Pacientes comemoram a vitória pela vida e reconhecem apoio de profissionais da saúde

As palmas que anunciam a recuperação de pacientes da Covid-19 são as mesmas de quem, incansavelmente, arriscou a própria vida para deixar de pé, quem as recebeu. Talvez, nem todos os sinônimos da palavra gratidão sejam suficientes para explanar o reconhecimento de quem recebeu tanto carinho e dedicação durante o período de recuperação da doença.

Quem venceu e voltou para casa, reconhece essa dedicação e torce para que outras pessoas também tenham a mesma oportunidade de recomeçar. Manuel Souza, 54 anos, morador do município de Marituba, após cinco dias de internação no Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), na Região Metropolitana de Belém, pôde, finalmente, rever a família.

Pai de três filhos e com sete netos, ele explica que o apoio da família, dos profissionais do hospital e dos amigos, foram fundamentais para sua recuperação. “É um conjunto de apoios, estou muito feliz em voltar para casa, rever a família e comemorar a vida”, afirmou.

Desde que começou a atender pacientes com a Covid-19, o HPEG já deu alta para 37 pacientes, todos de leitos clínicos. Rodrigo Fauth, diretor hospitalar do HPEG, disse que “as altas são comemoradas, diariamente, no hospital, e a sensação é de dever cumprido. Juntos, sairemos fortalecidos desta pandemia”.

O HPEG foi referenciado pelo Governo do Estado para desafogar as Unidades de Pronto Atendimento e os prontos-socorros da Região Metropolitana de Belém e possui equipes altamente preparadas.

“São profissionais capacitados para enfrentar essa pandemia. Temos a oportunidade de dar um atendimento digno e humanizado à população paraense, permitindo que os usuários do hospital retornem para a sociedade curados e aptos para nos apoiar nesta crise”, reforçou Fauth.

“Primeiramente, agradeço a Deus. Depois, ao Hospital Galileu. Fui muito bem atendido aqui, desde o começo. O atendimento é excelente e eu só sinto gratidão a todos que aqui me atenderam. Vamos torcer para que, em breve, todos que estão na batalha possam se recuperar, assim como eu. Além disso, quero pedir para que todos fiquem em casa”, finaliza Manuel Sousa.

Texto: Rodrigo Reis/Emater

Foto: Marcelo Seabra/Ag. Pará

 

Você pode gostar...