Governo do Estado disponibiliza ampliação de novos leitos para atendimento de Covid-19, em Marabá

Secretários da Sespa e Regional de Marabá, Sipriano Ferraz e João Chamon, respectivamente, com o prefeito de Marabá, Tião Miranda

Nesta sexta-feira (29) uma equipe técnica da Sespa visitou o município de Marabá, no sudeste estadual, para dar suporte às Unidades Básicas de Saúde dos municípios, em ação preventiva de combate à  Covid-19.

“Já nós disponibilizamos em parceria com a prefeitura para ampliar mais oito leitos de UTI e 16 leitos clínicos no Hospital Municipal de Marabá. Isso é uma medida preventiva, o Governo do Estado está se antecipando na estratégia de contigenciamento para que não soframos grande pressão sobre o sistema de saúde da região”, reforçou o secretário adjunto da Sespa, Sipriano Ferraz.

A preocupação do governo é dar uma retaguarda para que todas as regiões possam atender à população. “O Estado não tem medido esforços no enfrentamento da pandemia. Marabá é um polo, por isso, é tão importante essa ação antecipada e a parceria entre as esferas municipais e estaduais. A Secretaria Regional de Marabá tem atuado nessa articulação junto com a Sespa e vem acompanhando a situação dos casos na região”, disse João Chamon, secretário Regional de Governo de Marabá.

A prefeitura de Marabá reconhece o esforço e o trabalho do Governo do Estado para atender todos os municípios. “Nós contamos com a parceria, a Sespa sempre solicita junto com a Secretaria Regional, no atendedimento de nossas demandas e vamos juntos ampliar nossos leitos“, disse o prefeito, Tião Miranda.

Governo do Pará assegura ampliação de leitos de UTI e clínicos em ação preventiva de enfrentamento da Covid-19 em Marabá e região

Ocupação de Leitos – O Hospital Regional de Marabá oferta qutaro leitos clínicos e 20 leitos de UTI para pacientes com Covid-19. Além de atender pacientes em ala exclusiva de pacientes de Covid-19, também mantém os atendimentos médicos ambulatorial, de urgência e emergência e outras especialidades.

“Uma das nossas principais dificuldades é que muitos pacientes recusam a transferência. Inclusive no próprio município, tem muitos que não aceitam sair do hospital municipal e ir para o regional. É importante que a população também compreenda que os médicos avaliam a situação de cada paciente e encaminham para um melhor atendimento”, esclareceu a diretora do 11º Centro Regional de Saúde, Irlândia Galvão.

Abastecimento de Oxigênio – A produção de oxigênio em Marabá não é feita exclusivamente por cilindros, pois os grandes hospitais da região detêm tanque ou usina de oxigênio, o que permite que os cilindros fiquem como reserva técnica.

“Aqui nós já temos uma facilidade logística maior, através das estradas. Nós estamos em contato com os representantes das empresas de oxigênio e até então não há possibilidade de escassez de oxigênio na região de Carajás, Lago de Tucuruí e do Araguaia”, ponderou o secretário Sipriano Ferraz.

Texto: Bruna Brabo/Secom

Fotos: Bruno Cecim/Ag.Pará

Você pode gostar...