Atendimentos a pacientes de Covid-19 caem 30% no Hospital Abelardo Santos

O Hospital Regional Dr. Abelardo Santos (HRAS), em Icoaraci, distrito de Belém, registrou um total 2.218 atendimentos no pronto socorro e ambulatório durante a primeira semana de junho (01 a 07/06). O número representa uma queda de cerca de 30% em relação à semana anterior (25 a 31 de maio), quando foram registrados 3.139 atendimentos.

Desde o dia 30 de abril, a Unidade recebe exclusivamente pacientes da Covid-19.  Durante a primeira quinzena do mês de maio, em todos os dias, os atendimentos diários superaram a marca de mil pacientes. O dia 8 de maio, por exemplo, registrou o número mais alto durante todo o período da pandemia até então: 1.639, desde que a unidade se tornou portas-abertas para casos do novo coronavírus.

Os dados divulgados pelo Governo do Pará indicam que, a partir do dia 09 de maio, a procura pelos serviços começou a diminuir chegando a 433 atendimentos no dia 24 de maio. Em comparação com a última semana do mês em relação à primeira de junho, houve uma queda de 30%. A média de atendimentos entre os dias 25 e 31 de maio foi de 448 atendimentos. Já entre os dias 1º e 7 de junho o número caiu para 316. No domingo (07) foram registrados apenas 227 no Abelardo Santos.

Descentralização – Entre as razões que podem explicar a redução está o atendimento descentralizado por meios dos postos itinerantes da Policlínica. Com a mudança de perfil, com foco na identificação e tratamento logo nos primeiros sintomas da doença, ajudou a evitar o agravamento dos pacientes.

O conceito também foi aplicado na modalidade móvel que começou a percorrer os municípios paraenses desde o dia 14 de maio, começando por Santo Antônio do Tauá. Além das cidades, a estrutura também passou a atender em bairros mais populosos da Região Metropolitana de Belém e áreas com intensa movimentação, como por exemplo o posto da Estação das Docas, que abrange o centro comercial da capital.

Hospitais de referência, como o HRAS, ficam dedicados aos cuidados dos casos mais graves. Desde que se tornou portas-abertas, o Abelardo já contabilizou 32.367 atendimentos.

Texto: Dayane Baía/Secom/

Foto: Marcelo Seabra/Ag. Pará

Você pode gostar...