Governo amplia atendimentos em traumatologia pelo regime porta aberta

Quando o Hospital Regional do Tapajós (HRT), em Itaituba, no sudoeste do Pará, iniciou o atendimento em traumatologia pelo regime de “porta aberta” durante 24 horas, em 18 de janeiro deste ano, outras iniciativas semelhantes do governo estadual tem elevado a oferta do serviço em outras regiões do Pará.

“Estamos com essa nova frente de trabalho, de forma que estamos abrindo vários polos de ortopedia em outras regiões, para suplantar uma dificuldade que tínhamos em fazer a regulação rápida desses pacientes”, afirma o secretário de Saúde do Pará, Romulo Rodovalho.

Em Itaituba, o HRT tem garantido a assistência de baixa, média e alta complexidade à população local e de mais cinco municípios de abrangência da região de integração Tapajós: Aveiro, Jacareacanga, Novo Progresso, Rurópolis e Trairão. “Temos assegurado o atendimento a pacientes de traumatologia por meio de dez leitos de clínica cirúrgica e outros cinco leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) adulto politrauma”, explica a diretora do hospital, Karla Cajaíba.

Tal como foram adotados no HRT, atendimentos porta aberta 24 horas por dia em traumatologia passaram a ser feitos também, já neste mês de fevereiro, pelo hospital Divina Providência, em Marituba, que foi contratado pelo Estado para absorver demandas de baixa e média complexidade em ortopedia, como fraturas simples, a fim de que os mais complexos sejam encaminhados ao Hospital Metropolitano, em Ananindeua. No acordo com o Estado, o Hospital Divina Providência vai oferecer 300 cirurgias ortopédicas por mês.

Voltada à população da região de integração do Araguaia, o serviço porta aberta 24 horas em traumatologia passou a ser feito também pelo Hospital Regional de Conceição do Araguaia, enquanto casos mais complexos seguem encaminhados ao Hospital Regional de Redenção. A mudança também repercutiu na ampliação de 15 para 30 leitos em traumatologia e na disponibilidade de duas equipes ortopédicas na Unidade de Conceição do Araguaia.

Segundo o secretário adjunto de Saúde, Sipriano Ferraz, a iniciativa tomada em Itaituba e nos hospitais envolvendo as regiões de integração Metropolitana e Araguaia implica em tornar mais dinâmico o fluxo para atender o paciente de trauma no interior do Estado. “Nosso objetivo é desburocratizar o acesso dos pacientes para que sejam logo atendidos”, esclarece.

As próximas cidades que terão hospitais com atendimento de traumatologia em regime de portas abertas serão Bragança, para atender a região dos Caetés, Paragominas, Ipixuna e Abaetetuba.

Texto: Mozart Lira/Sespa

Você pode gostar...