Atendimento inicia em Cametá e Policlínica Itinerante atua simultaneamente em dois municípios

Cametá é a quarta cidade a receber os serviços da Policlínica Itinerante

No início da manhã deste domingo (24), a Policlínica Itinerante iniciou o fluxo de atendimento aos pacientes com suspeita de Covid-19 no município de Cametá, na região Tocantins. A cidade é a quarta a receber a estrutura de saúde móvel voltada para atender os casos de média e baixa complexidade da doença.

Os atendimentos ocorrem no Centro Esportivo, que fica em frente ao Hospital Regional do Município. O espaço conta com consultórios, tomógrafo para realização de exames e uma equipe formada por 40 profissionais entre médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem.

Cleiciane Cunha é moradora da cidade e foi uma das primeiras a receber atendimento. “Eu cheguei logo cedo. Gostei do atendimento. Já tinha procurado consulta em hospital particular e não gostei. Aqui foi excelente. O governador está de parabéns”, frisou.

“Nós estamos trabalhando com macrorregiões para tentar cobrir os municípios que tem os maiores números de casos por 100 mil habitantes. Também absorvemos os pacientes das localidades vizinhas para resolver o máximo de casos” – Sipriano Ferraz, coordenador de Contingência da Policlínica.

Para auxiliar no diagnóstico, os pacientes que tiverem indicação médica passam por exames laboratoriais e de imagens em alta definição por meio de tomografia.

José Lopes: atendido e com os remédios para iniciar o tratamento

Seu José Lopes precisou realizar os exames para ter o diagnóstico mais preciso. Depois de cerca de 30 minutos, recebeu o resultado e o tratamento adequado. “Eu estava com o meu psicológico abalado sem ter o diagnóstico. Fiz os exames e agora vou tomar as medicações receitadas pela médica. Quero me tratar para voltar logo à rotina”, disse o pescador aliviado.

“Após colher a história clínica, auscultar o pulmão e avaliar a saturação de oxigênio do paciente, podemos lançar mão de uma Tomografia de Tórax, quando necessário, para já avaliar se o caso precisa de internação. Conseguimos identificar o caso logo no início. Isso é fundamental para evitar que a doença evolua”, explicou o coordenador.

Humanização – A unidade móvel conta com rampas de acesso para garantir a acessibilidade dos pacientes. Desta forma, pessoas com algum tipo de dificuldade na locomoção são consultadas. O cadeirante Edvaldo Campelo estava preocupado em não ser atendido, mas recebeu atenção e cuidados médicos redobrados. “Tem lugar que atende a gente bem, tem local que atende mal. Eu achei o atendimento aqui muito melhor. Volto aliviado pra casa. Agora vou tomar o remédio e ficar bem”, relatou.

O espaço conta com consultórios e tomógrafo (foto) para realização de exames

Até as 12h deste domingo, Cametá registrava 648 casos confirmados de Covid-19, 31 óbitos e a taxa de letalidade de 4.78%.

O objetivo do Governo do Pará, com esta ação, é dar suporte de atendimento à saúde aos municípios com os maiores números de casos de Covid-19.

Medicamentos – Azitromicina, hidroxicloroquina e cloroquina integram o protocolo terapêutico do Ministério da Saúde para o tratamento da doença e também são disponibilizados na Policlínica Itinerante. A decisão final do uso cabe aos pacientes, a partir de prescrição do médico, que também deve informar os efeitos colaterais.

O autônomo Manuel Melo ficou satisfeito com o atendimento

“Eu aguardei a minha vez de ser atendido e foi excelente. Agradeço a ajuda que veio. Eu estava preocupado com a pandemia, mas estou mais tranquilo porque estou saindo já com o medicamento em mãos”, afirmou o autônomo Manoel Melo.

Atendimento simultâneo – É a primeira vez que a Policlínica Itinerante atende, simultaneamente, em dois municípios do Pará. Além de Cametá, o governo do Estado iniciou ontem, o atendimento na cidade de Bragança, no nordeste paraense.

O projeto iniciou os atendimentos no interior do estado no dia 14 de maio, em Santo Antônio do Tauá, onde foram realizados 700 atendimentos. Castanhal foi a segunda cidade a receber a unidade móvel que atendeu 1.500 pessoas. Em Bragança, neste sábado (23), primeiro dia da ação no município, foram realizados 446 atendimentos.

Metropolitana – Já em Belém, o atendimento da Policlínica Metropolitana continua em funcionamento todos os dias da semana. Segundo a direção, desde quando o serviço na unidade foi direcionado para pacientes com sintomas leves e moderados de Covid-19, os procedimentos referentes a atendimentos de consultas, exames laboratoriais, de imagem e internações já passam dos 33 mil.

A médica Maitê Gadelha coordena o projeto em Cametá

A médica Maitê Gadelha, coordena o projeto em Cametá. A profissional de saúde e outros médicos que estão na Policlínica adiantaram a formatura de medicina pela Universidade do Estado do Pará (Uepa).

“Nós viajamos pra cá e atenderemos quantos pacientes forem preciso. Faremos o que for preciso para atender, até ir atrás de pacientes que não consigam vir aqui. Essa é a nossa missão”, revela Maitê.

Texto: Ronan Frias/Cohab

Fotos: Alex Robeiro/Ag. Pará

Você pode gostar...