou a secretária.

Foi anunciado ainda que, a partir desta sexta-feira (27), deve começar a distribuição de cestas básicas para alunos de mais de mil escolas estaduais.

O investimento é de R$ 69 milhões. A distribuição seguirá um calendário por escola para evitar aglomerações e a retirada dos alimentos em dia e horário inadequados. O calendário será divulgado pelo governo em veículos de comunicação e mídias sociais.

*Texto original de Jackie Carrera (Secom).

Você pode gostar...