Serviço de remoção ganha agilidade com equipes médicas remotas

O Serviço de Verificação de Óbito (SVO), de responsabilidade da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), iniciou nesta quinta-feira (7), o trabalho de emissão de declaração de óbito por meio de equipes médicas móveis para atender às demandas diretamente no domicílio, onde ocorreu o óbito. O médico vai analisar e providenciar a declaração de óbito, agilizando a liberação do corpo aos familiares durante a pandemia de Covid-19.

A principal mudança é que a declaração de óbito emitida pelo médico no local da ocorrência, elimina a necessidade de enviar o corpo ao SVO que funciona no mesmo prédio do Instituto Médico Legal (IML), para serem analisados pelos médicos legistas do SVO para que emitissem a declaração para, enfim, liberarem aos familiares.

Nesse sentido, com a declaração de óbito em mãos, os próprios familiares poderão acionar o serviço funerário contratado ainda em sua residência, para cuidar dos rituais fúnebres que os consistem. “O trabalho móvel do SVO durante a pandemia de covid-19 vai possibilitar que as famílias tenham a comodidade de fazer tudo em casa, sem a necessidade de espera para liberar seu familiar no prédio do IML”, disse Adriana Veras, coordenadora técnica do SVO.

A nova medida também vai desafogar o fluxo de carros de funerárias aos arredores do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPCRC). “Se o corpo removido de um domicílio não vem mais ao IML, vai ajudar também na organização dos carros funerários. Assim, o setor do SVO poderá atender melhor outras demandas”, completou Adriana Veras.

Apesar da rapidez e comodidade aos familiares, o acionamento da remoção em domicílio segue o mesmo trâmite existente. A família deve se dirigir a delegacia mais próxima de sua casa para fazer o boletim de ocorrência e , assim, a autoridade policial acionar o SVO.

Texto: Alexandre Cunha/CPC

Você pode gostar...