Governo do Estado anuncia mudanças de estratégias de combate à Covid-19

Governo do Estado anuncia mudanças de estratégias de combate à Covid-19

15 de setembro de 2021 Off Por Mozart Lira

O governador do Pará, Helder Barbalho, anunciou nesta quarta-feira (15) uma série de ajustes nas estratégias de combate à Covid-19 em todo o Estado. A principal é que o Hospital de Campanha instalado no Hangar – Centro de Convenções, em Belém, para atender pacientes de Covid-19, encerrará as atividades no dia 15 de outubro. Atualmente, a Unidade está com apenas 21% de sua ocupação, o que corresponde à internação de 34 pacientes, dos quais 15 em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

 

Desde que foi instalado como parte da estratégia do Governo do Pará de combate à pandemia provocada pelo novo coronavírus, em 10 de abril de 2020, até 15 de setembro deste ano, o Hospital de Campanha do Hangar já atendeu 7.300 pessoas, das quais 338 foram transferidas, 4.915 tiveram vidas salvas e 2.047 foram a óbito.

 

O Hospital dispunha, em setembro deste ano, de 160 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e 260 leitos de enfermaria. No local, chegaram a atuar cerca de mil profissionais, entre médicos, enfermeiros, técnicos de Enfermagem, fisioterapeutas, psicólogos, nutricionistas e pessoal de apoio.  Quando inaugurado, chegou a possuir 420 leitos, sendo 260 clínicos e 160 de UTI.

 

“Revendo esses números, tenho a convicção de que tomamos a decisão acerta de montar o hospital, visto que em março de 2020 já estávamos prevendo um colapso no sistema de saúde público e as Unidades que atendiam Urgência e Emergência já não estavam dando conta de atender tantas demandas simultâneas de pacientes já acometidos pelos sintomas da Covid-19”, relembra o governador.

 

“Durante o período em que esteve em atividade, garantimos que a população da Região Metropolitana de Belém e das regiões nordeste e Marajó Oriental, com sintomas e problemas respiratórios, pudesse ter o atendimento adequado. Assim, considero que estamos com a sensação de dever cumprido, por estar encerrando um ciclo de um hospital de campanha criado na primeira onda da pandemia, e que salvou muitas vidas”, frisou o secretário de Estado de Saúde Pública, Rômulo Rodovalho. O titular da Sespa afirma ainda que o legado do hospital de campanha foi pontuado por histórias especiais, que em comum valorizaram o amor à vida.

 

Helder Barbalho também destacou, que no combate à pandemia iniciada em março de 2020, o governo do Pará atuou estrategicamente para garantir uma rede de atendimento aos pacientes, com a instalação de 5 Hospitais de Campanha (Belém, Marabá, Breves, Santarém e Altamira) – o que resultou na criação de 780 novos leitos para atender exclusivamente os casos da doença, como também a entrega dos hospitais regionais de Castanhal e do Tapajós, em Itaituba, e Hospital Público Geral de Castelo de Sonhos, para atuarem junto aos pacientes infectados pela Covid-19 de forma exclusiva.

 

“Mudamos ainda temporariamente o perfil do Hospital Abelardo Santos transformando a unidade em porta aberta para atender à demanda reprimida de Belém e Região Metropolitana. Da mesma forma, a Policlínica Metropolitana, em Belém, tornou-se exclusiva, por duas ocasiões, para viabilizar o atendimento de mais de 111 mil pessoas, atendimentos que, posteriormente, ganharam a forma itinerante percorrendo 89 municípios, levando atendimento médico, exames, testes e medicamentos”, relembrou o governador.

 

Na ocasião, o presidente da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisa (Fapespa), Marcel Botelho, apresentou estatísticas da pesquisa liderada pela Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) que, desde o início da pandemia, tem feito um trabalho de previsão a cada 15 dias.

 

“São dados para que possamos antecipar cenários epidemiológicos e assim o Estado tome a decisão necessária e não deixe o sistema de saúde colapsar. Isso tudo fez com que o Pará tivesse um dos melhores desempenhos do Brasil no trabalho de combate à pandemia. Os últimos dados da pesquisa mostram que continuamos em queda por demanda de leitos, sobretudo a melhor obtida desde abril de 2020. Temos uma segurança para mostrar que o cenário epidemiológico está sendo monitorado”, garantiu Marcel Botelho.

 

Atualmente, de acordo com os dados do Comitê Técnico e Científico liderado pela Sespa, a ocupação de leitos clínicos exclusivos no Pará é de 23,6%, enquanto o índice de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) está em 28%.

 

Helder Barbalho disse também que o Hospital de Campanha do Hangar funcionará até a última alta hospitalar e que novos pacientes, que porventura precisem dos serviços, já serão encaminhados ao novo Centro Especializado de Atendimento de Covid-19, que funcionará a partir de primeiro de outubro no Hospital Santa Terezinha, no bairro de Nazaré, em Belém, com 120 leitos, sendo 60 clínicos e 60 de UTI.

 

No novo Centro, também serão atendidos pacientes com coronavírus encaminhados pelas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e Pronto Socorros, por meio da Central Estadual de Regulação.

 

A iniciativa na capital faz parte de uma estratégia de governo em abrir unidades específicas para o tratamento da doença em todo o Estado, para onde os pacientes serão direcionados com o objetivo de desafogar os hospitais municipais e estaduais.

 

Assim, o novo Centro será o terceiro exclusivo para o atendimento da doença no Estado. Os dois primeiros foram entregues nos municípios Parauapebas e Bragança.  “Estamos avaliando a criação de outros Centros similares para atender outras regiões do Estado, como o Oeste e a do Marajó. Adianto que serão estruturas fixas para tratamento da Covid-19, pois temos que ter a clareza que teremos que conviver com a doença mesmo com o avanço da imunização em todo o Estado e com todos os cuidados necessários”, frisou o governador Helder Barbalho.

 

Atualmente, 6.983.575 milhões de pessoas já foram vacinadas contra a Covid-19 no Pará, das quais 4.284.691 milhões já tomaram a primeira dose, correspondendo a 50,57% de cobertura vacinal, e 2.698.884 já tomaram a segunda dose, com 31,85% de cobertura.

 

“Estamos sempre em diálogo com o Ministério da Saúde para que seja providenciado a ampliação do número de vacinas que tem sido enviadas ao Pará, mas no dia 22 estamos no Instituto Butantan, em São Paulo, para celebrar a primeira compra direta de doses de vacinas ao Estado, para avançarmos ainda mais na imunização da população”, anunciou o governador.

 

Somadas às estratégias de saúde tomadas durante a pandemia, o governador do Estado destacou outras medidas tomadas para garantir auxílios financeiros às atividades econômicas, como o Fundo Esperança, o Renda Pará, o Bora Belém e outros benefícios que, juntos, garantiram investimentos de mais de 500 milhões de reais para beneficiar diversas categorias.

 

“Junto com isso fica a gratidão do governo do Estado a todos os profissionais de saúde, de todas as frentes, pelo empenho até agora empregado aos pacientes de Covid-19. Vamos continuar nos cuidando, usando as precauções necessárias de combate ao vírus e atentos aos calendários de vacinação nos seus municípios. Vacinem-se, temos muito a viver e a trabalhar por nossa gente”, finalizou Helder Barbalho.