Governo do Estado garante teste de Covid-19 às pessoas acolhidas nos abrigos emergenciais

Os testes para Covid-19 estão entre os serviços oferecidos às pessoas recebidas nos abrigos

Ações para preservação da saúde de pessoas em situação de rua abrigadas pelo Governo do Pará em três espaços, em Belém, estão sendo priorizadas desde a última sexta-feira (19), quando o atendimento a esse segmento social foi retomado pelo Estado. Um dos serviços disponíveis nos abrigos emergenciais é a testagem para Covid-19.

A iniciativa de retirar essas pessoas das ruas, em um momento de pico da pandemia na Região Metropolitana de Belém (RMB), é do governo por meio da Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), em parceria com a Prefeitura de Belém.

Homens, mulheres, casais e população trans têm abrigo, refeições e serviços de saúde nos abrigos

Na Escola Lauro Sodré, sede da triagem e cadastramento dos abrigados, o primeiro atendimento prestado é a testagem, a fim de identificar possíveis infectados pelo novo coronavírus. Caso alguém apresente sintomas leves ou moderados de síndrome gripal, é imediatamente encaminhado ao setor de isolamento, onde recebe acompanhamento médico  e aguarda o resultado do exame.

“Logo ao chegar aqui no acolhimento, além da testagem de Covid, o abrigado responde a um questionário de saúde, para termos um panorama mais geral de suas condições clínicas. Caso haja alguma queixa relacionada à saúde, ele é encaminhado para a sala de estabilização e recebe os atendimentos com um médico”, explica Thyago Resende, coordenador da Referência Técnica de Populações Vulneráveis, da Secretaria Municipal de Saúde e Meio Ambiente de Belém (Sesma).

Rede de assistência – O secretário de Estado de Saúde Pública, Rômulo Rodovalho, reforçou que, após a triagem médica e o cadastramento, os acolhidos são encaminhados aos demais abrigos, onde continuam os serviços de saúde: “A Sespa está presente, com equipes de saúde, nas três unidades usadas como abrigo, garantido para essas pessoas um local digno para ficar nesse momento de pico de contaminação de Covid-19. Vamos garantir o atendimento de saúde, medicações, e também levar esses usuários para fazer exames, acessando toda a rede de assistência à saúde do Estado para dar assistência integral a esse usuário”, garantiu o secretário.

Até esta segunda-feira (22), cerca de 190 pessoas estão acolhidas nos abrigos emergenciais, entre mulheres, homens, casais e população trans.

Na área de triagem e cadastro é verificada a necessidade de exames

R.W, 38 anos, recém-acolhido, disse que pela primeira vez conseguiu fazer um teste para Covid-19 desde o início da pandemia. “Lá na outra escola (Lauro Sodré) eles me perguntaram se eu sentia algo, se tinha alguma doença e se era usuário de alguma droga. Aí eles fizeram o teste de Covid em mim e deu negativo, graças a Deus. Foi a primeira vez na minha vida que eu fiz esse teste e fiquei foi feliz de ter dado negativo”, contou.

A triagem e o cadastramento prosseguem na Central de Acolhimento. Qualquer pessoa em situação de rua pode se dirigir à Escola Estadual Lauro Sodré, localizada na Travessa Pirajá, no bairro do Marco, em Belém. O acolhimento ocorre de domingo a domingo, das 09 às 17 h. (Colaboração de Melina Marcelino – Ascom/Sespa).

Texto: Camila Santos/Seaster

Fotos: Marco Santos/Ag. Pará

Você pode gostar...