Policlínica Itinerante já atendeu 39 mil pessoas em 30 cidades

Estratégia voltada ao tratamento precoce dos sintomas do novo coronavírus que também alcança o interior do Pará, a Policlínica Itinerante está nesta terça (22) e quarta-feira (23) em Canaã dos Carajás, sudeste do Estado, depois de três dias em Santarém, no oeste paraense. A versão móvel do projeto, que percorre a Região Metropolitana de Belém e o interior desde 14 de maio, já fez cerca de 39 mil atendimentos em mais de 30 cidades.

Segundo a diretora executiva da Policlínica Metropolitana de Belém, Liliam Gomes, a ideia é oferecer em várias regiões a estrutura de exames de imagem, testes, consultas médicas, oferta de medicamentos – se houver prescrição – e encaminhamento hospitalar, se for necessário, com apoio de equipe multiprofissional. “Na capital paraense fizemos 42 mil atendimentos em dois meses de mudança de perfil exclusivo para atendimento de sintomas da Covid-19. É uma ação de efeitos muito positivos, porque evita a ocupação de leitos clínicos e de Unidade de Terapia Intensiva (UTI)”, avalia.

Foram 950 atendimentos em Santarém entre os dias 20 e 22, e nesta segunda a equipe partiu rumo a Almeirim, ainda no Baixo Amazonas, onde permanece entre terça e quarta. Também nesta segunda Canaã recebeu o atendimento, que segue até terça. Foi lá que José Joaquim Araújo dos Santos, 43 anos, com sintomas da doença, foi acolhido. “Foi rápido: fiz os exames de raio-x, confirmaram e já saí com o medicamento”.  Dyone Moraes de Sousa aprovou a atenção recebida desde a chegada ao local. “Da entrada até o consultório, fui bem atendido. É um projeto muito bom de termos por esses dias, estou gostando”, confirmou.

Por lá, a expectativa é fazer até 500 atendimentos em dois dias. “A gente sempre busca logo resolver os casos leves, os suspeitos, e assim ajudar a população local e quem mora no entorno. É gratificante prestar esse tipo de assistência”, reconhece o gestor da Poli Itinerante em Canaã dos Carajás, Marco Antônio Camarão Pinheiro. O funcionamento é de 8h às 17h30.

Ainda em Santarém, além dos quase mil atendimentos, foram entregues mais de 500 kits de medicamento conforme prescrição médica. A médica responsável pelos três dias de atuação no município, Fernanda de Paula Moreira, reforçou a importância de atender de forma precoce os primeiros sintomas. “Além de tomografias e exames de sangue, fizemos a triagem focando no perfil de atendimento de suspeita de síndromes respiratórias. Esse trabalho é um apoio à equipe hospitalar, porque pode evitar que o paciente busque um hospital e que haja posterior necessidade de internação, deixando assim o atendimento especializado e os leitos para os casos mais graves”.

“A proposta é alcançar o maior número de pacientes possível logo no início da doença, para que a pessoa receba as orientações médicas e possa seguir o tratamento em casa, com medicação, cuidado, isolamento, e assim se recuperar o mais rápido possível. Queremos garantir assistência à saúde pública de qualidade, humanizada, indo aonde o paciente está”, conclui Liliam.

Texto: Carol Menezes/Secom

Você pode gostar...