Barco Hospital Papa Francisco ganha apoio do Estado para ações no Baixo Amazonas

O governador do Estado, Helder Barbalho, firmou nesta segunda- feira, 19, em Belém, um termo de fomento com a Associação Lar São Francisco de Assis na Providência de Deus, para uso do barco hospital Papa Francisco, mantido pela igreja católica, nas ações de atendimento médico, odontológico e outros serviços de saúde em cidades da região da Calha Norte, no Baixo Amazonas.

Além do governador, o documento foi assinado pelo secretário de Estado de Saúde, Alberto Beltrame, e pelo frei Francisco Belotti, representante da Fraternidade São Francisco de Assis na Providência de Deus.

Com 32 metros de comprimento, o barco deverá cobrir um percurso de mil quilômetros ao longo do Rio Amazonas, em território paraense, a fim de levar atendimento médico por meio do Sistema Único de Saúde (SUS) aos usuários que têm dificuldade de acesso aos serviços nos municípios de Alenquer, Almeirim, Curuá, Faro, Monte Alegre, Óbidos, Oriximiná, Terra Santa e Juruti. “São ações que vem ao encontro do nosso objetivo de prestar serviços de saúde por todo o Pará, onde quer que um morador deste Estado esteja, mesmo nas localidades de acesso restrito”, pontuou o governador Helder Barbalho.

Segundo Helder, esta parceria do governo estadual com a irmandade São Francisco permitirá estratégias de efetividade, de presença do governo e de ações que poderão salvar vidas das pessoas da Calha Norte. “O Pará possui um tamanho territorial que nos desafia sempre a descentralizar essas ações e fazer com que essas pessoas tenham acesso a esses serviços onde moram. Por isso é fundamental que nós olhemos aos centros urbanos, para as comunidades ribeirinhas, quilombolas e indígenas. Cada realidade é muito distinta e descentralizaremos o atendimento, seja o de média e de alta complexidade, mas acima de tudo seremos capazes de levar atendimento preventivo para as comunidades para evitar a doença, dar orientação e salvar a vida das pessoas”, disse.

O termo assinado prevê um apoio mensal da gestão estadual na ordem de R$ 397 mil. “Por um período de um ano, o termo permitirá funcionamento do barco que vai se deslocar por toda Calha Norte, reforçando os serviços da atenção básica e melhorando os indicadores de acesso e de qualidade de saúde para as pessoas que vivem nessas áreas tão afastadas dos centros urbanos localizados no Pará”, explica o secretário de Saúde do Estado, Alberto Beltrame.

As ações serão iniciadas pelo mapeamento da região, com objetivo de conhecer as principais necessidades das comunidades locais, e terão apoio das Secretarias Municipais de Saúde, líderes comunitários e do 9º Centro Regional de Saúde (CRS) vinculado à Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

O projeto, que funciona no barco, vai disponibilizar consultas médicas especializadas, atendimentos odontológicos, radiografias, mamografias, ultrassonografias, ecocardiogramas, testes ergométricos, exames laboratoriais, dispensação de medicamentos e vacinação. Contando com centro cirúrgico e quatro leitos hospitalares, a embarcação também está equipada para a realização de pequenas cirurgias. Ao todo, atuarão 23 profissionais da área da saúde, com capacidade para até 30 tripulantes.

Até julho de 2020, a parceria deve cumprir uma meta de realizar 12 mil consultas médicas clínicas e especializadas, seis mil atendimentos oftalmológicos, cinco mil consultas odontológicas, 4,6 mil mamografias, 4,6 mil ultrassonografias, 1,5 mil eletrocardiogramas, 1,5 mil testes ergométricos, 40 mil exames laboratoriais, 1,1 mil cirurgias de baixa complexidade e 380 internações em regime de hospital-dia. “Teremos ainda o apoio dos hospitais mantidos pela Associação em Juruti e em Óbidos para possíveis encaminhados para atendimentos em média complexidade”, explica a secretária adjunta de Gestão de Políticas de Saúde, Ivete Vaz, ao lembrar que, em casos de calamidade, catástrofes, inundações e outras situações emergenciais, a embarcação poderá se deslocar a outras regiões de acordo com a necessidade.

Fotos: José Pantoja (Ascom/Sespa).

Construído em Fortaleza, no Ceará, o barco surgiu a partir do incentivo do Papa Francisco durante a Jornada Mundial da Juventude 2013, que no período visitou um hospital, no Rio de Janeiro, administrado pela Associação e Fraternidade São Francisco e questionou se a Associação já havia implantado o projeto de assistência médica na Amazônia. “A partir desse encontro foi iniciada a missão de levar atendimento à população ribeirinha”, relembrou o frei Francisco Belotti.

 

Você pode gostar...