Governo do Pará já mantém mais de 1.700 leitos exclusivos para pacientes com a Covid-19

A oferta de leitos em diversas unidades de saúde visa garantir atendimento de qualidade a todos os doentes no Pará

O governador Helder Barbalho anunciou nesta terça-feira (23) que o Estado continua abrindo leitos exclusivos para pacientes de Covid-19. “Hoje, já contamos 1.135 leitos clínicos e 627 leitos de UTI. No dia 15 de março tínhamos 888 leitos clínicos e 555 leitos de UTI. Em apenas oito dias saímos de 1.443 leitos para 1.762”, informou o governador, acrescentando que “o governo continua investindo na saúde e buscando abrir leitos por todo o Estado para combater a pandemia. Faço o meu apelo: use máscara, lave as mãos e, se puder, fique em casa. Cuide de si mesmo e do próximo”.

A ampliação do número de leitos é mais uma estratégia para garantir assistência às pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Estão sendo abertos leitos na Região Metropolitana de Belém; Xingu; Carajás; Breves, Marajó; Araguaia; Lago de Tucuruí; Nordeste e Sudeste. Os locais foram selecionados para receber mais leitos tendo em vista a situação epidemiológica e a demanda de atendimento, que vem sendo acompanhada pela equipe técnica da Sespa.

Estrutura hospitalar – Na Região Metropolitana de Belém, no dia 15 de março, havia 409 leitos clínicos e 236 leitos de UTI. Hoje, o Estado conta com 577 clínicos e 282 leitos de terapia intensiva, passando de 645 leitos para 859, reforçando as estruturas do Hospital de Clínicas Gaspar Vianna; Hospital de Campanha de Belém; Hospital Ophir Loyola; Hospital Regional Dr. Abelardo Santos; Santa Casa de Misericórdia do Pará; Hospital Divina Providência; Hospital Público Estadual Galileu; Hospital Jean Bitar e Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência.

De acordo com o secretário de Estado de Saúde Pública, Rômulo Rodovalho, todas as medidas necessárias estão sendo adotadas pelo governo para garantir atendimento à população. “Já abrimos muitos leitos desde o início do ano, mas a grande demanda que estamos tendo nessa segunda onda ainda requer que mais hospitais possam se voltar ao atendimento de casos de Covid. Por isso, somente na Região Metropolitana de Belém já reativamos essa assistência nos hospitais Jean Bitar e Galileu, e o incremento também seguirá para o interior do Estado. Faremos tudo o que for preciso para não deixar sem atendimento nenhum paraense”, garantiu o titular da Sespa.

Texto: Melina Marcelino/Sespa

Foto: Ag. Pará

Você pode gostar...