Cerimônia integrada celebra a formatura de 400 profissionais do programa de residência em Saúde

O Governo do Estado do Pará realizou, na noite desta quarta-feira (04), no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia, pela primeira vez, uma cerimônia de formação integrada de conclusão do Programa de Residência em Saúde do Pará. Agora, novos 400 residentes formados em especialidades médica, multiprofissional e uniprofissional, distribuídos em 13 categorias da saúde, passam a integrar o mercado de trabalho.

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) acompanha todas as residências na área, através de processos regulatórios afinados com a Política de Educação Permanente em Saúde, desde o credenciamento de novos programas de residência em saúde, no dimensionamento do número de vagas e na sua distribuição geográfica e inserção dos residentes nos cenários de prática do Sistema Único de Saúde (SUS) Estadual.

O governador do Pará, Helder Barbalho parabenizou os residentes, os que estavam na cerimônia em Belém e Santarém, que receberam imagens da formatura em tempo real de Belém. Helder destacou as distâncias como desafios, pedindo que elas não sejam obstáculo para a oferta de saúde de qualidade. “Nós sabemos o quanto o nosso estado é complexo na oferta de serviços de saúde, o quanto é desafiador poder levar saúde pública para regiões tão distintas, regiões tão próprias. Que as distâncias e as diferenças e as peculiaridades não sejam obstáculos para que este estado seja capaz de prover com respeito e dignidade o acesso pleno e universal a saúde para nossa gente”, afirmou.

O secretário da Sespa, Alberto Beltrame, destacou o trabalho da Secretaria no incentivo ao programa de residências. “Que todos nós tenhamos o compromisso renovado de cuidar das pessoas. A preocupação da Sespa é tal que pela primeira vez, nos editais de contratação de Organização Social em Saúde para gestão dos hospitais, há obrigatoriedade de recepção de residentes nos hospitais. Isso já aconteceu na ocasião da inauguração do Abelardo Santos, aconteceu no hospital de Capanema e vai acontecer no Hospital de Abaetetuba, que será inaugurado no próximo dia 07”, assegurou Beltrame.

O reitor da Universidade Estadual do Pará (Uepa), Rubens Cardoso da Silva, disse que a solenidade única é uma demonstração de que o processo de formação continuada nas residências tem uma execução prática fundamental na vida de cada um dos concluintes dos cursos. “Nós não podemos deixar em um momento como este de chamar bastante atenção para o papel que é desempenhado pelas coordenações e pelos preceptores, que funcionam como verdadeiros guardiões nesse processo de ensino e aprendizagem em serviço”, destacou.

A enfermeira da Santa Casa Glenda Stephanei da Silva Pereira, uma das oradoras da cerimônia, destacou o conjunto de experiências adquiridas em atuar na rotina de um hospital público. “Há muito o que agradecer, seja à família, aos tutores da residência e aos funcionários da Santa Casa, mas sobretudo ser grato à experiência de viver e praticar os princípios do Sistema Único de Saúde, o SUS, de propagá-lo como dever do Estado, direito do cidadão e elemento de resistência, para que sejamos agentes transformadores na vida de cada paciente que recorre aos serviços prestados pela saúde pública”, destacou.

Outra oradora da cerimônia, a médica anestesiologista Cynthia Rego Chama, do Ophir Loyola, lembrou dos pacientes, cada qual com sua história de vida, de fé e resiliência em busca da cura. “Agradeço sobretudo pelos ensinamentos simples, dados principalmente pelos pacientes do interior do Estado, que nos davam até dicas de culinária, com invenções saborosas. Esse convívio foi um presente em nossas vidas”, destacou.

O presidente da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, Bruno Carmona, agradeceu ao governo do estado pela cerimônia integrada. “Todos os anos, as instituições aqui representadas formam profissionais multiprofissionais, médicos e uniprofissionais e fazem suas cerimônias de conclusão individualmente, mas na prática do dia a dia os hospitais e universidades já atuam de forma integrada através do intercâmbio dos residentes de uma instituição a outra”, lembrou.

O Programa de Residência em Saúde do Pará é uma modalidade de ensino de pós-graduação, sob a forma de curso de especialização e funciona em instituições de saúde como hospitais-escola, onde pós-graduandos realizam atividades profissionais remuneradas sob a orientação de preceptores.

Atualmente, o Pará possui na região de integração Guajará (Belém), 13 programas de residência multiprofissional, 15 programas de residência uniprofissional e 41 programas de residência médica. Na Região de integração no Baixo Amazonas (Santarém), são 14 programas de residência médica e três de residência multiprofissional.

Já na região de integração do Rio Caetés (Bragança), o Estado possui um programa de residência médica e dois de residência multiprofissional (sendo o segundo aprovado em 2020 e com início previsto para final de março). Na Região de integração do Guamá (Castanhal), são três programas de residência uniprofissional em medicina veterinária.

A enfermeira da Santa Casa Glenda Stephanei da Silva Pereira, uma das oradoras da cerimônia, destacou o conjunto de experiências adquiridas em atuar na rotina de um hospital público. “Há muito o que agradecer, seja à família, aos tutores da residência e aos funcionários da Santa Casa, mas sobretudo ser grato à experiência de viver e praticar os princípios do Sistema Único de Saúde, o SUS, de propagá-lo como dever do Estado, direito do cidadão e elemento de resistência, para que sejamos agentes transformadores na vida de cada paciente que recorre aos serviços prestados pela saúde pública”, destacou.

Outra oradora da cerimônia, a médica anestesiologista Cynthia Rego Chama, do Ophir Loyola, lembrou dos pacientes, cada qual com sua história de vida, de fé e resiliência em busca da cura. “Agradeço sobretudo pelos ensinamentos simples, dados principalmente pelos pacientes do interior do Estado, que nos davam até dicas de culinária, com invenções saborosas. Esse convívio foi um presente em nossas vidas”, destacou.

Os residentes participantes da cerimônia são das instituições: Centro Universitário do Estado do Pará (Cesupa), Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa), Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Viana, Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, Hospital Ophir Loyola, Hospital Santo Antônio Maria Zaccaria, Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), Universidade do Estado do Pará (Uepa), Universidade Federal do Pará (UFPA), Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa).

Ophir Loyola – A história do hospital é marcada pela criação da Faculdade de Medicina da Uepa e pela primeira Residência Médica do Estado. O Ophir Loyola prepara profissionais especializados para o mercado de trabalho, com experiência e conhecimentos técnico-científicos. Durante o programa, são exigidos dos residentes competências para atuar nos serviços de alta complexidade, com respeito, responsabilidade e humanização, sendo que estes recebem orientação de profissionais de diversas áreas que integram o HOL.

Hemopa – A Fundação, por meio do Núcleo de Ensino e Pesquisa (NEPES), desenvolve um importante trabalho na área científica. Desde 2016, ano em que foi instituído o programa de residência multiprofissional de hemoterapia e hematologia, o Hemopa já formou 14 profissionais, sendo 5 biomédicos, 5 enfermeiros e 4 fisioterapeutas. Este ano, três profissionais compõem a terceira turma de formandos da residência. Ainda no mês de março, o programa inicia mais uma turma com sete novos residentes.

Cesupa – Ao todo, 40 concluintes dos programas de Clínica Médica, Pediatria, Medicina de Família e Comunidade, Ginecologia e Obstetrícia, Endocrinologia e Metabologia, Reumatologia, Medicina Intensiva, Atenção Básica – Saúde da Família e Neurologia participaram do evento que marcou a formatura das primeiras turmas de residentes em Clínica Médica e Medicina Intensiva do Cesupa. Esta também será a primeira vez que os Programas de Residência do Cesupa participam da cerimônia promovida pelo Governo junto aos demais programas de residência ofertados no Estado do Pará.

Uepa – O programa de Residência Médica da Uepa formou 27 residentes em especialidades diversas como a de Anestesiologia, Clínica Médica, Cirurgia de Mão, Dermatologia, Endocrinologia e Metabologia, Medicina de Família e Comunidade, Neurologia, Ortopedia e Traumatologia, Cirurgia Geral e Radiologia e Diagnóstico por Imagem. Já o programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Uepa formou 93 residentes nas áreas de Enfermagem, Fisioterapia, Odontologia, Terapia Ocupacional, Psicologia, Serviço Social, Nutrição, Educação Física, Fonoaudiologia e Biomedicina em especialidades distintas como a de Estratégia de Saúde da Família, Atenção à Saúde Mental, Oncologia Cuidados Paliativos, Hemoterapia e Hematologia, Atenção à Saúde Cardiovascular, Urgência e Emergência no Trauma, Saúde da Mulher e da Criança, Atenção à Nefrologia, Enfermagem em Centro de Terapia Intensiva, Enfermagem Cirúrgica, Enfermagem Oncológica e Cirurgia Buco-Maxilo Facial.

Um dos diferencias do programa de Residência Médica da instituição entre todos os programas ofertados no Estado do Pará é a especialidade em Cirurgia de Mão ofertada somente pela Uepa dentro do Hospital Porto Dias em todo território paraense.

Gaspar Vianna – A Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Vianna (FHCGV) conta com dois tipos de residência: a médica e a multiprofissional. Desde 2014 o hospital oferece 11 programas de residência médica credenciados na Comissão Nacional de Residência Médica, divididos nas seguintes especialidades médicas: Psiquiatria, Cardiologia, Cardiologia Pediátrica, Cirurgia Área Básica, Cirurgia Geral, Cirurgia Cardiovascular, Clínica Médica, Nefrologia, Medicina Intensiva, Urologia e Hemodinâmica. As bolsas são financiadas pela Secretaria de Estado da Saúde, vinculada ao Ministério da Saúde.

Já a residência multiprofissional existe desde 2012 com três programas: Atenção à Saúde Cardiovascular; Atenção à Saúde Mental; e Nefrologia. Destinados para profissionais da Enfermagem, Nutrição, Educação Física, Psicologia, Serviço Social, Fisioterapia e Terapia Ocupacional. Até 2020, a FHCGV qualificou 436 residentes.

Santa Casa – Desde 1988, a Santa Casa do Pará vem formando médicos especialistas para prestarem atendimento qualificado nas regiões metropolitanas e no interior do Pará e da Amazônia. Até 2019, 596 residentes passaram por 13 residências médicas que foram oferecidas pela instituição. Nestes mais de 30 anos da residência da Santa Casa, as áreas que mais formaram especialistas foram pediatria, Clínica Médica, Ginecologia e Obstetrícia. No total 438 profissionais. Em fevereiro de 2020 mais 50 médicos vão obter suas especialidades em 10 residências médicas oferecidas pela FSCMPA.

Ufra – O Programa de Residência Uniprofissional em Medicina Veterinária da Ufra, em atividade desde 2013, já formou 250 especialistas, em seis turmas. É considerada a maior residência em Medicina Veterinária da região Norte e uma das cinco maiores residências da área de veterinária do Brasil.

A residência contempla 11 programas uniprofissionais, em áreas de concentração distintas, destinadas à prestação de serviços junto à comunidade. Tem duração de dois anos, sendo 80% das atividades práticas e 20% teóricas. Em 2020, o Programa está formando 25 especialistas nas áreas: Clínica Médica, Clínica Cirúrgica, Clínica de Equídeos, Diagnóstico por Imagem, Anestesiologia, Medicina Veterinária Preventiva, Inspeção e higiene de produtos de origem animal, Patologia veterinária, Patologia clínica, Reprodução Animal e Medicina de animais selvagens.

Hospital Metropolitano – Desde 2012, o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, vem formando profissionais especialistas da área da saúde para prestar atendimento qualificado nas regiões metropolitanas e no interior do Pará e da Amazônia. No total, 53 profissionais concluíram a residência na unidade por meio de cinco programas (quatro de residências médicas – Cirurgia Geral, Ortopedia e Traumatologia, Medicina de Urgência, Cirurgia do Trauma; e um de residência multiprofissional – em Urgência e Emergência do Trauma). Até 2019, cerca de 1.100 residentes utilizaram o hospital como cenário de prática para as residências médicas e multiprofissionais que são oferecidas em todo o Estado do Pará. Em março de 2020, mais sete profissionais da saúde vão obter suas especialidades em três residências médicas e multiprofissional oferecidas pelo HMUE.

Hospital Regional de Santarém – Desde 2012, o Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém, vem formando médicos especialistas para prestarem atendimento qualificado no Pará e na Amazônia em 13 especialidades (Cirurgia Geral, Ortopedia e Traumatologia, Medicina Intensiva, Pediatria, Anestesiologia, Neurocirurgia, Clínica Médica, Cancerologia Clínica, Cancerologia Cirúrgica, Infectologia, Ginecologia e Obstetrícia, Urologia e Medicina da Família e Comunidade). Até 2019, formaram 65 residentes médicos.

Em março de 2020, mais 18 médicos vão obter suas especialidades em Anestesiologia, Clínica Médica, Ginecologia Obstetrícia, Cirurgia Geral, Neurocirurgia, Infectologia, Pediatria, Urologia e Medicina da Família e Comunidade, residências médicas oferecidas pelo HRBA. A unidade também é local de intercâmbio para estudantes de medicina do Paraguai, Espanha, Bélgica, Bolívia, França e dos Estados Unidos.

Sobre a Residência Multiprofissional, desde 2013, o Hospital Regional do Baixo Amazonas vem formando residentes na Atenção Integral em Ortopedia e Traumatologia compreendendo as áreas de: Enfermagem; Farmácia; Fisioterapia; Psicologia; Serviço Social e Terapia Ocupacional. Até 2019, 79 residentes multiprofissionais passaram pela instituição. Em março de 2020, mais nove residentes multiprofissionais das áreas de Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Enfermagem e Serviço Social vão obter sua especialidade na Atenção Integral em Ortopedia e Traumatologia.

Tomaz Brito

Tomaz Brito - Funcionário do GT Contratos e Convênios SESPA

Você pode gostar...