Em um mês e meio, Hospital de Campanha de Santarém recupera mais de 200 pacientes de Covid

O Hospital de Campanha vem sendo essencial na recuperação de pacientes de Covid no Oeste do Pará

Depois de cinco dias internado no Hospital de Campanha de Santarém, no Oeste do Pará, o pescador Eglerson Barbosa, 34 anos, recebeu a tão esperada alta médica na segunda-feira (5), para concluir sua recuperação da Covid-19 em casa. Ele é um dos mais de 200 pacientes que venceram a doença em um mês e meio de funcionamento da estrutura hospitalar exclusiva para tratamento da Covid-19, reabilitada pelo governo do Estado em fevereiro deste ano diante da nova alta de casos na região.

A irmã de Eglerson, a autônoma Neda Barbosa, 31 anos, que foi recebê-lo na porta do Hospital, disse que o tempo de internação em Santarém foi crucial para a cura – ambos moram no município de Prainha, na mesma região. Eglerson chegou a ser admitido no Hospital de Campanha mantido pela Prefeitura de Prainha, mas o agravamento da infecção pulmonar determinou sua transferência.

“O amparo que ele recebeu fez toda a diferença. O que meu irmão conta é que desde os técnicos de enfermagem aos médicos, todos eram atenciosos. Cantavam, tocavam. Além da internação, esse acolhimento faz a diferença”, garantiu Neda Barbosa, que está com o pai internado, mas no Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em “escalada positiva de recuperação”, o que indica extubação em breve.

Cenário positivo – Até a manhã desta terça-feira (06), 39 pessoas continuavam recebendo os cuidados da equipe médica no Hospital de Campanha de Santarém, sendo um paciente em leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Trinta e três pacientes foram transferidos para outras unidades, 208 receberam alta médica e 11 faleceram. A taxa de ocupação de leitos clínicos é de 67%, enquanto a taxa de ocupação da UTI segue em 25%.

Para o secretário de Estado Saúde Pública, Rômulo Rodovalho, a avaliação sobre os atendimentos realizados até o momento é positiva. “No início deste ano, Santarém se encontrava no ápice das contaminações pela Covid-19, e por isso a equipe técnica da Sespa precisou criar estratégias urgentes para diminuir os índices da doença no município. Esse atendimento está ajudando a salvar vidas e conter a doença na região”, ressaltou.

“Esses percentuais mostram que estamos no caminho certo. Nossa intenção é ter índices ainda menores. Estamos focados em monitorar e criar estratégias que melhorem ainda mais esse cenário de ocupação de leitos clínicos e de UTI”, complementou o titular da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

O gestor administrativo do Hospital de Campanha de Santarém, Marcelo Henrique, confirmou que a demanda recebida é principalmente de Santarém, de pacientes encaminhados pela UPA (Unidade de Pronto Atendimento). Outros são enviados pelas centrais de regulação de outros municípios.

“Por sermos dedicados ao atendimento de uma unidade de Covid, os protocolos não permitem a presença de familiar no ambiente do Hospital. Mas todos os familiares recebem boletins diários, a partir das 17 h, tanto presencial quanto on-line. A equipe multiprofissional tem trabalhado em sintonia para dar o melhor atendimento à família e ao paciente nesse momento”, garantiu.

Reencontro – O momento da alta do técnico agrícola Cosme da Cunha Siqueira, 65 anos, também na segunda-feira, foi de emoção em dobro. Além de ter vencido um vírus muito perigoso, ele reencontrou uma das filhas, a autônoma Suane da Silva Siqueira, 39 anos, com quem havia perdido o contato há mais de dois anos.

“Eu e minhas irmãs recebemos um telefone da esposa dele contando que o estado de saúde estava piorando, quando ainda estava em uma Unidade de Pronto Atendimento. No dia da alta, fizemos uma surpresa e fomos buscá-lo. Ele ficou tão emocionado que tememos que ele passasse mal; mas agora ele está bem. Manda vídeos comemorando quando consegue fazer as coisas sozinho. É lindo de ver!”, contou Suane.

Emoção em dobro – Outro bom momento no retorno para casa foi vivido pelo casal de idosos Maria Madalena, 69 anos, e Sebastião Pedroso, 72 anos. Ele foi internado depois que a esposa já estava no Hospital de Campanha. Ambos não sabiam que estavam no mesmo local. A descoberta foi na hora da saída simultânea. Madalena disse que sentia no coração que o esposo não estava bem, mas não imaginava que ele estava internado no HCS.

“Eu sentia que havia algo de errado, mas agora estamos juntos e conseguimos essa vitória. Cremos que muitas outras famílias vão conseguir. Eu entendo que não quiseram nos preocupar. Talvez a emoção fosse muito grande se soubéssemos que estamos internados juntos, e isso poderia retardar o nosso tratamento”, disse Madalena.

O secretário Regional de Governo do Oeste do Pará, Henderson Pinto, destacou que os números de recuperados são uma grande vitória para o Estado e para as famílias, que sempre esperam boas notícias com muita ansiedade. “São famílias que tiveram de volta seus parentes. São filhos, filhas, maridos e esposas de volta aos braços daqueles que amam. É uma alegria muito grande, perfeita comemoração da vida, da família, do núcleo mais importante da sociedade”, acrescentou Henderson Pinto. (Colaboração de Ronilma Santos – Ascom/SRGBA).

Texto: Carol Menezes/Secom

Foto: Divulgação

Você pode gostar...