Estado fortalece saúde pública na região do Xingu com mais 20 leitos de UTI

O governador Helder Barbalho na visita às instalações do Hospital Santo Agostinho

Para reforçar o combate à Covid-19 na Região de Integração Xingu, o Governo do Pará vai abrir mais 20 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital Regional da Transamazônica, localizado no município de Altamira. O anúncio foi feito pelo governador Helder Barbalho durante agenda de trabalho em Altamira, no início da noite desta quinta-feira (11).

Acompanhado pelo secretário de Estado de Saúde Pública, Rômulo Rodovalho, o governador visitou as instalações do Hospital Santo Agostinho, onde o Estado já instalou 30 leitos, sendo 20 exclusivos para pacientes infectados pelo novo coronavírus e 10 clínicos.

“Neste momento se fazem necessárias ações mais amplas, que possam garantir o atendimento. Nós já estamos fazendo o deslocamento de pacientes, que precisam de leitos de UTI, para o Hospital Regional do Tapajós, trabalho iniciado hoje. Já foi autorizada a ampliação de mais 20 leitos de UTI no Hospital Regional da Transamazônica, exclusivos para Covid-19. Portanto, com isso nós vamos duplicar o número de leitos e garantir que se oferte mais vagas para os nove municípios que dependem do Hospital Regional”, destacou Helder Barbalho.

As medidas adotadas na região, frisou o governador, visam evitar restrições maiores, como lockdown. Ao apelar à população de Altamira, ele enfatizou “que as pessoas usem máscaras, o álcool em gel e que não possam ficar aglomeradas”.

Já nesta sexta-feira (12), anunciou o chefe do Executivo, a região do Xingu, que reúne 10 municípios, vai receber mais doses de vacinas, assim que forem enviadas ao Estado pelo Ministério da Saúde.

Helder Barbalho ao lado de profissionais da unidade de saúde que atende pacientes com a Covid-19

Retaguarda – De acordo com o médico Daniel Teixeira, responsável pela ala de Covid-19 no Hospital Santo Agostinho, com a abertura de novos leitos pelo governo do Estado o objetivo é amenizar o fluxo de pacientes internados em outros hospitais da região. “Os pacientes são regulados e chegam aqui para fazer o término de tratamento para baixas e médias complexidades. Isso foi importante porque acaba desafogando o Hospital Municipal da cidade e o Hospital Regional”, frisou o diretor, ressaltando que atualmente 15 leitos estão ocupados por pacientes com a Covid-19.

O prefeito de Altamira, Claudomiro Gomes, acompanhou a agenda de trabalho do governador e ressaltou a importância da integração entre o governo do Estado e a prefeitura para combater a pandemia. “Agradeci ao governador pela atenção que ele está tendo com o município de Altamira. Desde janeiro, quando informei que a situação aqui era preocupante, ele sempre atendeu ao nosso pedido, abrindo leitos no Hospital Santo Agostinho. Vejo uma importância muito grande nessa integração entre município e Estado para trabalhar em benefício do povo, que é nosso principal objetivo”, disse o gestor municipal.

O governador também adiantou que mais vacinas serão enviadas da próxima remessa do Ministério da Saúde

Estratégias – Entre as mais recentes estratégias de combate à pandemia, o governo do Estado abriu 234 leitos reservados ao tratamento de pacientes infectados pelo novo coronavírus em todo o Pará.

São 100 leitos clínicos no Hospital de Campanha de Belém, no Hangar; 10 leitos de UTI em Redenção, na região Sul; 30 leitos clínicos em Altamira, no Oeste; mais 30 leitos clínicos e 20 leitos de UTI em Castanhal, na RMB; oito leitos de UTI e 16 leitos clínicos no Hospital Municipal de Marabá, no Sudeste, além de mais 10 leitos de UTI e 10 leitos clínicos no Hospital Regional de Marabá. O Pará possui, hoje, 1.270 leitos exclusivos para pacientes de Covid-19.

Também participou da agenda em Altamira o deputado estadual Eraldo Pimenta.

 

 

Texto: Bruno Magno/CPH

Fotos: Marco Santos/Ag. Pará

Você pode gostar...