Estratégias do Governo do Pará beneficiam pacientes suspeitos e confirmados de Covid-19

O governo do Estado avança no controle da disseminação da Covid-19 nas regiões do Pará, desde que os trabalhos foram intensificados há quase 15 dias na região Oeste, para onde já foram providenciados insumos, como 500 cilindros de oxigênio, e 76 transferências de pacientes. Além disso, permanecem as articulações com as secretarias municipais para que executem ações sobre como continuar agindo para conter a crise provocada pela segunda onda de contágio, vinda do Estado do Amazonas.

Até o momento, 17 pacientes com Covid-19 oriundos de Manaus, capital amazonense, entre os dias 18 e 22 de janeiro, seguem internados no Hospital de Campanha de Belém, no Hangar. Oito já se recuperaram e viajaram de volta ao Estado de origem na quinta-feira (28). Outros 76 pacientes de municípios do extremo Oeste do Pará já foram transferidos por via aérea e fluvial, exclusivamente pela Central de Regulação da Sespa, para os hospitais regionais de Santarém e Itaituba, e para o município de Juriti, entre os dias 18 e 29 deste mês.

Para essas transferências realizadas de acordo com as possibilidades climáticas da região, o governo estadual tem assegurado o serviço de transporte aeromédico com seis aeronaves, sendo dois aviões e quatro helicópteros, todos para atender toda a demanda de municípios da região Oeste por leitos clínicos e de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Para conter a Covid-19 na região Oeste, o governo reativará o Hospital de Campanha em Santarém, por meio de parceria com a prefeitura local. A medida deve desafogar a procura por leitos clínicos nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e no Hospital Regional, e vai estabilizar o sistema de saúde da região.

Para reforçar o atendimento a pacientes com a Covid-19 no Oeste, o governo estadual já conta com 10 leitos de UTI em Juruti; 44 leitos de UTI adulto, quatro leitos de UTI pediátrica e três leitos de UTI neonatal, no Hospital Regional do Baixo Amazonas, em Santarém, e mais 60 leitos de UTI em Itaituba, sendo que todas as cidades também contam com leitos clínicos e ganharam reforços nos estoques de oxigênio.

Dinâmica de trabalho – Para o secretário adjunto de Saúde Pública, Sipriano Ferraz, o momento é de estabelecer estratégias de contingenciamento para o restante das regiões que não sofram pressão em seus sistemas de saúde. Essa dinâmica de trabalho tem tido apoio das Secretarias Regionais de Governo, dos Centros Regionais de Saúde e das prefeituras.

Nesta sexta-feira (29), Sipriano Ferraz e outros técnicos da Sespa estiveram em Marabá para alinhar ações preventivas ao aperfeiçoamento do enfrentamento à Covid-19 no sudeste paraense. Na ocasião, foi pactuada com a prefeitura local a instalação de mais oito leitos de UTI e 16 leitos clínicos no Hospital Municipal de Marabá.

O objetivo dessa medida foi desafogar um possível aumento de demanda pelo Hospital Regional de Marabá, que oferta quatro leitos clínicos e 20 leitos de UTI exclusivos para pacientes com Covid-19, encaminhados por municípios de abrangência. Além de atender pacientes em ala exclusiva de pacientes de Covid-19, a unidade mantém o atendimento ambulatorial, de urgência e emergência e em outras especialidades.

Restrições – Em função da atualização do Decreto nº 800, que redefiniu novas medidas restritivas para o enfrentamento da Covid-19 na Região Metropolitana (RMB) e alterou o bandeiramento do Pará para laranja (risco médio), com exceção da região do Baixo Amazonas, que segue com o bandeiramento vermelho (risco elevado), a Sespa prossegue em alerta para as demandas do interior do Estado para a capital.

Pelo protocolo do Sistema Único de Saúde (SUS), pessoas com sintomas leves de Covid-19 devem procurar atendimento nas Unidades Básicas de Saúde. Em casos mais graves, a orientação é procurar as UPAs e os prontos-socorros que, mediante avaliação médica, podem encaminhar para internação em hospitais de campanha e hospitais de alta complexidade que contenham leitos clínicos e de UTI para Covid, de acordo com a disponibilidade prevista pela Central de Regulação de Leitos da Sespa.

Policlínica Itinerante – Em Belém, além das Unidades Básicas, a população tem contado com serviços oferecidos pelos quatro postos de atendimento da Policlínica Itinerante, voltada para quem apresenta sintomas leves e moderados da doença ou de outras síndromes gripais.

O atendimento prossegue disponível nos seguintes locais: Unidade Básica de Saúde da Pedreira, Unidade de Referência Especializada (URE) Reduto e nas unidades montadas no estacionamento do Hangar – Centro de Convenções da Amazônia, e no Estádio Olímpico do Pará, o Mangueirão.

“Realizar o atendimento de casos leves e moderados ainda no estágio inicial da doença tem nos ajudado a controlar a Covid-19 no Estado. Contudo, é importante também que a população faça a sua parte, mantendo o distanciamento social, fazendo a higiene constante das mãos com álcool em gel e usando máscara”, enfatiza Sipriano Ferraz.

Os horários de funcionamento estão disponíveis no link: http://www.saude.pa.gov.br/acaocovid/

Texto: Mozart Lira/Sespa

Você pode gostar...