Hospital Jean Bitar lança ferramenta para melhorar o atendimento de suas equipes de assistência

Momento do ‘Round de Segurança’ com os profissionais atentos a fatores essenciais a assistência de qualidadea e satisfação de usuários

O comprometimento com a qualidade e segurança do paciente por parte das equipes assistenciais e de todos os demais agentes envolvidos direta e indiretamente no atendimento é um dos itens essenciais da consolidação da cultura de segurança nas instituições de saúde. Para reforçar a  cultura de segurança, o Hospital Jean Bitar, por meio de sua diretoria técnica, lançou, nesta quinta-feira (12), o “Round de Segurança” – um projeto de melhoria inspirado na rotina de hospitais conceituados do mundo inteiro. A ferramenta tem mostrado bons resultados práticos nas instituições onde a ação foi implantada.

Segundo a diretora técnica do HJB, a nutróloga Denise Villacorta, a iniciativa possibilita à equipe assistencial o compartilhamento de informações sobre os resultados de cada setor, para que sejam analisados em conjunto, visando à melhoria contínua dos processos, repercutindo, dessa forma, na qualidade e segurança do paciente.

“Durante as discussões do ‘Round de Segurança’ com a equipe assistencial, todos tomam conhecimento sobre fatores essenciais para uma assistência de qualidade, como, por exemplo, procuramos saber como está o índice de infecção hospitalar; a satisfação dos nossos usuários; a conformidade das prescrições, entre outras informações, que são fundamentais para a segurança do paciente. Debatemos sobre as necessidades de melhorias, ouvimos os profissionais, e os inserimos nos processos de melhoria”, destaca a diretora.

Para a gerente assistencial do HJB, Alexandra Santos, a iniciativa é muito válida, já que os dados da assistência localizada são levados ao conhecimento de toda a equipe, sendo possível, dessa forma, a identificação do que é necessário ser melhorado.

AJUSTES

O “Round de Segurança” leva os profissionais à sensibilização e à reflexão sobre a participação de cada um para que a assistência prestada seja de melhor qualidade, levando em consideração a melhoria dos processos e, consequentemente, a segurança do paciente”, ressalta.

Conforme a coordenadora do Núcleo de Qualidade e Segurança do Paciente (NQSP), Hellen Silva, quando a equipe compartilha as informações sobre os resultados, ela consegue enxergar aquilo que foi feito de bom e aquilo que pode ser melhorado, já que compartilhando as informações de uma forma mais pontual sobre o que de fato está impactando na assistência, deixa mais evidente a todos aquilo que precisa ser melhorado.

“Muitas vezes, tem alguns ajustes de processo que conseguimos evidenciar o ponto de melhoria, com essa fala de quem está na ponta. Esse momento é mais para trazer a equipe para enxergar a nossa realidade. A partir do momento que cada um consegue enxergar o quanto o seu trabalho está repercutindo bem, ou que precisa ser melhorado, há uma autorreflexão sobre a sua responsabilidade em melhorar, e, a partir de então, os profissionais começam a desenvolver uma cultura de Segurança, e uma busca por melhorias que irão refletir na qualidade da assistência”, diz a coordenadora.

As discussões do Round de Segurança, inicialmente, acontecerão uma vez por mês, em cada unidade de internação, com debates, observações e avaliações dos resultados do mês anterior, bem como a definição de metas para a conquista de melhorias no mês subsequente.

Texto: Joelza Silva/HJB

Foto: Ascom/HJB

 

Você pode gostar...