Idosos acolhidos em abrigos estaduais começam a ser vacinados contra Covid-19

Dezenas de idosos acolhidos nos abrigos mantidos pelo Estado começam a receber a proteção da vacina

O Governo do Pará começou na tarde desta segunda-feira (25) a primeira etapa da vacinação contra Covid-19 em idosos que vivem nos abrigos Lar da Providência e Socorro Gabriel, mantidos pelo Estado, por meio da Secretaria de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster). As unidades acolhem 81 pessoas cujos vínculos familiares estão totalmente comprometidos.

Uma das vacinadas foi Maria Benedita, que mesmo com dificuldade de locomoção e na fala, recebeu a dose com tranquilidade e entusiasmo. “Não dói. Eu me sinto muito bem. Gosto de dançar e estou esperando as festinhas aqui dentro. Elas nunca mais aconteceram. Agora elas vão voltar”, disse Maria, com um largo sorriso.

Como forma de prevenção ao novo coronavírus, a Seaster suspendeu visitas e saídas externas, manteve a desinfecção dos espaços, a aquisição e utilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), uso de álcool em gel, adequação dos espaços para isolamento de idosos e realização de testes rápidos.

Para Silvia Sousa, gerente do Lar da Providência, a vacina traz alívio e esperança. “A vacina era muito esperada. Nós passamos por momentos de muita tensão, lutando para não deixar com que esse vírus adentrasse o nosso espaço. Hoje, está imunizando os nossos idosos, e isso nos traz tranquilidade. Sem contar que eles também ficam mais calmos. Enfim, é só felicidade mesmo”, disse a gerente.

“Um presente” – Para os idosos, “essa pode ser chamada a vacina da esperança”. Atentos ao noticiário sobre a vacinação, eles ressaltam “toda a trajetória do nosso governador”, e definem o recebimento da vacina “um presente pra gente”. Os vacinados hoje agradeceram ao governo e consideraram este 25 de janeiro como “um grande dia”. Entre os que receberam a primeira dose está uma mulher de 104 anos.

Inocencio Gasparim, titular da Seaster, avaliou o momento como uma vitória para quem atua, diariamente, assistindo e  garantindo direitos aos mais vulneráveis. “Nós atendemos e cuidamos do público que é esquecido, que muita vezes é tido como invisível. Os nossos idosos já enfrentaram grandes perdas ao longo da vida. Alguns foram abandonados, outros violentados, e cabe a nós resgatar o sentimento de cuidado, garantir atendimento de saúde, lutar pela vida. A vacina, sem sombra de dúvida, nos traz acalanto e esperança de dias melhores”, frisou o secretário.

Texto: Camila Santos/Seaster

Foto: Ricardo Amanajás/Ag. Pará

Você pode gostar...