População de Melgaço recebe equipe do projeto ‘Saúde Por Todo o Pará’

População de Melgaço recebe equipe do projeto ‘Saúde Por Todo o Pará’

24 de agosto de 2021 Off Por Roberta Vilanova

Ao todo, já são mais de 11 mil atendimentos realizados no Marajó

A economia do município de Melgaço, no arquipélago do Marajó, provém basicamente da vida na floresta, com colheita do açaí, pesca e extrativismo. A população, extremamente carente, recebeu nesta terça-feira, (24), a equipe do projeto ‘Saúde Por Todo o Pará’, que tem percorrido os municípios do arquipélago para promover o ‘Pacto pela Redução da Mortalidade Materna’. No total, foram realizados 1.439 atendimentos.

O ‘Saúde Por Todo o Pará’ já passou por Ponta de Pedras, Muaná, Soure, Salvaterra, São Sebastião da Boa Vista, Curralinho, Bagre, Cachoeira do Arari e Santa Cruz do Arari e Breves. Ao todo, já são mais de 11 mil atendimentos realizados, entre consultas médicas, exames, emissão de carteira de passe livre, kits de higiene bucal e entrega de equipamentos (cadeira de rodas) para Pessoas com Deficiência (PcDs).

O secretário adjunto Sipriano Ferraz e a primeira-dama do Pará, Daniela Barbalho, na Escola Estadual de Ensino Médio Presidente Tancredo de Almeida Neves em Melgaço

A primeira-dama do Pará, Daniela Barbalho, visitou o local da ação itinerante em Melgaço, a Escola Estadual de Ensino Médio Presidente Tancredo de Almeida Neves. “É muito gratificante percorrer o Marajó e colocar em prática o plano de combate a mortalidade materna-infantil na região e, assim, fazer um diagnóstico amplo sobre a real situação materno-infantil nos municípios”, reforçou a primeira-dama.

Nesta terça-feira, 25, os serviços de saúde serão disponibilizados no município de Portel. Ainda vão receber ação os municípios Anajás, Chaves, Afuá e Gurupá.

No total são 100 profissionais envolvidos na ação itinerante, entre médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, nutricionistas, psicólogos e pessoal de apoio.

O prefeito de Melgaço, Tica Viegas, comentou que Governo do Estado tem feito sua parte, ao olhar com sensibilidade e atenção à população da região. “O governador Helder Barbalho tem olhado com carinho para o Marajó, e esta ação mostra que o governo está se fazendo presente. A gente agradece muito o Governo do Estado pela parceria. Temos carência de alguns profissionais de saúde e, hoje, os moradores saíram com sorriso no rosto, ao utilizarem os serviços disponibilizados”, pontuou.

O projeto prioritário de Governo ‘Pacto pela Redução da Mortalidade Materna’ no Estado do Pará, leva em consideração o aumento no número de óbitos maternos na região do marajó e que a pandemia do Covid-19 gerou impactos negativo no perfil epidemiológico dos municípios que compõem a região.

Uma equipe do Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação (CIIR) integra a equipe do projeto itinerante e avalia se há malformações em crianças

CIIR – Uma equipe do Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação (CIIR) integra a equipe do projeto itinerante e avalia se há malformações em crianças e se observada a necessidade, será encaminhada à avaliação da cirurgia ortopédica do CIIR.

Em casos de problemas auditivos, a criança também será encaminhada ao serviço de referência de deficiência auditiva do realizar CIIR, para avaliação médica

O secretário adjunto da Sespa, Sipriano Ferraz, também esteve na ação, em Melgaço, e reforçou a importância e o objetivo do projeto.

Levantamento – “Os profissionais da Sespa farão, ao final da expedição, um levantamento dos dados coletados para iniciar um plano estratégico a fim de reduzir a mortalidade materna na região. Dessa forma, o Estado está se fazendo presente, e já em setembro voltaremos para colocar em prática as ações estratégicas que serão definidas dentro do que for descoberto e diagnosticado nos municípios do arquipélago”, explicou.

Atendimento Humanizado – Marluci França, técnica em enfermagem da Sespa, avalia como positiva e gratificante participar do projeto e ajudar a promover dignidade e melhor qualidade de vida para quem precisa. “Já atendi pessoas em situação muito difícil, e isso mostra que muito ainda tem a ser feito e a ser colocado em prática. Estamos fazendo a nossa parte e me sinto realizada em poder contribuir para a promoção de uma vida melhor para a população”.

Maria Pereira Santos

Maria Pereira Santos, 45 anos, da comunidade do Moconha, conta que precisa ir até ao município vizinho, Breves, em busca de atendimento e que, hoje, finalmente, pode ser regulada para Belém. “Faço tratamento de anemia no Hospital Regional de Breves e há quase um ano preciso me consultar com especialista, mas não conseguia. Graças a Deus e ao Governo do Estado, hoje eu vou ser referenciada para Belém e assim, iniciar um tratamento digno. Isso mostra que o governo está preocupado com a população do nosso Marajó, que é tão carente”, pontuou a moradora do município.

Já Jesonita Pereira, 40 anos, da comunidade Tajacuruzinho, procurou a ação em busca de uma cadeira de rodas nova para o sogro, Raimundo Pereira, e conseguiu. “Ele realmente estava precisando. Não tinha muita esperança, mas graças a Deus eu consegui. Como ele é obeso, a cadeira será confeccionada de acordo com a patologia dele. Isso é uma maravilha. A vida do meu sogro vai mudar. Obrigado por tudo”.

Texto: Rodrigo Reis/Adepará
Fotos: Rodrigo Pinheiro/Ag. Pará