Pacientes vindos do Amazonas para tratar a Covid-19 começam a ter alta médica

Dos 26 pacientes que vieram do Amazonas para o Hospital de Campanha do Hangar – para tratamento da Covid-19 -, oito já se recuperaram e viajaram de volta ao estado de origem nesta quinta-feira (28). Eles começaram a chegar em Belém no dia 18 de janeiro, transferidos a pedido daquele governo por conta da superlotação e falta de oxigênio na rede hospitalar amazonense. Outros 17 seguem internados em tratamento e um faleceu.

“É um momento muito importante e feliz para nós da Sespa, do Governo do Estado como um todo, por termos conseguido disponibilizar esses 30 leitos para os pacientes do Amazonas. Recebemos alguns em estado grave, e hoje estamos felizes em dar alta a esses oito pacientes que inclusive já estão retornando para suas casas e o seu convívio social. Foi com grande satisfação que abrimos essas vagas para o estado do Amazonas e continuaremos nessa luta, já que os leitos continuam a disposição dos nossos vizinhos. Continuamos seguindo firmes com todas as medidas necessárias para o combate a Covid-19 no Pará”, destacou o secretário de Saúde Pública do Pará, Rômulo Rodovalho.

A diretora técnica do Hospital, a médica Bárbara Freire, explica que os pacientes, assim que desembarcaram na capital, foram deslocados de ambulância, estabilizados e admitidos. “Além da suplementação de oxigênio, garantimos também o apoio de fisioterapeutas, psicólogos, e fora o acompanhamento médico, demos todo um espaço para que eles conversassem com a família, até que pudessem voltar para casa recuperados”, detalhou.

Carlos José de Oliveira, 43, é um dos que voltou para Manaus (AM) nesta quinta. “Foi um atendimento muito bom, fui cuidado da melhor maneira possível por ótimos profissionais, com toda a atenção”, relatou.

Gilmar Fabrício

Gilmar Fabrício da Silva Dias, 43, também retornou para a capital amazonense. “Cheguei bem debilitado, mas a equipe médica me tratou super bem. Só gratidão e todo carinho pelo que fizeram para que eu me recuperasse para voltar à minha família”, reconheceu o agora ex-paciente.

Edna da Silva Lobato

Edna da Silva Costa Lobato, 44, lembra dos dias de angústia e de distância dos familiares. “Desde o início do processo de cura eu fui muito bem recebida, desde o pessoal dos serviços gerais até o corpo administrativo. Agradeço pela nova oportunidade de vida que tive, por todos terem sido tão gentis. Cheguei muito abalada, tive apoio de médicos, enfermeiros, técnicos. Todo meu agradecimento ao Governo do Pará, que abriu as portas para cuidar da gente”, declarou.

Apoio – O Pará oferece 20 leitos clínicos e dez de terapia intensiva no Hospital de Campanha, e outros dez de Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) Neonatal na Santa Casa do Pará. Havendo necessidade, o Governo do Estado pode avaliar a possibilidade de ampliar essa oferta. No dia 14 de janeiro, em redes sociais, o governador Helder Barbalho anunciou ter feito contato com o governador do Amazonas, Wilson Lima, para oferecer ajuda diante do colapso no sistema de saúde devido ao crescimento de casos da Covid-19.

Texto: Carol Menezes/Secom

Fotos: Ricardo Amanajás/Ag. Pará

Você pode gostar...