Estado envia 140 cilindros de oxigênio para reforçar abastecimento nos 16 municípios do Marajó

A distribuição dos 140 cilindros de oxigênio ao Marajó é baseada em estudo do TCM

De forma preventiva, o Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), enviará 140 cilindros de oxigênio para os 16 municípios do Arquipélago do Marajó, na madrugada deste sábado (06). A medida faz parte do plano de contingência do Estado contra a Covid-19, com ações atualizadas e preventivas para reforçar o sistema público de saúde da região.

“A Sespa adquiriu os 140 cilindros de oxigênio que serão distribuídos para todos os municípios do Marajó. Montamos uma logística de entregas por meio do Grupamento Fluvial de Segurança Pública (Gflu) e Sespa, de forma que vamos enviar para todos os municípios. A distribuição levou em consideração um estudo que foi realizado recentemente pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), que nos deu um norte para que nós pudéssemos enviar os equipamentos para os municípios, de acordo com as necessidades de cada cidade”, destacou o secretário de Estado de Saúde Pública, Rômulo Rodovalho.

A entrega ocorrerá da seguinte forma: receberão diretamente os cilindros os municípios de Afuá (10), Anajás (5), Bagre (5), Cachoeira do Arari (10), Chaves (10), Ponta de Pedras (10), Salvaterra (10), Santa Cruz do Arari (10), Breves (10), Curralinho (10), Gurupá (10), Muaná (8), Soure (8), São Sebastião da Boa Vista (8), Melgaço (8) e Portel (8).

Transporte – Aos municípios de Ponta de Pedras, Muaná, São Sebastião da Boa Vista, Curralinho e Bagre, os cilindros chegarão por meio fluvial. As prefeituras de Gurupá, Afuá, Chaves, Portel, Anajás e Melgaço deverão mandar buscar em Breves os equipamentos. O mesmo procedimento deverá ser adotado pelas prefeituras de Salvaterra, Cachoeira do Arari e Santa Cruz do Arari, para buscar os cilindros em Soure.

“O Grupamento Fluvial vai disponibilizar uma embarcação para fazer o transporte desses cilindros, que vão de Ponta de Pedras até Breves. Os demais municípios deverão providenciar a logística de transporte. Nós estamos envolvendo oito agentes da segurança pública para realizar essa operação. É muito importante a integração do sistema de segurança pública com a saúde pública neste momento, para facilitar a chegada desses equipamentos a todo o Estado, para que possamos combater a pandemia”, ressaltou Arthur Braga, diretor do Grupamento Fluvial de Segurança Pública.

O Grupamento Fluvial participa da operação com uma embarcação para o transporte dos cilindros

Abastecimento no Oeste – Para evitar o desabastecimento de oxigênio nos hospitais públicos e municipais do Estado, a Sespa já enviou 159 cilindros de oxigênio para a região do Baixo Amazonas. Os cilindros foram distribuídos para os municípios de Oriximiná (79), Terra Santa (30), Faro (20) e Juruti (30), em caráter preventivo.

No último dia 26 de janeiro, a Sespa enviou mais 200 cilindros para o município de Santarém. O carregamento foi distribuído para municípios da Calha Norte do Rio Amazonas. Já em 30 de janeiro, chegaram mais 180 cilindros para municípios do Baixo Amazonas e Calha Norte. Foram contemplados os municípios de Almeirim, Monte Alegre, Juruti, Óbidos, Santarém, Terra Santa, Faro, Itaituba, Rurópolis e Alenquer.

Atualmente, o Pará tem uma capacidade de produção de oxigênio superior a 58 mil metros cúbicos diários, o que atende às demandas dos 144 municípios.

Texto: Bruno Magno/CPH

Fotos: Alex Ribeiro/Ag.Pará

Você pode gostar...