Políticas públicas de saúde garantem dignidade e inclusão às pessoas com deficiência no Pará

Políticas públicas de saúde garantem dignidade e inclusão às pessoas com deficiência no Pará

21 de setembro de 2021 Off Por Roberta Vilanova

Atendimento do Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação (CIIR) é referência no Pará para pessoas que sofrem com alguma deficiência

A artesã Bianca Monteiro é mãe do adolescente Weligton Felipe Ferreira Pinto, 14 anos, que tem deficiência e é paciente do Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação (CIIR), mantido em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). Ela relata que, dois dias após ter ido pela primeira vez ao CIIR, ela foi contactada por telefone para receber a cadeira de rodas. ”

“Quando me ligaram, não acreditei, mas eu confiei. Meu filho precisa de tanta coisa e no projeto já consegui muita coisa. Ele também precisa de uma cirurgia no quadril e lá no CIIR, a médica já olhou para ele e disse: ‘nós vamos operar’, e agora só estou esperando me ligarem para ele passar com o ortopedista e fazer os exames pré-operatórios”, diz ela, confiante.

No Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, celebrado nesta terça-feira (21), a história de Weligton é um dos exemplos de como o Governo do Estado assegura os cuidados para amenizar as dificuldades enfrentadas por pessoas com deficiência no Pará.

No Pará, o CIIR é referência no tratamento de pessoas com deficiência. Administrado pelo Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH), em parceria com a Sespa, o CIIR garante aos usuários acesso aos serviços por meio de encaminhamento das Unidades de Saúde, via Central de Regulação de cada município, que por sua vez encaminha o paciente à regulação Estadual, onde o pedido é analisado conforme o perfil do usuário.

“Quando entrei no projeto eu me senti muita grata, quero passar a minha vida inteira lá dentro, é muito acolhedor. Vou fazer de tudo pra sempre estar por lá, porque é um lugar muito bom pra ele, e é isso que a gente estava precisando, de um centro como esse, de um projeto como este, para conquistarmos um pouco mais de dignidade”, diz uma emocionada Bianca Monteiro, mãe do Weligton.

O acesso ao CIIR é assegurado via sistema de regulação dos municípios e do Estado, a partir do atendimento nas unidades de saúde

OUTRAS AÇÕES – Por meio de ações da Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac) e do programa Territórios Pela Paz (TerPaz), o Governo disponibiliza serviços que garantem dignidade a muitos paraenses. Até o momento, a Seac já entregou 1,8 mil cadeiras de rodas e equipamentos a Pessoas com Deficiência (PcDs) no Estado.

“A gente começa a perceber que, por meio das ações dos serviços do TerPaz, nessas ações de cidadania e saúde, as pessoas têm participado bastante. Eles dizem que há anos precisam de cadeiras de rodas e outros equipamentos. Mas agora, o TerPaz chegando nos bairros, descentralizando, é um sonho. Quando eles vão receber essas cadeiras, parece um sonho, nem temos como descrever a alegria das pessoas que recebem, dos familiares, tem sido fantástico, tanto pra gente quanto para a família”, destaca Alessandra Amaral, coordenadora das ações de distribuição dos materiais pelo TerPaz.

TerPaz já asseguou a entrega de 1,8 mil cadeiras de rodas e uma série de outros equipamentos a pessoas com deficiência no Estado

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) mantém também açõçes inclusivas no Núcleo de Esporte e Lazer (NEL), em Belém, que proporcionam atividades esportivas. “A Seduc tem várias atividades voltadas para PCDs, tanto para o visual, físico, quanto para os com síndrome de down, intelectual, autistas, enfim, nós fazemos prática de esporte ou esporte adaptado para todas as pessoas com deficiência, tanto em Belém quanto no interior. E escolhemos os melhores atletas para representar o Estado nas Paraolimpíadas Escolares, para melhorar a autoestima , trazendo cidadania enfim, damos um norte para muitos desses jovens que muita vezes ficam sem rumo”, destaca Marcley Lima, coordenador de Esporte e Lazer do NEL.

O 21 de setembro, Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, foi instituído em 1982, por reivindicação dos movimentos sociais, com o objetivo de promover e debater a inclusão social. A data foi oficializada pelo então vice-presidente da República, José Alencar, em 2005.

Texto: Bruno Magno/CPH
Fotos: Pedro Guerreiro/Ag. Pará