Hospital Jean Bitar e Fundação Hemopa enfatizam a necessidade da doação de sangue

A iniciativa do ″Jean Bitar″ e Fundação Hemopa visa sensibilizar para a importância do ato solidário de doar sangue regularmente

Para celebrar o Dia Nacional do Doador de Sangue – 25 de Novembro, o Hospital Jean Bitar (HJB), em Belém, por meio do Grupo de Trabalho de Humanização (GTH), em parceria com a Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa), realizou na manhã desta terça-feira hoje (24) palestras para usuários e funcionários, com o objetivo de conscientizar e sensibilizar para a importância do ato solidário de doar sangue regularmente, para salvar vidas. Também foi o momento de agradecer e reconhecer, com a entrega de certificados, o empenho dos funcionários da instituição que são doadores voluntários de sangue.

Composto de células que cumprem funções essenciais, como levar oxigênio a cada parte do corpo, o sangue defende o organismo contra infecções e participa da coagulação. Não há nada que substitua o sangue. Por isso, as unidades da hemorrede administrada pela Fundação Hemopa e as unidades de saúde estão sempre promovendo ações de incentivo à doação, mobilizando usuários, familiares e profissionais da área de saúde. Todo sangue doado é separado em diferentes componentes, como hemácias, plaquetas e plasma, o que significa que apenas uma doação pode beneficiar vários pacientes.

Segundo a assistente social da Fundação Hemopa, Nilvete Smith, que ministrou as palestras, a quantidade de sangue doada não afeta a saúde do doador porque a recuperação é imediata. “Uma pessoa adulta tem, em média, cinco litros de sangue, e em uma doação são coletados no máximo 450 ml de sangue. É pouco para quem doa, mas é muito para quem recebe. Por isso, doe sangue, procure o Hemopa ou uma das unidades de captação mais próxima da sua casa e contribua com esse gesto tão nobre de solidariedade e amor ao próximo”, ressaltou Nilvete Smith.

Durante as palestras, a assistente social esclareceu dúvidas por meio de dinâmica com perguntas e respostas sobre assuntos relacionados ao processo de doação de sangue, como requisitos para doar e outras informações, enfatizando a necessidade que o Hemopa e as demais instituições de saúde têm em captar doadores. O sangue, reiterou, não pode ser comprado, por isso a manutenção dos estoques depende exclusivamente da população que pode doar.

Para o usuário do “Jean Bitar”, Ronaldo Silva, doador de sangue há mais de 20 anos, “doar sangue é mais que um ato de amor; é também uma forma de investir na manutenção da nossa própria vida, caso a gente venha a precisar, já que nunca sabemos a hora que iremos precisar também de sangue para salvar a nossa vida. Por isso, doe sangue e salve vidas, que, inclusive, pode ser a sua”, acrescentou.

Os bancos de sangue, que atendem milhares de pacientes, só são reabastecidos com doações

Sensibilização – Para incentivar a doação de sangue no HJB são realizadas, diariamente, abordagens aos usuários no ambulatório de atendimento do Serviço Social, durante a visita do SAU (Serviço de Atendimento ao Usuário), e a ainda quando está sendo feito o atendimento dos pacientes que recebem transfusão sanguínea.

Nos meses de agosto e setembro, segundo a líder técnica da Agência Transfusional do HJB, Alyne Pardauil, em parceria com a Fundação Hemopa e o GTH, foram montados estandes na recepção central do Hospital, visando à captação de novos doadores. A iniciativa foi importante para a Agência Transfusional, que realizou em média 77 transfusões por mês em 2019. Neste ano, a média mensal foi de 78 transfusões.

“A doação de sangue só é possível graças à disponibilidade de pessoas que queiram ajudar outras pessoas. A sensibilização de colaboradores, usuários e familiares deve ocorrer frequentemente, a fim de manter em níveis adequados os estoques da Fundação Hemopa”, ressaltou Alyne Pardauil.

Requisitos básicos – Para doar sangue é preciso: estar em boas condições de saúde; ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos (menores de 18 anos devem ser acompanhados por responsável); pesar no mínimo 50 kg; estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas); estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação); apresentar documento original com foto recente, que permita a identificação do candidato, emitido por órgão oficial (carteiras de identidade ou de trabalho, cartão de identidade de profissional liberal, Carteira Nacional de Habilitação – CNH, e Registro Nacional de Estrangeiro – RNE).

Texto: Joelza Silva/HJB

Fotos: Marcelo Seabra e Pedro Guerreiro/Ag. Pará

Você pode gostar...