Especialistas apontam que amamentar pode reduzir o risco de desenvolver o câncer de mama

Especialistas apontam que amamentar pode reduzir o risco de desenvolver o câncer de mama

28 de outubro de 2021 Off Por Roberta Vilanova

Durante o aleitamento materno, as células da mama se renovam o tempo todo, o que ajuda a remover células potencialmente danosas

Além de atuar no desenvolvimento do bebê, fortalecer o vínculo entre mãe e bebê, e trazer inúmeros benefícios para a saúde de ambos, o aleitamento materno também ajuda na prevenção ao câncer de mama.

Estudos realizados pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) apontam que mulheres que amamentam durante um ano apresentam de 4,3% a 6% menos chances de desenvolver tumores na região mamária, diminuindo o risco do câncer de mama.

A explicação vem do fato de que as lactantes, mulheres que produzem o leite e amamentam, experimentam algumas mudanças hormonais, entre elas a redução na exposição ao estrogênio, hormônio que pode promover o crescimento de células de cancerígenas.

Segundo Danielly Souza, nutricionista clínica da Pró-Saúde que atua no Hospital Materno-Infantil de Barcarena Dra. Anna Turan (HMIB), o aleitamento materno cria mecanismos de adaptação e indução no corpo da mulher, que auxiliam na prevenção do câncer de mama.

“É nessa fase que a mãe apresenta um perfil hormonal que induz a maturação das glândulas mamárias, tornando as células mais ‘estáveis’ e menos propensas ao desenvolvimento do câncer”, explica Danielly.

A profissional, que é responsável técnica pelo Banco de Leite Humano do HMIB, destaca ainda que algumas pesquisas mostram que, nesse período, ocorrem trocas de substâncias em que os hormônios agem como fator de proteção em relação ao câncer de mama.

“Esse mecanismo hormonal acontece a partir da estimulação do seio da mãe pela criança. Isso significa que, quanto mais a mãe amamentar, mais protegida ela está. Durante o aleitamento materno, as células da mama se renovam o tempo todo, o que ajuda a remover células potencialmente danosas. Essa ‘renovação celular’ reduz a incidência de câncer”, afirma a profissional.

Benefícios – A médica ginecologista Waléria Plácido destaca os benefícios da amamentação. “O leite materno é rico em proteínas, vitaminas, anticorpos, gorduras e água. Ele nutre e protege o bebê, influenciando sua saúde para o resto da vida e criando maior resistência contra doenças como obesidade e diabetes”, explica a profissional.

“A recomendação da amamentação por até dois anos ou mais traz benefícios para a criança e vale para todas as mulheres em fase de lactação. Além disso, o processo de desmame do bebê pode acontecer de forma mais natural com o passar dos anos ”, complementa Waléria.

A especialista da Pró-Saúde, que também atua no HMIB, destaca que, quanto mais tempo a mãe amamenta, menores são as chances de se desenvolver um tumor no futuro. “Ou seja, tanto mãe quanto bebê se beneficiam do aleitamento”, pontua.

De acordo com estudo publicado em 2016 pela revista médica The Lancet, universalizar a amamentação, com incentivo ao ato nos primeiros anos de vida da criança, entre seis meses até dois anos ou mais, evitaria a cada ano, a morte de 800 mil crianças e 20 mil mulheres vitimadas pelo câncer de mama.

Prevenção – Mesmo com a amamentação, a mulher deve realizar o autoexame e outros exames preventivos, como a mamografia, além de consultar um médico anualmente, principalmente depois dos 40 anos.

“Preventivos ajudam no diagnóstico precoce e aumentam as chances de cura do câncer de mama. Mulheres com histórico da doença na família também precisam ficar atentas e redobrar a prevenção”, finaliza a médica.

Para saber mais informações sobre o panorama geral do câncer de mama no Brasil e no mundo, além de esclarecer as dúvidas mais frequentes em relação à doença, baixe o e-book “Se Toque!” (link para download: https://bit.ly/3mx5F0K ), lançado pela Pró-Saúde, gestora do HMIB, em sua campanha “Outubro Sempre Rosa”. Neste ano, o foco da entidade é reforçar a importância da prevenção e atenção aos cuidados com as mamas durante todo o ano.

O Hospital Materno-Infantil de Barcarena Dra. Anna Turan é uma unidade do Governo do Pará, gerenciada pela entidade filantrópica Pró-Saúde desde 2018. O HMIB está localizado a 114 km distante da capital Belém. A unidade realiza atendimentos de média e alta complexidade gratuitos, com atendimento 100% gratuito por meio do Sistema único de Saúde (SUS).

No último mês de agosto, o HMIB se tornou o primeiro hospital da Região do Baixo Tocantins a receber o selo Amigo da Criança, concedido pela Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC), Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e Organização Mundial da Saúde (OMS) aos hospitais que realizam o cumprimento dos dez passos para o sucesso do aleitamento materno.

Texto: Adrielle Lopes/HMIB

Foto: Ascom/HMIB