Fiocruz atesta que Pará está fora da zona crítica de ocupação de leitos de UTI para Covid-19

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) divulgou nesta terça-feira (09) a série histórica atualizada sobre ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para Covid-19 no Sistema Único de Saúde (SUS) em todo o País, com dados obtidos em 8 de março de 2021. Entre os estados, a Fundação atesta que o Pará saiu da zona considerada crítica, passando de 82% para 75% de ocupação dos leitos de UTI na última semana.

“Isso é resultado de um trabalho diário de acompanhamento e adoção de medidas estratégicas para o combate à Covid-19. A ampliação dos leitos em todo o Estado, e o trabalho conjunto com os municípios, fazendo com que as ações ocorram de forma alinhada, resulta nesses números”, ressaltou o secretário de Estado de Saúde Pública, Rômulo Rodovalho.

Os dados também mostram que apenas Belém (75%) e Maceió (73%) estão com taxas de ocupação inferiores a 80% entre as 27 capitais do Brasil. “Mesmo com taxas melhores, o trabalho continua para que nenhum paraense que precise fique sem assistência, seja no atendimento porta aberta ou na alta complexidade”, reiterou Rômulo Rodovalho.

O boletim da Fiocruz aponta que, além do Pará, estão fora da zona considerada crítica os estados do Amapá, Paraíba, Alagoas, Espírito Santo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Os pesquisadores avaliam que o quadro atual no âmbito nacional indica sobrecarga e colapso de sistemas de saúde em alguns estados, e reforçam a necessidade de ampliar e fortalecer as medidas de prevenção à transmissão da doença, com distanciamento social, uso de máscaras e higienização das mãos.

Novos leitos – Como estratégia de enfrentamento à segunda onda da crise sanitária causada pelo novo conoravírus, o Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), prossegue a ampliação do número de leitos exclusivos. Hoje, o Pará possui 1.270 leitos para casos de Covid-19.

Ainda no último dia 4 de março, o governo anunciou a abertura de 234 leitos exclusivos para pacientes de Covid-19: 100 leitos clínicos no Hospital de Campanha de Belém, no Hangar; 10 leitos de UTI em Redenção; 30 leitos clínicos em Altamira; 30 leitos clínicos e 20 leitos de UTI em Castanhal; oito leitos de UTI e 16 leitos clínicos em unidade municipal de Marabá; 10 leitos de UTI e 10 leitos clínicos no Hospital Regional de Marabá.

A abertura de leitos ocorre de acordo com a situação epidemiológica de cada região.

Segundo o levantamento do Consórcio de Veículos de Imprensa, o Pará é uma das cinco unidades da Federação sem colapso na assistência clínica ou de UTI nesta segunda onda da pandemia.

Leia também:

https://www.agenciapara.com.br/noticia/25624/

00

Você pode gostar...