Com quase 1.200 atendimentos em 24 horas, ‘Abelardo Santos’ terá mais 50 respiradores

O Hospital Abelardo Santos vem recebendo grande parte da demanda por tratamento durante a pandemia

O Hospital Regional Dr. Abelardo Santos, em Icoaraci, distrito de Belém, atendeu cerca de 1.200 pessoas nas primeiras 24 horas em que foi transformado em unidade de portas abertas, para atendimento de urgência e emergência de pacientes de doenças respiratórias na última quinta-feira (30). O dado é da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

Para garantir o atendimento a pessoas com Covid-19, o Hospital Abelardo Santos conta com 21 médicos em plantão 24 horas e tem capacidade para receber mais de 2 mil pacientes por dia. Há ainda várias equipes multiprofissionais e oferta de retaguarda, com 15 leitos de observação, 75 de enfermaria e 20 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

O secretário Alberto Beltrame (d) conversando com pessoas que procuraram pelos serviços da unidade

Segundo o titular da Sespa, Alberto Beltrame, somente nas primeiras 24 horas 95 pacientes foram internados em estado grave, principalmente devido à síndrome respiratória aguda. Para atender a toda a nova demanda gerada pelo regime de “porta aberta”, o Hospital Abelardo Santos terá mais 50 leitos de UTI para pacientes que precisam de respiração artificial. “Dos 60 respiradores enviados pelo Ministério da Saúde, que já chegaram a Belém, 10 serão instalados no Hospital de Campanha, no Hangar, que passará a ter 53 leitos de UTI. Os demais 50 respiradores serão instalados no Hospital Abelardo Santos”, informou Alberto Beltrame, acrescentando que essa decisão foi tomada na tarde desta sexta-feira (1º), em função da abertura do Hospital Abelardo Santos como unidade de pronto atendimento. Os novos leitos de UTI entrarão em funcionamento no máximo em 48 horas.O secretário Alberto Beltrame (d) conversando com pessoas que procuraram pelos serviços da unidadeFoto: Marcelo Seabra / Ag. Pará

Redirecionamento – O Estado do Pará encerrou a sexta-feira com uma ocupação de quase 85% dos leitos de UTI. No entanto, a ocupação não compromete os leitos para as demais enfermidades. No caso do “Abelardo Santos”, a Sespa redirecionou todos os leitos e pacientes obstétricos para a Santa Casa do Pará, onde foram abertos 50 novos leitos. Os 25 pacientes de cirurgia geral foram redirecionados para o Hospital Jean Bittar.

“Os demais hospitais seguem com seus perfis assistenciais inalterados, atendendo pacientes de outras enfermidades e, em paralelo, alguns leitos para a Covid-19″, ressaltou Alberto Beltrame.

Texto: Kátia Aguiar

Fotos: Marcelo Seabra

Você pode gostar...