Cartão Nacional de Saúde - CNS
Conheça mais sobre o Cartão Nacional de Saúde e saiba como o Ministério da Saúde e a SESPA estão trabalhando para coletar de uma série de informações que irão auxiliar o cidadão nos atendimentos prestados pelo Sistema único de Saúde.
Prev
Next

Ministério desmente boatos sobre casos de Ebola no Brasil

Ebola_MSCom relação aos boatos que estão circulando nas redes sociais e por meio do aplicativo Whatsapp sobre Ebola, o Ministério da Saúde esclarece que não há caso suspeito ou confirmado da doença no Brasil. Vale ressaltar que o risco de transmissão para o país é considerado baixo. De acordo com os dados oficiais divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), os países acometidos pelo surto do vírus Ebola são Guiné, Libéria e Serra Leoa, todos situados na África Ocidental.

O Ministério da Saúde recebe, diariamente, informações da Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre a situação de circulação de vírus no mundo, inclusive o Ebola, além de quaisquer outras situações que possam se caracterizar como emergência de saúde pública. Como a doença é transmitida pelo contato direto com sangue, secreções, órgãos e outros fluidos corporais de pessoas ou animais infectados, a transmissão para outros continentes é considerada como pouco provável. A OMS não recomenda quaisquer medidas que restrinjam o comércio ou o fluxo de pessoas com os países afetados.

Saiba mais em perguntas e repostas sobre o Ebola:

http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/leia-mais-o-ministerio/197-secretaria-svs/14166-ebola-perguntas-e-respostas

22 ago 2014

Estratégias de combate ao escalpelamento serão discutidas em Seminário

Com o tema “Atenção integral às vítimas de escalpelamento no Pará: práticas de educação e saúde”, o Seminário Estadual de Prevenção aos Acidentes com Escalpelamento no Transporte Fluvial debaterá, pelo quinto ano consecutivo, essa situação que ainda é peculiar na região Norte do Brasil, mesmo o número de acidentes em declínio no Estado: em 2012 com 12 casos; 2013 com oito e, neste ano, com quatro casos, incluindo uma morte.

A ser realizado no auditório David Muffarrej, da Universidade da Amazônia (Unama), em Belém, o Seminário vai agregar ainda três momentos: o I Colóquio de Atendimento Escolar Hospitalar do Espaço Acolher, o II Seminário de Educação Popular e Saúde  e a Mostra Pedagógica de Escolas e Comunidades Ribeirinhas. O principal objetivo dessas iniciativas é erradicar esse tipo de acidente no Pará, segundo informa Socorro Silva, coordenadora estadual de Mobilização Social da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

Estarão em pauta a importância da mudança de hábitos, principalmente entre as populações ribeirinhas, e a aproximação dos profissionais que já estão engajados em programas de atenção integral às vítimas de escalpelamento executados pelo Estado em parceria com algumas instituições, como a Marinha do Brasil. “Com isso, queremos contribuir com as discussões e políticas de combate e prevenção ao acidente e intensificar a rede de apoio às vítimas e familiares, com práticas inclusivas de educação e saúde visando assegurar o pleno desenvolvimento dessas mulheres e acompanhantes”, explica Socorro Silva.

A Mostra Pedagógica de Escolas e Comunidades Ribeirinhas acontecerá no hall de entrada do auditório, com o objetivo de divulgar os trabalhos de educação e saúde desenvolvidos nos diversos municípios paraenses. Socorro Silva lembra que também haverá uma roda de conversa com os mestres carpinteiros da Região Amazônica e minicurso para profissionais da área da saúde com objetivo de prestar orientações para os primeiros atendimentos às vítimas de escalpelamento.

O escalpelamento é um acidente que pode levar à morte, causado quando os cabelos de passageiros ficam presos no eixo do motor das embarcações. A maioria das vítimas é formada por mulheres e crianças, que ficam com graves sequelas físicas e psicológicas. Grande parte das vítimas é oriunda dos municípios do Arquipélago do Marajó e do oeste paraense. De 1982 até julho deste ano foram registrados 403 acidentes com escalpelamento.

Desde quando se tornou lei federal, em 2009, a instalação da proteção no eixo é obrigatória. A Marinha do Brasil já realizou mutirões para a instalação gratuita da cobertura e, desde então, foram feitas 3.179 proteções de eixos.  A instalação não tem custo para o dono da embarcação porque é patrocinada por empresas privadas. A parceria também já promoveu outras campanhas de prevenção e mutirões, inclusive no interior do Estado, em que foram reforçados os compromissos com 36 comitês municipais de combate a esse tipo de acidente.

Em vésperas de datas especiais, como Carnaval, Círio de Nazaré e Natal, a Sespa distribui cartazes e material informativo em portos, com o objetivo de conscientizar turistas e ribeirinhos sobre o problema. Também são divulgadas informações sobre o atendimento às vítimas, que hoje é oferecido pelo Programa de Atenção Integral às Vítimas de Escalpelamento (Paives), realizado na Santa Casa, em Belém, e sobre o acesso ao Tratamento Fora de Domicílio (TFD), um benefício fornecido pelos municípios aos pacientes que precisam cuidar das sequelas fora da cidade de origem.

Esses e outros temas serão relembrados na programação do Seminário, realizado pela Diretoria de Políticas de Atenção Integral à Saúde e Coordenação Estadual de Mobilização Social da Sespa com apoio da Fundação Santa Casa de Misericórdia (FSCMPA) e Comissão Estadual de Erradicação de Acidentes com Escalpelamento (CEEAE) e pelos profissionais da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) que atuam na Classe Hospitalar da Escola Barão do Rio Branco, além de instituições de Ensino Superior parceiras.

Serviço: I Seminário Estadual de Prevenção aos Acidentes de Motor. Dias 27 e 28 de agosto, sempre a partir das 8 horas, no auditório David Muffarrej, da Universidade da Amazônia (Unama), em Belém. Mais informações pelo fone (91) 4006-4329.

21 ago 2014

Casos confirmados de dengue caem 72% em relação ao ano passado

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) divulgou nesta segunda-feira (4) o oitavo Informe Epidemiológico sobre a Situação da Dengue no Pará em 2014. De janeiro a 2 de agosto deste ano, foram notificados 6.907 casos suspeitos da doença, dos quais 2.164 confirmados. A queda no número de casos confirmados é de 72,29% este ano, em relação ao mesmo período do ano passado. (mais…)

05 ago 2014

Sespa faz lembrete sobre a prevenção às hepatites virais

Sespa vai ao terminal rodoviário para prevenir as hepatitesEm alusão ao 28 de julho, Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais,  neste sábado, 26, o distrito de Mosqueiro, na região metropolitana de Belém, será palco de uma mais uma força tarefa em favor da prevenção à doença. Juntas, equipes da Sespa, Susipe e Secretaria de Saúde de Belém (Sesma) estarão de 8 às 12 horas no caramanchão da praia do Chapéu Virado oferecendo serviços à população, que poderá se submeter a testes rápidos e vacinação contra a hepatite B. (mais…)

25 jul 2014