NOVEMBRO AZUL

A Política de Saúde do Homem ainda é recente, e os profissionais de Saúde, sobretudo das unidades básicas, ainda estão sendo capacitados para receber a população masculina. Pelo parecer da Sespa, as redes municipais de saúde precisam se estruturar para atender as demandas da população masculina e sensibilizar para o autocuidado, a fim de que o homem busque com mais frequência a assistência médica, investindo na prevenção, e não só quando já está doente.

Desde que foi criada, em 2010, por recomendação do Ministério da Saúde a todos os Estados, a Coordenação tem atuado com campanhas de prevenção nos municípios, sobretudo com palestras e capacitação de profissionais das unidades básicas de saúde. Um dos resultados é que em Belém, especificamente, o programa de Saúde do Homem foi implantado em maio de 2013 pela Secretaria de Saúde do Município (Sesma), para funcionar na Unidade Municipal de Saúde da Tavares Bastos, no bairro da Marambaia.

A campanha “Novembro Azul” reforça esse conjunto de esforços realizados ao longo do ano, com enfoque na mudança do estilo de vida, contra o sedentarismo e a obesidade. Pelas estatísticas da Sespa, os homens morrem mais cedo que as mulheres por falta de cuidado, sendo as maiores vítimas de doenças crônicas, como hipertensão e diabetes, e de causas externas, como violência no trânsito. Pelos dados oficiais, a principal causa de internação masculina no Estado é externa (esfaqueamentos, traumatismo e envenenamento).

No Pará, o número de mortes entre a população masculina com mais de 20 anos oscilou entre 5 mil e 5.550 ao ano, no período de 2014 a 2017. As mortes são ocasionadas, sobretudo, por doenças do aparelho circulatório (20,15%), doenças do aparelho circulatório (19,63%), doenças infecciosas e parasitárias (17,36%), causas externas e ligadas à violência (11,18%), doenças do aparelho digestivo (8,79%), tumores (8,16%) e doenças do aparelho geniturinário (6,12%).

 

 

Serviços: Empresas e instituições interessadas em palestras sobre a PNAISH podem entrar em contato pelo e-mail da Coordenação Estadual de Saúde do Homem – cesh.sespa@gmail.com

 

Texto: Mozart Lira – Ascom/Sespa