Saúde da mulher é debatida em conferência estadual

Fotos: José Pantoja – Ascom/Sespa

Aconteceu hoje (04), a abertura da 1ª Conferência Estadual de Saúde da Mulher (Cesmu), no auditório do Belém Hall Eventos. O objetivo é formular diretrizes para o fortalecimento dos programas, bem como ações da política estadual de saúde nesta área. O evento que acontece até amanhã (05), realizado pelo Conselho Estadual de Saúde (CES), vinculado à Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa), recebeu cerca de 700 pessoas de todo o Estado.

 

“Essa é a primeira conferência de saúde voltada para mulheres. Já tivemos a etapa inicial, municipal, com plenárias e conferências. De lá, vieram propostas que somadas à etapa estadual serão lavadas ao Conselho Nacional de Saúde. Aqui vamos deliberar sobre as diretrizes para políticas públicas e a composição da delegação de 52 mulheres representantes do Estado à 2ª Conferência Nacional de Saúde da Mulher, que acontecerá entre 17 e 20 de agosto, em Brasília”, explicou Eunice Begot, presidente do CES.

 

Com o tema “Saúde da Mulher: desafios para integralidade com equidade” e o eixo principal “Implementação da Política Nacional de Atenção às Mulheres”, a programação reuniu mulheres, gestoras, de entidades de classe, movimentos sociais e instituições voltadas à saúde. A Conferência avaliou várias questões que ainda precisam avançar na política de saúde da mulher, a exemplo da mortalidade materna e do parto humanizado, bem como a melhoria do acesso e assistência à saúde, em prol da garantia dos direitos da usuária.

 

Fotos: José Pantoja – Ascom/Sespa

“Esse evento é de grande importância para o empoderamento da mulher paraense em busca de seus direitos. O que elas enfrentam no seu dia a dia, não é fácil. A mulher que trabalha na saúde se envolve muito com os sentimentos dos outros, então devemos ter também o nosso autocuidado, para cuidar do próximo. São dois dias construtivos com o encontro de diversas tribos da área da saúde”, disse Heloísa Guimarães, secretária Estadual de Saúde, em exercício.

 

Fotos: José Pantoja – Ascom/Sespa

“O grande objetivo da Conferência é somar, de uma forma bastante representativa, através das mulheres usuárias, trabalhadoras e gestoras do Sistema único de Saúde (SUS). Existem propostas que contemplam a necessidades desses três seguimentos e isso irá somar ao planejamento da saúde a nível nacional, estadual e municipal”, concluiu Eunice Begot.

 

“A mulher que provém à vida. Então é preciso focar todos os nossos esforços para garantir os direitos, que já são constituídos por lei, dentro de uma parceria de financiamento de ações, entre as três esferas de governo, para garantir a saúde integral da mulher brasileira, paraense, marajoara”, acrescentou Amauri Cunha, secretário estadual do município de Breves, vice-presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Pará (Cosems-PA), representando o presidente do Conselho, Charles Tocantins.

 

As temáticas debatidas durante o evento são relacionadas à situação da saúde da mulher e os determinantes econômicos, sociais e ambientais do adoecimento; o papel do Estado no desenvolvimento socioeconômico ambiental e seus reflexos na vida e na saúde das mulheres; o mundo do trabalho e suas consequências na vida e na saúde das mulheres; vulnerabilidades e equidade na vida e na saúde, bem como as políticas públicas e a participação social para esta área.

Fotos: José Pantoja – Ascom/Sespa

 

Conferências – A Conferência de Saúde da Mulher é a primeira de três eventos que deverão acontecer neste segundo semestre. A 12ª Conferência Estadual de Saúde do Pará está marcada para os dias 17 e 18 de outubro, e a 1ª Conferência Estadual de Vigilância em Saúde do Pará (1ª CEVS) para os dias 19 a 20 de outubro deste ano. Todos acontecerão em Belém.

 

 

 

 

 

 

Você pode gostar...