Materno-Infantil de Barcarena alerta sobre cuidados com a saúde dos bebês no Inverno Amazônico

C

Com o início do Inverno Amazônico na região Norte e Nordeste do país, período marcado pelas fortes chuvas e nebulosidade no Pará, aumentam os casos de crianças e bebês com doenças características desta estação, que se estende até abril do próximo ano.

De acordo com Suellen Fernandes, médica pediatra do Hospital Materno-Infantil de Barcarena Dra. Anna Turan (HMIB), os cuidados com bebês e crianças devem ser redobrados neste período.

“Devido o tempo úmido, temperaturas mais amenas e com fortes chuvas, temos um ambiente mais propenso a doenças, principalmente, aquelas de transmissões por vias aéreas, alergias e infecções, devido ao aumento de fungos e mofos, além da propagação de vírus e bactérias”, ressalta a médica.

Segundo a profissional, entre as principais doenças que acometem crianças e bebês, estão as rinites alérgicas, asma, resfriados, sinusites, bronquiolites e pneumonia.

“Nesse período, é comum aparecer sintomas como tosse, congestão nasal, espirros, coceira nos olhos, entre outros. Por isso, é fundamental a consulta ao pediatra para ter um diagnóstico correto e iniciar um tratamento seguro”, afirma Suellen.

Cuidados importantes

A profissional destaca que o controle ambiental é essencial para amenizar crises alérgicas. Manter a casa mais arejada, janelas abertas, a limpeza em dia e ambiente ventilado são algumas dicas valiosas.

“É necessário lavar lençóis, colchas e utensílios de berço, além das roupas das crianças e de bebês, que costumam passar muito tempo guardadas, para evitar fungos. É importante ter cuidado também com o uso e limpeza de chupetas e mamadeiras”, explica a pediatra.

No cuidado às infecções de vias aéreas, por vírus e bactérias, a atenção com a higiene é fundamental.  A higienização das mãos, com água e sabão e uso de álcool em gel também são essenciais para evitar propagação de doenças.

“Importante evitar locais aglomerados e tomar cuidado ao sair sem a proteção. No caso de receber visitas em casa, manter o uso da máscara próximo a bebês com menos de seis meses e evitar dar beijos e abraços nas crianças se tiver algum sintoma gripal”, acrescenta Suellen.

“É preciso manter a vacinação em dia e uma alimentação saudável. No caso de bebês com menos de dois anos, a amamentação é primordial, pois atua na imunidade e previne doenças”, complementa.

Texto: Adrielle Sousa/HMIB

Foto: Ascom/HMIB

Você pode gostar...